Pular para o conteúdo principal

Postagens

Mostrando postagens de 2014

* A peça chave, é você! *

Estranhamente temos ou sentimos a necessidade de estar em constante limpeza interior. Ontem o que era bom, hoje já não satisfaz. O que agora te faz sorrir, amanhã será só uma lembrança. Crises são crises. E as existenciais são um estrondo na mente. É um pensar sem parar, uma angustia uma falta de resposta e não aceitação do que se vive.
É um olhar para dentro e não saber o que realmente importa. Como se estivesse dentro de um quebra-cabeça gigante e ter plena certeza que nenhuma peça irá se encaixar. Existo por quê?
Há os que virão com belos conselhos contra o seu vazio. Os que te apresentarão a religiosidade, os que simplesmente te dirão para parar de frescuras e seguir. Nada disso é válido quando você mesmo não quer enxergar não é mesmo?
Sei bem. Nesses momentos, o que alivia mesmo é o silêncio. É se trancar em um quarto escuro, fechar os olhos e se imaginar parte dessa escuridão. É permitir que as lágrimas escorram e que seu corpo se esgote tanto a ponto de não senti-lo vivo.
Uma est…

* Obviamente, SILÊNCIO! *

Não, a gente não se fala mais. Em meio a tantas conversas paralelas e sobre tudo, o que nos restou foi um silêncio profundo. Nada de ‘ois’ apaixonantes e muito menos mensagens matinais de bom dia. A foto que vejo é apenas uma lembrança e ainda assim me pergunto se tudo foi real ou meramente fruto da minha fantasia.
Afinal, aonde foi parar toda aquela extasiada alegria e aquela breve sensação de se ter ingerido borboletas multicoloridas? Sei lá. Talvez estejam junto com a saudade breve que me visita – porque é o máximo que me permito.
Me recuso a recordar que sonhei com você. Que meus planos um dia se encaixavam aos seus de uma maneira mágica. Perdi a vontade de ser curiosa e abrir gavetas onde fatalmente te encontrarei. Tranquei tudo. Para que você não escape e pela madrugada, venha me atormentar feito um fantasma querido.
Sabe, eu não chorei quando te disse adeus e pedi para cuidar da sua vida. Ao contrário, eu senti foi vontade de me socar por dentro por ainda assim me preocupar com v…