quinta-feira, 30 de junho de 2011

** Elas estão presas **


Remexi tudo... fiz uma bagunça, mas não encontro as palavras certas! É como se elas estivessem presas em meu calabouço incomum...
Proibidas de terem vida própria, proibidas da liberdade.
Tentei dar-lhes a mão, manter tudo como antes, mas as inseguranças cortaram nossos elos e optei em seguir o silencio, meu eterno conselheiro.

Os contratempos são embriagantes. É como passar horas enchendo a cara como velhos conhecidos numa mesa de bar. Mas em certos momentos de lucidez me recordo...
E vejo paralisada, coisas que me nego a lembrar.

É inconfundível o som da voz ecoando, me chamando...
E já nem sei mais o que amo (ou quem).
E pela milésima vez optei em deixar a cena...
Com o coração quebrado, mas o orgulho inteiro.

Vi que não se pode competir com o tempo...
E muito menos, roubar o futuro e/ou prender o hoje entre os dedos...
Ele escorre feito água, como a (in) felicidade.

O melhor é deixar ela escorrer... Ganhar alguma nascente qualquer para ser levada a algum lugar que realmente seja seu.
Abro mão e dissipo os vestígios da falta que me faz.

Talvez numa outra vida, eu acredite novamente...
No retorno da inocência!

(...)
by JanNe

-01:34h matina-

domingo, 26 de junho de 2011

** CinZas **


Hoje o sol acordou meio tímido... sem jeito e logo cedeu espaço as nuvens cinzas. Pode ser que eu também fique assim, mas sigo.
Ando meio chateada com algumas coisas, mas nada que o tempo também não modifique.
E nem quero mais saber de palavras ao vento...

E tudo mais eu quero esquecer!

(...)
by JanNe

quinta-feira, 23 de junho de 2011

** ExpreSso **



Subi nesse expresso...
Nem quis saber de olhar para trás e derrubar as lágrimas que já estou pra lá de acostumada. É difícil compreender, mas o momento é de rodar a catraca e seguir sozinha. Acomodar-se nesse banco perto da janela e ver as paisagens passarem...
O frio que ando sentindo deixa os vidros embaçados e escrevo algo para sair desse momento paralisado...
Uma força maior me leva a tomar atitudes que nem me atentava e muito menos que fossem doer um bocado.
Olhei as bagagens, por alguma razão carrego algumas.
E voltei o olhar embaçado lá para fora...
O sol está indo embora... As arvores continuam tão verdes que me fascinam... e a brisa suave do fim de tarde seca o que rola sem permissão alguma.
Meu destino?
Ainda não sei. Mas tomei a atitude certa.
E a cada dia vou renunciando...

Pelo contrário não há tristezas excessivas. Há alivio...
Não vejo mais a vida como um brinquedo que se desmonta e conserta-se. A partir de agora as lembranças precisam ser inteiras e não pela metade e muito menos conseguirei destruí-las em momentos de raiva. Pois elas permanecem, me rendem em momentos inseguros.
E nem tenho mais onde colocar tantas tentativas... ou tantos erros.

Por isso embarquei sem aquele momento de ‘adeus’.
A alma continua repleta de escoriações, mas sei muito bem cuidar dela e arranca-lhe um riso tímido de ‘coragem’...

(...)

by JanNe




quarta-feira, 15 de junho de 2011

** SuTuRA **


Vá... corra!
Pegue a parafernália toda e não se esqueça dos fios de nylon.
Aqueça a alma, pois ficará gelado como morto...
Há uma pequena abertura que se tornará exposta logo-logo...
E quem sabe suturando não se feche?

Queria curar-te.
Queria interromper a alegria esvaindo-se...
E te colocar em coma profundo só para te sentir dependente de mim.
Sedar-te com meu amor incomum,
E estar lá quando acordar numa manhã bonita.

Mas não vou estar.
Não virá de minhas mãos o seu alivio.
Não haverá mais meu carinho.

Ele vai estar comigo.
Impedido pelo isolamento da sua necessidade.
Como um vírus mortal...

Será eternamente infectado,
Pois perdestes suas imunidades...

E eu?
Estarei distante...
Pois não tenho o fármaco para as dores futuras...
Fui apenas um agente desencadeante de suas paixões, de seus amores...

Grite pelo doutor dos tempos...
E cuide das cicatrizes com carinho. Elas sempre te renderão boas lembranças, embora em certos momentos irão latejar por instantes!

(...)
by JanNe





sábado, 11 de junho de 2011

** uM briNdE aO AmOr **

Que os enamorados sejam ainda mais apaixonados nesse domingão... E que descubram que o importante é ser capaz de fazer outra pessoa feliz e não a si mesmo... 
Mtoooo loveEee Galera!

mega bjOos
JanNe

sexta-feira, 10 de junho de 2011

** vOcê sOu Eu e eU sOu vOcê **


Fugir?

Às vezes fugimos de nós mesmos.
Por medo de depararmos com as próprias criticas, acusações e dedos apontados...
Mas no fundo sabemos as respostas de toda duvida.
Sabemos que remar contra a maré é injustiça...
Se jogar no abismo só para aprender a voar sozinho (é necessário), mas nem sempre preciso...
Cair em prantos porque houve uma perda é natural...
Como se sentir isolado do mundo também...

Mas tudo tem seu prazo de validade.
Os desenganos são feitos flechas miradas no alvo certeiro. Servem apenas para guiarem ao que está traçado.
E quando notarem que a fuga interior é imponente,
Destrua-a.
Se ache em meio a paraísos transformados em destroços.
Afinal, é da escuridão que se deseja tanto ter a luz.

Talvez antes de encontrar a felicidade, tenha mesmo que se encontrar primeiro...

Estou tentando e você??

(...)
by JanNe

domingo, 5 de junho de 2011

** É isSo **


É culpa desse vento frio que de repente me vi assim... Tudo parou!
A saudade cutucou a alma lá no fundo... Onde muitas vezes nem sei voltar.
Confesso que olhar para esta foto que esta na minha frente me fez falar sozinha...
... Cadê você? Que solidão...
... Longe de ti, tudo parou...
e para em muitas noites frias...

by JanNe

sexta-feira, 3 de junho de 2011

** AFroditE?? **


Nesse ritmo aí eu vou expulsando os fantasmas...
Vou delineando um futuro incerto, vou me entregando.
Minutos são assim...
Pra sorrir, pra se dar, pra se viver...
Vão me censurar?

Será?
Mas nem quero saber a resposta.
Hoje me permito a ser inconstante, enlouquente.
To sorrindo... hahahahaha

Sonhei com ele, mas e daí?
Foi só sonho e acordei querendo ficar triste
Mas não cai na armadilha.
Esqueci.

Eu sigo chutando as pedras, mas com jeito sereno...
Meio alegre meio livre.
A nostalgia faz parte, o futuro também, mas o HOJE é bem mais convidativo.
É a hora onde leio: T.AmuUu com coraçãozinho!
Onde me sinto poderosa,
E me entrego no riso.

Na menina dos olhos (...) eu me vejo,
Na admiração dos meus passos eu me perco...
Perigoso isso?
Hahahaha Talvez.

Nesse tempo eterniza-se tudo
E torna-se prosa absoluta de se atravessar a matina

Ah esqueci que tens ciúmes dos meus momentos desligados!
Mas isso tudo é veneno...
Dos seus olhos apaixonados que te cegam tanto!!!

“Sou teu fruto proibido”
... pura perdição!


by JanNe