quarta-feira, 30 de dezembro de 2009


As cortinas de 2009 se fecham para mim. Final de uma longa temporada, final de mais um espetáculo – pois viver de qualquer forma é um espetáculo peculiar, só nosso.
Encerro o ano com gostinho agridoce.
Azedo no começo e adocicado no final.

Choros, sorrisos. Decisões importantes. Crescimento interior.
Alias cresço a cada dia quando meu pai celestial me permite modificar a linha do pensamento... quando me faz analisar, observar e modificar.
Não sou mais como antes. Pow, tenho 28 agora (risos)!

A cada ano da minha vida que sou obrigada a dar adeus, sinto que ganho muito mais em troca. Perco-me na nostalgia da infância, de minha saudosa adolescência, mas o que eu sempre quis mesmo era ser gente grande. Queria ser mulher, daquelas de tirar o chapéu, cheia de autoconfiança, segura de si, potente. Sim. Nunca pensei que fosse ser menos que isso.
Construí minhas próprias muralhas, cerquei-me de todos os lados. Mas é inevitável não ser atingida vez ou outra... Pois mulheres com “M” maiúsculo dependem de um coração mole para sobreviver (eis uma grande verdade). E ao permitir que o encontre... mostramos mesmo que somos apenas seres carentes de amor, de proteção, confiança e de paixão. No fundo somos meras meninas desprotegidas onde certas escolhas nos roubaram boa parte dos sonhos.

E sonhos foram os que eu mais desenhei nesses 365 dias – faltou-me certo fôlego para lhes dar vida, apenas isso. Mas ainda estão aqui intactos e guardados como tesouros e terão vida futura sim.

A promessa da vez, para 2010 é não planejar nada. Vou ficar quietinha esperando as promessas dos céus. Pois sei que Deus olha por mim sempre. Sempre aqui comigo, meu amigo, meu pai, minha busca maior e razão por todos meus suspiros e indagações.
É seu colo que me acalenta, me faz adormecer em paz e acordar disposta a encarar as surpresas por detrás de uma bela manhã.

Aquele sabor doce que minha alma procurava foi encontrado.
Provo dele a cada dia e não me canso. Estou feliz.
Os percalços são aprendizados que meu espírito escolheu como lições de vida. São coisas que tenho que passar e pagar certo preço. Coisa justa.

Choro de cansaço sim.
As cordas da minha vida que seguro firmemente vez ou outra machucam minhas mãos, as fazem sangrar e me desespero... mas é coisa passageira, momentos de insegurança eu diria. Penso em soltá-las, desistir (ei sou humana), mas minutos depois do nada me vejo numa boa, como se as feridas e a batalha de segurar firme até o fim não fossem nada pra mim.
Só momentos. Uma hora você explode, mas basta encher os pulmões de ar que tudo se renova. Forças brotam como nascentes e esperanças se mostram sempre presentes.

Sou assim. Um misto de tudo.
Apenas mais uma a pensar com o coração como tantos outros.
E para aqueles que não o sentem... desejo que em 2010 botem a mão no peito e sinta o leve pulsar da vida. Um tum-tum suave. Sem pressa, que acalma e tão cheio de mistério.
Quero apenas que viva!

“Feliz AnoOo Novo”
Viva diferente...

By Jana

quarta-feira, 23 de dezembro de 2009

** With all my heart **


Ando tão sem palavras ultimamente. Nessa época é sempre o mesmo sentimento... tenho vontade de sair de mim e retornar apenas quando as festas terminarem.
Ano novo batendo na porta e eu me desprendendo do que já se foi... que não verei mais, que não sentirei mais. O passado tem uma força incrível. Ele nos trás as lembranças, mas as sensações idênticas jamais. É tudo diferente no futuro. Se chorei, se amei antes, o amanhã trará tudo novo... nada é igual.
Sentirei saudades do que foi bom... das boas emoções, de todas as vezes que sorri de peito aberto, das pessoas, dos momentos... mas agora é hora de guardar tudo dentro do coração, fazer virar recordações daquelas que só de lembrar dói a alma...

Continuo feliz. Ao extremo.
Cada dia mais e mais...
Como se todas as coisinhas negativas que sou obrigada a vivenciar, fossem agora apenas nada... Diante da felicidade monstro que sinto... Gigantesca mesmo.

A paixão agora está mais serena...
Aquela coisa boa de se curtir...
Como se estivesse de férias, deitada numa rede, sem nada na mente... só viver.
Sem pressa, sem preocupação, sem euforia... Apenas acompanhando o leve pulsar do coração... em paz com tudo e todos.
Claro que quando sinto seu perfume no ar, ainda sinto aquele vulcão dentro de mim... tudo acelera... tudo queima, a voz não sai... tenho a impressão que vou deixar de viver ali mesmo... e isso ainda continua quando pára em minha frente com aquele sorriso escancarado... me abraça forte e diz que também foi escravo da saudade em nossas ausências.

Ah, isso é sim um oásis para minha alma tão cheia de fome e de sede...
Agora sim vivo direito. Porque eu me completo, eu me acho sempre quando me vejo na menina dos olhos dele... Estou lá... sorrindo...

E a vida tem novo sentido... E que sentido!


By Janynha

sexta-feira, 11 de dezembro de 2009

** TuDoOo ReNasCe a CaDa ManHã **


O sol amanheceu em mim...
Acordei zonza, tudo rodando... mas depois vi a tremenda tempestade interior indo embora.. Foi aos poucos me abandonando...
Correnteza de sentimento invadiu meu ser. Inundou tudo. E disse então adeus à fragilidade instantânea, pois se amo... sou uma fortaleza... e não permitirei ser abalada por qualquer temor...
É o hoje que me importa, afinal estou vivendo-o intensamente.
Guardo os medos, as angustias. Saberei me cuidar se tiver um dia que escorregar na ponta do abismo, mas não vou pensar nisso não.

A paixão existe para desestruturar meu cotidiano, para me fazer nova a cada dia.
Se eu era assim ou daquele jeito, hoje sou diferente. Penso com o coração... e esse aí me leva a lugares nunca antes habitado... paisagens... brisas... felicidade.

Só quero você paixão!
Não há nada no mundo que possua tamanha importância ou que eu dê tanto valor.
Um misto de amor, proteção, suavidade... de paz.

Recebo em troca palavras de amor...
E elas me preenchem de tal forma que nem sei explicar, apenas me fazem sair de mim... flutuar por minutos...
Um vôo rápido... mas que alcança meu eu interior com toda facilidade e me acalma.

Estou bem agora.
Dona de mim outra vez.

Quero apenas que os minutos passem depressa e que o vento me leve até onde ele estiver.
Que derrube minha imunidade e me faça se entregar como tantas outras vezes.
Sentir o seu cheiro... seu gosto... Anestesiar-me com seu sorriso solto...
Amanhecer nos seus braços... Perder-me no seu calor...
Porque somos um quando amamos
Nossas almas se reencontram... como no velho tempo perdido para serem felizes no hoje, no agora.
Os destinos cruzam-se...
Enlaça nossos corações e nos faz felizes.
Torna-se enfim realidade nossos sonhos!

quinta-feira, 10 de dezembro de 2009

** MomEnToS **


As palavras estão entaladas hoje na garganta... como se não houvesse sentido colocá-las para fora. Estou me sentindo ausente. Um misto de carência, agonia e pressentimento. Estranho!
Estou bem. Mas a necessidade de sair correndo sem rumo, me esconder num quarto escuro, tapar meus ouvidos e ouvir só a minha respiração é grande. Acordei triste, isso sim. Mas na verdade nem sei porque.
Senti um medo do sonho se desfazer...
Senti medo de perder novamente.
É como se isso a qualquer momento fosse acontecer.

Não tenho como retornar pelo caminho que fui deixando para trás. Eu subi o morro... e ele é alto demais. Fui além. E só eu sei a proporção desse sentimento.
Ignoro o medo sempre que posso. Aprendi a controlá-lo. Mas não sou imune as minhas reações emocionais, tão presentes ao longo desta vida.
Sinto-me adocicada pela felicidade, mas hoje eu me lembrei do amargo.
Então me calei.
Não tenho argumentos para me defender disso. Não sou forte o bastante.
Sou como sempre. Sensível e vulnerável a dor. Pelo menos estou me sentindo assim nesse momento.

Detesto enxergar as coisas com os olhos espirituais. Pressentir. E ter que esperar. Sem poder fazer nada é o pior dos dons.
Minhas veias estavam intoxicadas das substâncias: ‘dopamina, feniletilamina e ocitoxina’ as quais estavam me entorpecendo de bem estar e uma euforia sem igual. E agora onde elas estão?? Me deixaram em crise isso sim, quase uma abstinência emocional. Sei que estou feliz, mas hoje... hoje é como nunca tivesse sido. Vivo o sonho diariamente, mas hoje... hoje cai num buraco escuro ou ao menos tropecei.
Estou confusa, não sei se rio ou se choro. Melancólica – culpa da TPM – é... pode até ser.
O fato é que quando me sinto assim, sei que preciso de colo.
Preciso respirar essa paixão profundamente e deixar que ela devolva meu sorriso. Dependo do seu toque para me sentir feliz de novo... e me encontrar nesse escuro!

Isso vai passar, tenho certeza disso!
Bjux

sexta-feira, 4 de dezembro de 2009

** QuEiRa VivEr **


Li os jornais hoje.
Mortes, suicídios.
É horrível saber que uma pessoa tirou sua própria vida do caminho.
Já tive momentos em que achei que não iria suportar... que se a morte se adiantasse seria um alivio, mas olha como pensei errado. Eu lutei. Fui a fundo e algo em mim (que chamo de força divina) foi bem maior que toda tristeza que estava disposta a roubar-me a vida.
Sem contar que minha crença abomina tal situação, mesmo ela sendo uma atitude individual, de livre arbítrio... um ato deliberado de extinguir a própria vida. Sou contra.

Sou a favor da vida. Da luta, da guerra pessoal e em se obter uma vitória satisfatória contra si mesmo. Nada melhor que vencer medos, frustrações e problemas que mais parecem furacões, tsunamis em grande escala.

Há os que tiram a vida para se tornarem história (por ex caso do Getúlio Vargas, etc, etc). Há aqueles que querem apenas sair de uma situação desesperadora, de grande sofrimento, julgando-se incapazes de ter esperanças. Há os que dão fim a vida, apenas por darem. Sem motivo aparente, sem razões (alem de suicidas, são loucos isso sim).

Sabe aquela velha história de que damos aos nossos problemas o tamanho que queremos??
Sim, isso é verdade!
Se olharmos para ele e enxergá-lo pequeno... Será pequeno – sei que é fácil falar quando não se está sentindo na pele – Sei disso. Mas se deixarmos que ele fique grande.. ficará... tomará conta de tudo... e não haverá armas para se lutar contra.
Para mim, a solução está na fé, no querer, no acreditar.

Posso estar me afogando em lágrimas, mas sei que a luz divina virá ao meu encontro. Isso se chama “Esperança”. Tenho uma plantação dela aqui dentro do peito. E todos os dias cuido com carinho.
Problemas... ah, todos os temos. Grandes, pequenos, de médio porte. Mas convivemos com eles. Pedimos aos céus para que essa convivência seja harmoniosa. Que saibamos lidar, controlar... e resolver.

É pura falta de juízo desistir dessa vida tão bela. Dessas cores lindas que encontramos no céu azul infinito... no profundo do mar, no verde vivo das árvores... no brilho dos olhos de um ser igual ou não. Tudo que existe aqui desse lado tem sua vida especial. O outro lado deve ser interessante também, mas não me arrisco a descobrir agora suas reais belezas. Prefiro deixar pra depois, na hora certa... e quando Deus decidir.
Pelo que li... o suicida torna-se um ser vagante, arrependido... e seu sofrimento é ignorado até que chegue seu momento certo. Morre-se pela vida e vive-se pela morte. Vai entender.

Até mesmo nos meus piores momentos, fui a favor da vida.
Mesmo que ela perca momentaneamente sua cor... eu serei a seu favor. Porque a vida está em mim, pulsando... gritando: "Ei estou aqui!"

Deixo meu respeito aos que partiram ou resolveram partir antes do tempo. Mas não ignoro minha indignidade... minha vontade de gritar: "- Voltaaa!"
Lamento apenas.
E desejo que Deus segure a mão de todos...





quarta-feira, 2 de dezembro de 2009

** SoNhoS pReSenTes, SoNhoS pAsSadOs **


Taí um lugar que eu gostaria de ver pra crer. Por mais que eu veja fotos, leia sobre o assunto... o Egito sempre será um sonho impossível – por dois motivos – um lugar muito distante e por não achar que terei tanta grana assim para conhecê-lo.
Mas sonhos são sonhos.
Dá pra acreditar numa figura como as Pirâmides?
Fico tentando imaginar o povo que ali deu seu sangue (povo este já liberto e que levaram cerca de 20 anos para construir tal pirâmide, uma delas eh claro)... O que será que se passava na mente deles... Como era a vida deles... E na minha tosca conclusão tudo me parece tão comum, tão natural, tão meu. Em algum momento dessa vida, devo ter feito minha parada obrigatória por lá - espiritualmente falando é claro. Esse mistério que envolve essas terrinhas me suga, me chama. Porque senão, como explicar um amor tão profundo por um lugar onde o tempo se é imperador, rei absoluto e que nunca estive lá?.

As pirâmides de Gizé (esse é o nome correto) foram erguidas em homenagem ao Faraó Quéops (Khufu) do antigo Império e segundo Faraó da quarta Dinastia, sendo que para a construção das pirâmides foram utilizados dois milhões de blocos de granito, cada um pesando em média, duas toneladas e meia (PQP hein!). Vale lembrar que Quéops foi o responsável pela construção da maior das três pirâmides, a qual hoje mede 137, 16m – pois falta parte do seu topo e revestimento (mto bárbarooo). Sem contar que a maior pirâmide é revestida externamente com pedra calcaria polida, fazendo-a brilhar com a luz do sol, podendo ser vista a quilômetros de distância (mas parte desse revestimento foi saqueado há muitos anos, mais ainda no topo de uma das pirâmides, a Pirâmide de Quéfren existe tão brilho e ainda pode-se ser notado.
Não é por menos que as pirâmides são consideradas uma das sete maravilhas do mundo. Olha o trabalho... eu só queria conhecer o autor da arquitetura... dar meus parabéns a ele. Esse sim chamaria de ‘o cara’ porque realmente o foi. Porque creio que o Faraó poderá ter comandando a obra prima, mas jamais tê-la desenhado...

A pirâmide em si... era a construção mais alta feita pelo homem, sendo superada apenas pela construção da Torre de Lincoln (torre de uma igreja) a qual tinha 159 metros de altura, porem foi destruída. Sendo superada então, apenas pela inauguração da Torre Eiffel.

Ah, é muita história na veia para se contar... e particularmente adoro.
Queria apenas colocar minha simples mão numa das pirâmides... fechar meus olhos e viajar no tempo, em algum lugar de minha memória espiritual (vai que encontro alguma coisa né). Queria sentir a vibração que vem delas... sentir o sofrimento, as alegrias... Porque sou capaz de absorver isso... tenho plena certeza.

Mas já que não posso chegar aonde os ventos dos meus sonhos querem me arrastar... eu viajo por aqui mesmo... leio, releio, pesquiso... absorvo informações de uma terra tão conhecida, tão minha (um verdadeiro déjà vu eu diria).

Questiono apenas como podemos ter a certeza que estivemos em um lugar se nunca tivemos... Como conhecemos pessoas nunca antes vistas e mais... amamos este ser muito antes de que ela seja real em nossas vidas... é tudo tão estranho. E pra ser franca, não haverá resposta nunca. O ser humano não é capaz de desvendar o mistério do oculto... os propósitos de Deus.
Porque apenas “Ele” é quem tem nas mãos os pincéis para desenhar nosso destino... e os Anjos apenas sopram em nossos ouvidos um mundo já vivido... porem esquecido!

“O importante é ter a certeza que em outras vidas, os sonhos estiveram sempre comigo”.


By Jana