quarta-feira, 30 de dezembro de 2009


As cortinas de 2009 se fecham para mim. Final de uma longa temporada, final de mais um espetáculo – pois viver de qualquer forma é um espetáculo peculiar, só nosso.
Encerro o ano com gostinho agridoce.
Azedo no começo e adocicado no final.

Choros, sorrisos. Decisões importantes. Crescimento interior.
Alias cresço a cada dia quando meu pai celestial me permite modificar a linha do pensamento... quando me faz analisar, observar e modificar.
Não sou mais como antes. Pow, tenho 28 agora (risos)!

A cada ano da minha vida que sou obrigada a dar adeus, sinto que ganho muito mais em troca. Perco-me na nostalgia da infância, de minha saudosa adolescência, mas o que eu sempre quis mesmo era ser gente grande. Queria ser mulher, daquelas de tirar o chapéu, cheia de autoconfiança, segura de si, potente. Sim. Nunca pensei que fosse ser menos que isso.
Construí minhas próprias muralhas, cerquei-me de todos os lados. Mas é inevitável não ser atingida vez ou outra... Pois mulheres com “M” maiúsculo dependem de um coração mole para sobreviver (eis uma grande verdade). E ao permitir que o encontre... mostramos mesmo que somos apenas seres carentes de amor, de proteção, confiança e de paixão. No fundo somos meras meninas desprotegidas onde certas escolhas nos roubaram boa parte dos sonhos.

E sonhos foram os que eu mais desenhei nesses 365 dias – faltou-me certo fôlego para lhes dar vida, apenas isso. Mas ainda estão aqui intactos e guardados como tesouros e terão vida futura sim.

A promessa da vez, para 2010 é não planejar nada. Vou ficar quietinha esperando as promessas dos céus. Pois sei que Deus olha por mim sempre. Sempre aqui comigo, meu amigo, meu pai, minha busca maior e razão por todos meus suspiros e indagações.
É seu colo que me acalenta, me faz adormecer em paz e acordar disposta a encarar as surpresas por detrás de uma bela manhã.

Aquele sabor doce que minha alma procurava foi encontrado.
Provo dele a cada dia e não me canso. Estou feliz.
Os percalços são aprendizados que meu espírito escolheu como lições de vida. São coisas que tenho que passar e pagar certo preço. Coisa justa.

Choro de cansaço sim.
As cordas da minha vida que seguro firmemente vez ou outra machucam minhas mãos, as fazem sangrar e me desespero... mas é coisa passageira, momentos de insegurança eu diria. Penso em soltá-las, desistir (ei sou humana), mas minutos depois do nada me vejo numa boa, como se as feridas e a batalha de segurar firme até o fim não fossem nada pra mim.
Só momentos. Uma hora você explode, mas basta encher os pulmões de ar que tudo se renova. Forças brotam como nascentes e esperanças se mostram sempre presentes.

Sou assim. Um misto de tudo.
Apenas mais uma a pensar com o coração como tantos outros.
E para aqueles que não o sentem... desejo que em 2010 botem a mão no peito e sinta o leve pulsar da vida. Um tum-tum suave. Sem pressa, que acalma e tão cheio de mistério.
Quero apenas que viva!

“Feliz AnoOo Novo”
Viva diferente...

By Jana

quarta-feira, 23 de dezembro de 2009

** With all my heart **


Ando tão sem palavras ultimamente. Nessa época é sempre o mesmo sentimento... tenho vontade de sair de mim e retornar apenas quando as festas terminarem.
Ano novo batendo na porta e eu me desprendendo do que já se foi... que não verei mais, que não sentirei mais. O passado tem uma força incrível. Ele nos trás as lembranças, mas as sensações idênticas jamais. É tudo diferente no futuro. Se chorei, se amei antes, o amanhã trará tudo novo... nada é igual.
Sentirei saudades do que foi bom... das boas emoções, de todas as vezes que sorri de peito aberto, das pessoas, dos momentos... mas agora é hora de guardar tudo dentro do coração, fazer virar recordações daquelas que só de lembrar dói a alma...

Continuo feliz. Ao extremo.
Cada dia mais e mais...
Como se todas as coisinhas negativas que sou obrigada a vivenciar, fossem agora apenas nada... Diante da felicidade monstro que sinto... Gigantesca mesmo.

A paixão agora está mais serena...
Aquela coisa boa de se curtir...
Como se estivesse de férias, deitada numa rede, sem nada na mente... só viver.
Sem pressa, sem preocupação, sem euforia... Apenas acompanhando o leve pulsar do coração... em paz com tudo e todos.
Claro que quando sinto seu perfume no ar, ainda sinto aquele vulcão dentro de mim... tudo acelera... tudo queima, a voz não sai... tenho a impressão que vou deixar de viver ali mesmo... e isso ainda continua quando pára em minha frente com aquele sorriso escancarado... me abraça forte e diz que também foi escravo da saudade em nossas ausências.

Ah, isso é sim um oásis para minha alma tão cheia de fome e de sede...
Agora sim vivo direito. Porque eu me completo, eu me acho sempre quando me vejo na menina dos olhos dele... Estou lá... sorrindo...

E a vida tem novo sentido... E que sentido!


By Janynha

sexta-feira, 11 de dezembro de 2009

** TuDoOo ReNasCe a CaDa ManHã **


O sol amanheceu em mim...
Acordei zonza, tudo rodando... mas depois vi a tremenda tempestade interior indo embora.. Foi aos poucos me abandonando...
Correnteza de sentimento invadiu meu ser. Inundou tudo. E disse então adeus à fragilidade instantânea, pois se amo... sou uma fortaleza... e não permitirei ser abalada por qualquer temor...
É o hoje que me importa, afinal estou vivendo-o intensamente.
Guardo os medos, as angustias. Saberei me cuidar se tiver um dia que escorregar na ponta do abismo, mas não vou pensar nisso não.

A paixão existe para desestruturar meu cotidiano, para me fazer nova a cada dia.
Se eu era assim ou daquele jeito, hoje sou diferente. Penso com o coração... e esse aí me leva a lugares nunca antes habitado... paisagens... brisas... felicidade.

Só quero você paixão!
Não há nada no mundo que possua tamanha importância ou que eu dê tanto valor.
Um misto de amor, proteção, suavidade... de paz.

Recebo em troca palavras de amor...
E elas me preenchem de tal forma que nem sei explicar, apenas me fazem sair de mim... flutuar por minutos...
Um vôo rápido... mas que alcança meu eu interior com toda facilidade e me acalma.

Estou bem agora.
Dona de mim outra vez.

Quero apenas que os minutos passem depressa e que o vento me leve até onde ele estiver.
Que derrube minha imunidade e me faça se entregar como tantas outras vezes.
Sentir o seu cheiro... seu gosto... Anestesiar-me com seu sorriso solto...
Amanhecer nos seus braços... Perder-me no seu calor...
Porque somos um quando amamos
Nossas almas se reencontram... como no velho tempo perdido para serem felizes no hoje, no agora.
Os destinos cruzam-se...
Enlaça nossos corações e nos faz felizes.
Torna-se enfim realidade nossos sonhos!

quinta-feira, 10 de dezembro de 2009

** MomEnToS **


As palavras estão entaladas hoje na garganta... como se não houvesse sentido colocá-las para fora. Estou me sentindo ausente. Um misto de carência, agonia e pressentimento. Estranho!
Estou bem. Mas a necessidade de sair correndo sem rumo, me esconder num quarto escuro, tapar meus ouvidos e ouvir só a minha respiração é grande. Acordei triste, isso sim. Mas na verdade nem sei porque.
Senti um medo do sonho se desfazer...
Senti medo de perder novamente.
É como se isso a qualquer momento fosse acontecer.

Não tenho como retornar pelo caminho que fui deixando para trás. Eu subi o morro... e ele é alto demais. Fui além. E só eu sei a proporção desse sentimento.
Ignoro o medo sempre que posso. Aprendi a controlá-lo. Mas não sou imune as minhas reações emocionais, tão presentes ao longo desta vida.
Sinto-me adocicada pela felicidade, mas hoje eu me lembrei do amargo.
Então me calei.
Não tenho argumentos para me defender disso. Não sou forte o bastante.
Sou como sempre. Sensível e vulnerável a dor. Pelo menos estou me sentindo assim nesse momento.

Detesto enxergar as coisas com os olhos espirituais. Pressentir. E ter que esperar. Sem poder fazer nada é o pior dos dons.
Minhas veias estavam intoxicadas das substâncias: ‘dopamina, feniletilamina e ocitoxina’ as quais estavam me entorpecendo de bem estar e uma euforia sem igual. E agora onde elas estão?? Me deixaram em crise isso sim, quase uma abstinência emocional. Sei que estou feliz, mas hoje... hoje é como nunca tivesse sido. Vivo o sonho diariamente, mas hoje... hoje cai num buraco escuro ou ao menos tropecei.
Estou confusa, não sei se rio ou se choro. Melancólica – culpa da TPM – é... pode até ser.
O fato é que quando me sinto assim, sei que preciso de colo.
Preciso respirar essa paixão profundamente e deixar que ela devolva meu sorriso. Dependo do seu toque para me sentir feliz de novo... e me encontrar nesse escuro!

Isso vai passar, tenho certeza disso!
Bjux

sexta-feira, 4 de dezembro de 2009

** QuEiRa VivEr **


Li os jornais hoje.
Mortes, suicídios.
É horrível saber que uma pessoa tirou sua própria vida do caminho.
Já tive momentos em que achei que não iria suportar... que se a morte se adiantasse seria um alivio, mas olha como pensei errado. Eu lutei. Fui a fundo e algo em mim (que chamo de força divina) foi bem maior que toda tristeza que estava disposta a roubar-me a vida.
Sem contar que minha crença abomina tal situação, mesmo ela sendo uma atitude individual, de livre arbítrio... um ato deliberado de extinguir a própria vida. Sou contra.

Sou a favor da vida. Da luta, da guerra pessoal e em se obter uma vitória satisfatória contra si mesmo. Nada melhor que vencer medos, frustrações e problemas que mais parecem furacões, tsunamis em grande escala.

Há os que tiram a vida para se tornarem história (por ex caso do Getúlio Vargas, etc, etc). Há aqueles que querem apenas sair de uma situação desesperadora, de grande sofrimento, julgando-se incapazes de ter esperanças. Há os que dão fim a vida, apenas por darem. Sem motivo aparente, sem razões (alem de suicidas, são loucos isso sim).

Sabe aquela velha história de que damos aos nossos problemas o tamanho que queremos??
Sim, isso é verdade!
Se olharmos para ele e enxergá-lo pequeno... Será pequeno – sei que é fácil falar quando não se está sentindo na pele – Sei disso. Mas se deixarmos que ele fique grande.. ficará... tomará conta de tudo... e não haverá armas para se lutar contra.
Para mim, a solução está na fé, no querer, no acreditar.

Posso estar me afogando em lágrimas, mas sei que a luz divina virá ao meu encontro. Isso se chama “Esperança”. Tenho uma plantação dela aqui dentro do peito. E todos os dias cuido com carinho.
Problemas... ah, todos os temos. Grandes, pequenos, de médio porte. Mas convivemos com eles. Pedimos aos céus para que essa convivência seja harmoniosa. Que saibamos lidar, controlar... e resolver.

É pura falta de juízo desistir dessa vida tão bela. Dessas cores lindas que encontramos no céu azul infinito... no profundo do mar, no verde vivo das árvores... no brilho dos olhos de um ser igual ou não. Tudo que existe aqui desse lado tem sua vida especial. O outro lado deve ser interessante também, mas não me arrisco a descobrir agora suas reais belezas. Prefiro deixar pra depois, na hora certa... e quando Deus decidir.
Pelo que li... o suicida torna-se um ser vagante, arrependido... e seu sofrimento é ignorado até que chegue seu momento certo. Morre-se pela vida e vive-se pela morte. Vai entender.

Até mesmo nos meus piores momentos, fui a favor da vida.
Mesmo que ela perca momentaneamente sua cor... eu serei a seu favor. Porque a vida está em mim, pulsando... gritando: "Ei estou aqui!"

Deixo meu respeito aos que partiram ou resolveram partir antes do tempo. Mas não ignoro minha indignidade... minha vontade de gritar: "- Voltaaa!"
Lamento apenas.
E desejo que Deus segure a mão de todos...





quarta-feira, 2 de dezembro de 2009

** SoNhoS pReSenTes, SoNhoS pAsSadOs **


Taí um lugar que eu gostaria de ver pra crer. Por mais que eu veja fotos, leia sobre o assunto... o Egito sempre será um sonho impossível – por dois motivos – um lugar muito distante e por não achar que terei tanta grana assim para conhecê-lo.
Mas sonhos são sonhos.
Dá pra acreditar numa figura como as Pirâmides?
Fico tentando imaginar o povo que ali deu seu sangue (povo este já liberto e que levaram cerca de 20 anos para construir tal pirâmide, uma delas eh claro)... O que será que se passava na mente deles... Como era a vida deles... E na minha tosca conclusão tudo me parece tão comum, tão natural, tão meu. Em algum momento dessa vida, devo ter feito minha parada obrigatória por lá - espiritualmente falando é claro. Esse mistério que envolve essas terrinhas me suga, me chama. Porque senão, como explicar um amor tão profundo por um lugar onde o tempo se é imperador, rei absoluto e que nunca estive lá?.

As pirâmides de Gizé (esse é o nome correto) foram erguidas em homenagem ao Faraó Quéops (Khufu) do antigo Império e segundo Faraó da quarta Dinastia, sendo que para a construção das pirâmides foram utilizados dois milhões de blocos de granito, cada um pesando em média, duas toneladas e meia (PQP hein!). Vale lembrar que Quéops foi o responsável pela construção da maior das três pirâmides, a qual hoje mede 137, 16m – pois falta parte do seu topo e revestimento (mto bárbarooo). Sem contar que a maior pirâmide é revestida externamente com pedra calcaria polida, fazendo-a brilhar com a luz do sol, podendo ser vista a quilômetros de distância (mas parte desse revestimento foi saqueado há muitos anos, mais ainda no topo de uma das pirâmides, a Pirâmide de Quéfren existe tão brilho e ainda pode-se ser notado.
Não é por menos que as pirâmides são consideradas uma das sete maravilhas do mundo. Olha o trabalho... eu só queria conhecer o autor da arquitetura... dar meus parabéns a ele. Esse sim chamaria de ‘o cara’ porque realmente o foi. Porque creio que o Faraó poderá ter comandando a obra prima, mas jamais tê-la desenhado...

A pirâmide em si... era a construção mais alta feita pelo homem, sendo superada apenas pela construção da Torre de Lincoln (torre de uma igreja) a qual tinha 159 metros de altura, porem foi destruída. Sendo superada então, apenas pela inauguração da Torre Eiffel.

Ah, é muita história na veia para se contar... e particularmente adoro.
Queria apenas colocar minha simples mão numa das pirâmides... fechar meus olhos e viajar no tempo, em algum lugar de minha memória espiritual (vai que encontro alguma coisa né). Queria sentir a vibração que vem delas... sentir o sofrimento, as alegrias... Porque sou capaz de absorver isso... tenho plena certeza.

Mas já que não posso chegar aonde os ventos dos meus sonhos querem me arrastar... eu viajo por aqui mesmo... leio, releio, pesquiso... absorvo informações de uma terra tão conhecida, tão minha (um verdadeiro déjà vu eu diria).

Questiono apenas como podemos ter a certeza que estivemos em um lugar se nunca tivemos... Como conhecemos pessoas nunca antes vistas e mais... amamos este ser muito antes de que ela seja real em nossas vidas... é tudo tão estranho. E pra ser franca, não haverá resposta nunca. O ser humano não é capaz de desvendar o mistério do oculto... os propósitos de Deus.
Porque apenas “Ele” é quem tem nas mãos os pincéis para desenhar nosso destino... e os Anjos apenas sopram em nossos ouvidos um mundo já vivido... porem esquecido!

“O importante é ter a certeza que em outras vidas, os sonhos estiveram sempre comigo”.


By Jana

quarta-feira, 25 de novembro de 2009

** CoNtRaRieDadE **


Estou chateada agora.
Por que será que ser feliz incomoda tanto?
Não acho que seja ‘ridículo ser feliz’ e muito menos se mostro isso com palavras e atitudes.
Mas há os que pensam ao contrário. E aqueles que falam as coisas para machucar... Poxa, e essas pessoas são justas as que a gente menos se espera... Aquela que menos suponhamos que vai lhe dar uma rasteira...
Talvez o melhor seria manter meu silêncio absoluto para preservar meu estado de espírito já que ele incomoda tanto assim...
Não tenho problemas com opiniões ou sugestões contrárias. Mas também não posso ser hipócrita a ponto de ignorá-las. E se me fazem mal então, sou realista e estampo isso no meu rosto. Natural.

Sempre quis viver um conto de fadas. Sempre disse isso aqui. Sou mesmo daquelas que se esconde em um espelho... me faço de forte... me cerco de minhas muralhas... mas na verdade sou autêntica aos meus sonhos e fantasiar sempre foi minha diversão predileta. Sonhei sim com um príncipe encantado... o procurei... e o tempo me fez desistir... Mas agora é diferente... eu o encontrei... Sim, encontrei. Mesmo que tudo se acabe ou que tenha prazo de validade... um dia... um mês... um ano – não importa – o que vale pra mim de fato são os momentos que vivi intensamente, aqueles que fui feliz...

E se fui ridícula em ver o mundo de cores diferentes, isso é problema meu.
Porque meu mundo agora está brilhando com cores vibrantes... está cheio de fantasia... está transbordando de coisa boa, sentimentos bons e puros. É... eu ainda posso sentir isso. Não me importo se incomodo.
Há os que mantêm os olhos na verdade... E há os que vivem uma mentira diária.
Não posso alterar a visão de ninguém.
Posso e devo seguir minha vida... Sorrir apenas pra ela ou por ela...
Já chorei muito, em longos períodos. Cansei dessa amargura.

A realidade se confunde com a magia. Ofusca os carentes de amor. Causa-lhe rancor.
Mas não fique assim, uma hora o sonho encantado te pega de jeito...
Bagunça tua vida...
Faz-te ridículo (a) como eu.
E sejamos felizes ridiculamente... Porque o amor, Ah... Esse tem cor... Tem sabor... E poder para que monte o seu próprio castelo... De areia ou de concreto... Não importa...

Apenas seja feliz como for!


Besos
Janynha
************************

P.s.; Ao meu então amigo Duda e minha querida Lulu rogo a Deus paz e conforto... essa tempestade passará... e o castelo de vocês voltará a ter as belas flores de sempre... Viva Duda... viva intensamente... é o que esperamos de vc... Adoro vocês!

terça-feira, 24 de novembro de 2009

** SeJa IntEnsOo **

Intensidade é um grau elevado.
É viver como se a cada manhã fosse a ultima de sua vida.
É fazer as coisas com o coração, de peito aberto... sem se preocupar com o minuto seguinte, com os pensamentos contrários.
Intensidade é um estado de espírito... É ficar em êxtase por longo período.
Posso me considerar intensa.

Somos intensos quando amamos...
Quando odiamos...
Quando sorrimos...
Somos intensos quando nos sentimos vivos, mas da maneira completa, do jeito certo de ser e não pela metade.
Há pessoas que vivem pela metade (puts quantas vezes vivi assim).
Amam pela metade... são felizes pela metade... entregam-se pela metade.
Talvez devido a um trauma, uma dor ou sei lá o que...
Talvez por realmente não saberem viver.

Eu ainda não sei de tudo. Mas chutei o balde em relação as minhas próprias reservas, principalmente as de ser feliz...
Diversifico-me sempre que posso e o resultado está sendo positivo. Sou várias em mim.
Sou intensa.
Sou eu mesma e em outras me escondo, afinal não dá pra ser transparente o tempo todo diante de um mundo tão incompreensível – alias - a mente alheia é incompreensiva. É cruel nos julgamentos, mata sua felicidade e a minha.
Mas não me importo.

Sou intensa porque vivo apenas minha vida.
Meus estados de espíritos são presentes para cada emoção. Nunca falham.

Hoje estou mais feliz que ontem...
Sinto o calor das emoções pulsando intensamente em minhas veias.
O que me falta?
Absolutamente nada.
Tudo que procurei com a alma encontrei nesse momento.

Ganhei de presente um coração novo.
Um coração intenso.

P.s.; trinta dias de felicidade não é mole não minha gente!!! Obrigadaa Paixãozonaaa da minha vida... estar com você é tudo de mais intenso pra mim.

Besos e + besos





domingo, 22 de novembro de 2009

** O VerDadEiRo SenTidO ReTorNa**


Eu disse que ia ser difícil não disse?
E cada hora que se passou foi torturante...
O chão sumiu... O céu escureceu... E a chuva molhou minha alma...

Gosto de tomar chuva quando estou triste (sem chapinha é claro). Parece que ela leva qualquer emoção... tudo vai para o ralo mais próximo... e me deixa anestesiada... fora de si...
Saudade não tem tradução e por mais que eu queira expor aqui... Deliberadamente eu não consigo.

Parte de mim está por aí... Uma boa parte, talvez a mais necessária...
Nada que eu faça me rende algum retorno positivo...
Nenhuma pessoa consegue me fazer sorrir daquele jeito...
E meus olhos nesses dias estão negros... Perceptíveis apenas para os mais sensíveis...

Disse que era assim não o disse?
Eu sou profunda ao extremo quando quero...
Sou eu... a velha de sempre mas que guardada a sete chaves...
E minha chave está por aí...

Eu a encontrei e por alguns dias o vento a levou de mim!
Dias insuportáveis.
Horas que se arrastavam.
Lembranças que maltratavam.

Só me restou a saudade.
Porque as certezas eu já as tinha. Absolutas. Imponentes.
E como todo amor, precisa de solidão para se alimentar... eis que o meu... está saciado.
Chega dessa tortura!

Quero-o de volta aqui...
Minha felicidade desenhada em um único ser.

Dei uma espiadinha rápida lá fora e me surpreendi... O céu está azul mais uma vez...
É a felicidade retornando para casa...
A história vai continuar... com ele, comigo... com nós...
Nada de deixar para depois... se o hoje nos empurra ao nosso mundo...

Se achegue minha paixão!
Não suporto mais ficar Sem Você.


by Janynha
17:36h

quinta-feira, 19 de novembro de 2009

" AoNde EsTá Vc aGoRa, aLéM de AqUi DeNtRo d Mim"


Te ver partir não vai ser nada fácil... é eu sei bem...
Ficarei aqui, eu e minha saudade absurda... porque essa aí é latente... Pulsa junto com meu coração, não dá pra ignorar. Pôw ela existe!

Mas também se não fosse por ela meus olhos não brilhariam... eu não sorriria... não sentiria esse desejo louco de estar com você. Sinto saudade ainda mesmo quando está comigo. E procuro congelar na lembrança cada momento... cada toque... cada encontro de almas... Tudo está eternizado em mim.

Será à distância a culpada dessa vez e não a saudade.
Culpo os quilômetros, os lugares longes onde não posso ir.
Estou nostálgica. Essa é a palavra certa para expressar meu eu interior e exterior.
Do que me adianta sorrir se você não vai ver... do que me adianta acordar de manhã e saber que me sinto só? Não adianta nem se esforçar, pois haverá sempre alguma coisa que me trará seu perfume... que me fará ver seu olhar... que me fará sentir sua presença impregnada...
Na real, não quero nada.
Quero ficar quietinha num quarto escuro até o seu retorno. Era assim que fugia da realidade quando era criança, era assim que superava meus medos.

Mas...

Meu ponto de luz... você estará nas estrelas, no brilho da lua, não estará???
Sei que estará. Você me disse... Prometeu... E estaremos juntos.

Devolvo-te por hora ao seu mundo, mas saiba que estarei contando os segundos para que volte a iluminar o nosso...
Aquele onde não há intrusos... Onde não há tristezas e nem choro...
Há amor infinito, amor colorido...

É ele quem vai cuidar de mim na sua ausência. É ele quem vai alimentar meu ser...
E fazer com que todos os dias amanheça um dia lindo e me faça esquecer e viver...
... Apenas por você!


"A saudade é a nossa alma dizendo para onde ela quer voltar".

By Janynha

sexta-feira, 13 de novembro de 2009

** SaBiA Q ChEgAriA **


O tempo passou pra mim depressa...
Pra você ainda não!
Ele me trouxe algumas flores a mais
E pra você não!

Fez com que eu tivesse mais horas de vida
E pra você ainda não!

Fui do Oiapoque ao chui...
Nasci, cresci... vivi...
E nada de você ainda...

O destino foi implacável..
Trouxe tantas coisas pra mim...
E pra você, está te entregando agora...
Pouco a pouco o doce da vida...

Não quero que sinta o dissabor...
Ou que conheças o amargo...
Poxa, quero que sua vida seja sempre um jardim
Lindas flores... perfumes suaves...

Já que vim antes de ti...
Tenho a obrigação de segurar suas mãos...
De te proteger do sol.. da chuva.. do vento...
Porque mesmo sem saber, já fazia parte de mim...

Hoje você está aqui...
Está por aí...
Está ali...

Por toda parte que olho,
Lá está você...
Talvez porque nunca tenha saído de dentro de mim...
Talvez porque estivesse adormecido nesse tempo todo de cruel ausência que senti...
Mas sempre aqui.

Amei você esse tempo todo
E esperei chegar...
Esperei sua vez...

Porque quando olho pra você, não existe tempo!
Existe sentimento
De outras vidas e de toda saudade contida...

Agora é hora apenas de ser feliz...
Pois te reencontrei,
Minha vida!


P.s.; O que será que está acontecendo comigo meu Deus!!! Que isso seja transbordado, porque estou mesmo muito feliz... Abençoados momentos.

By Janynha

quinta-feira, 12 de novembro de 2009

** ApEnAs MeUuu **


O que escrever quando se está anestesiada de alegria?
Quando as emoções são tão fortes e verdadeiras a ponto de me deixarem sem palavras!
Acho melhor não dizer nada... Para que não seja despertada a inveja alheia....

As nuvens cinzas então ao longe... daqui ainda posso vê-las, mas perderam as formas bizarras...

Não há fórmula, manual ou explicações para se sentir feliz. Porque a felicidade não é densa, não tem cor e nem cheiro... Ela é o vento suave no rosto... É a batida do meu coração descompensado... É meu sorriso... e meus gestos desajeitados...

Sinto-me diante de cristais que ofuscam minha visão, que ao se tocarem me envolvem numa melodia graciosa... e seu brilho, irradia minha alma. Sinto-me tão fora de mim!
Estou melosa... (risos) ... isso eu tenho plena certeza.
To feito os poetas que vivem de amor...
Estou estagnada de paixão!

E eu precisava de tão pouco!
E Deus me deu esse presentão (grande mesmo kkkk)...

BesoOoo
Janynha



terça-feira, 10 de novembro de 2009

"DiviSõeS"


“Somos seres vibracionais e, portanto, emitimos energia. Essa energia vibra em diferentes freqüências e se liga a pessoas e acontecimentos que estejam na mesma sintonia. Portanto, pensamentos positivos atraem fatos positivos”

Hmmm preciso urgentemente encarnar a frase!
De ontem para cá, o tempo fechou... e como detesto nuvens cinzas, tratei logo de correr... Mas não adiantou, fui pega no caminho...

To apertada aqui num cantinho... e esses raios me assustam cada vez mais (como detesto me sentir acuada meu Deus!). Por que será que justo pra mim não consigo ver nada claro... Só sinto medo... medo...
A felicidade anda me deixando em choque, isso sim.
Chego a ter medo dela... E até chorei pedindo para que não me abandonasse...
Eu quero conhecê-la... usufruí-la... tê-la... amá-la... Quero que permaneça em mim, todos os dias... Cada segundo do meu tempo.

Nada me adianta se tenho que subir a montanha com tantas malas, as quais chamo de experiências... Se no meio do caminho eu irei me cansar e terei que seguir sem elas (Se é que pretendo chegar até o topo sem me sentir muito exausta).
Porque na minha percepção as experiências não contam quando surge algo novo...
As experiências são apenas experiências... Meras conclusões boas ou ruins de fatos passados.
Mas a maldade humana está aí. No julgamento precoce. Na ilusão de se criar barreiras para aqueles que a vida resolveu fazerem felizes (com malas ou sem malas).

Não vou dar muita importância ao mundo não, acabei de crer...
Vou viver... Me libertar desses fantasmas que não me servem de nada e não acrescentam nada na minha vida.

A única coisa que me importo é essa tal felicidade... Não perdê-la... Não desisti dela... e muito menos deixar que ela passe... pra nunca mais voltar... isso jamais!


Besos
Jana







domingo, 8 de novembro de 2009

** SeM FrOnTeiRaS **


De repente o conto de fadas se faz real...
O destino entrega nas minhas mãos algo inesperado, de supetão.
Como não aceitar e não gostar logo de cara?
Se é tudo como pintei trilhões de vezes na minha memória vazia...
Sonhos iam e viam,
Mas ser feliz mesmo eu não sabia...

Soube que bastaria acreditar, mas já tinha matado as esperanças uma a uma
Devido à demora do tempo chegar...
Meu romantismo havia sido arquivado na memória... Numa caixinha simples, guardada num canto qualquer do meu ser...
Eu estava lá com ela... Sempre nas angustias... E mesmo assim não queria lembrar.

Ah! Pra que lembrar que já fui doce,
Apaixonante, vidrada no amor e na emoção...
Lembrar que tinha o sorriso sincero e o coração sem riscos...
Por isso eu corria dessa caixinha... e assim a deixei esquecida...

Mas alguém chegou...
Preencheu as lacunas
Tomou posse de mim sem permissão
Tirou-me da minha própria caixa e continua segurando minhas mãos...

Não sinto medo se amanhã tiver que escrever linhas tristes novamente...
Eu só tenho medo de não saber viver o momento direito...
Mas desde já, penduro as chuteiras do medo... Quero ser feliz... Nem que seja apenas agora ou um pouco amanhã...
Vou bebendo essa alegria aos goles, pouco a pouco, para que o sabor permaneça em minha boca, para que o vento traga o perfume suave da felicidade...
Afinal não posso vê-la, mas posso senti-la (...)


“Todos temos que ter um amor pra recordar”

By Jana

sábado, 31 de outubro de 2009

** EsSa eH pRa vC S2 **


A luz do dia desperta minha alma...
Ela já não dorme direito
Com medo de perder cada momento...
Fica aqui, inquieta como se quisesse ser a dona do destino.
E com seu próprio punho escrever sua história.

O gosto da felicidade é doce.
E minha alma está sedenta...
Ela está sorrindo... hmmm ... Juro! Eu estou vendo.

Sentada no ontem eu desenhei o hoje...
Eu rabisquei, eu tentei fazer o melhor...
Muitos papéis amassei,
Afinal não queria uma coisa qualquer...
Queria o melhor.
Queria um coração feito o meu.

Ele está lá.. está aqui... e onde mais olho se faz presente...
É um coração de cristal
E chega a ofuscar de tanta beleza...

A miragem pelo menos sai do surreal.
É simples verdade.
Uma realidade palpável e sentida a todo instante.

Encontro de almas perdidas eu diria!
Talvez seja por isso que estejam tão felizes.
E nesse mundo absoluto e só delas, o amanhã não existe...

Do que me adianta o ‘lá fora’, se o ‘aqui dentro’ é pura magia?
Daqui posso ver coisas que achei que nunca mais as veria...
Vejo o coração de cristal e me reflete alegria...
Por agora, é tudo que sonhei um dia...

By Janynha



quarta-feira, 28 de outubro de 2009

S2 FiQuE pArA sEmPrE S2


Puts... Nada como um dia após o outro!
Há uns dias estou adiando escrever algo que desde a última sexta-feira (bendita, diga-se de passagem) deu um toque especial em minha vida...
Um toque que nunca tinha vivido... um toque de azul, rosa, amarelo, vermelho e todas outras cores que nem me cabe citar. É como se tudo ganhasse outras formas, como se tivesse sido atropelada por uma avalanche de sentimentos bons e inesperados.

Alguém especial entrou aqui dentro...
Trouxe-me alegria, paz e um estado de êxtase de felicidade. Ele é tão perfeito, tão meu...
Será que Deus ouviu minhas preces nesses momentos de solidão que sempre tive?
Se não foi, porque então sinto que encontrei o que sempre procurei?
Porque estou assim tão ausente do meu mundo e me sentindo tão bem?

Realmente não dá para se explicar o inexplicável. Não dá aqui pra sair correndo e chorar de felicidade. Estou sendo egoísta, querendo tudo pra mim na mais reserva possível. Quero acreditar, se entregar e que se dane meu medo. Sim porque ele existe.

Quero ignorar outras histórias e viver intensamente apenas essa. Como se fosse o começo de tudo, como se nunca tivesse provado o amargo... Poxa, me preparei tanto pra isso, fiz tantos planos. Mas o problema maior era não conseguir encaixar a peça certa no meu quebra-cabeça e para minha surpresa, se encaixou.

Embora eu tenha moldado meu coração, mas uma vez ele segue seu rumo sem minha mera autorização... bate, pula, vibra... Está alucinado. Mas como viver sem ele (meu coração) se preciso de sua força incansavelmente?
Não dá. Vou aonde for, sentirei o que quiser sentir.
Nada importa mais. O que me importa pra valer é viver...

E seja o que Deus quiser!


By
Janynha

quarta-feira, 21 de outubro de 2009

** S2 DeCiDa-Se S2 **


Coração em desatino...
Não sobrou nada de ontem, nem de anteontem e quem dirá do amanhã!
Fala-se o que sente ouve-se silêncio. Isso bastou pra mim.
Pois o silêncio é pior do que qualquer afronta ou palpite ou um talvez.

Silêncio é silêncio. Vazio e profundo.
Mas como não machucar algo se tudo que se toca é feito vidro em pontas?
Quando dei por mim, as palavras estavam no ar. Algo que queria fazer, mas que também
Não se tinha noção da proporção.
Achei que não fosse doer, mas doeu.
Achei que nem ia ligar, mas no fundo dos olhos, a decepção estava lá.

Intacta, como se tivesse raiz.
Fincou em você, ficou em mim.

Nada posso fazer, se ainda não sabes da tua vida.
Nada posso ser se realmente não tenho espaços pra isso
Tudo será Nada quando o final chegar sem pedir licença, sem mencionar...

Vejo-te partindo, mas minhas forças estão ausentes e nem sei mas
Se querem que fique ou se vá.
Nada tem sentido
Nem mesmo te manter aqui.
Já nem sei o que é favorável e o que não o é.

As lembranças não trazem nada do que era.
Não trarão também seu sorriso quando eu menos precisar.
Não haverá mais sentimento, porque o meu encontra-se em COMA.
Está definhando aqui dentro de mim, pouco a pouco, como se estivesse em um conta-gotas.

O pior é que mesmo que me importe, eu não ligo.
Escorre pelos dedos, mas e daí?
Fui alem do horizonte, chutei pedras e voltei em si.
Nada valeu a pena e agora quer que valha?
Tarde não acha?

Decido ficar parada. Sem ventos, sem chuvas.
Absorvo esse silencio desumano.
Mudo-me de volta em/pra mim!



terça-feira, 13 de outubro de 2009

· ··^v´¯`×) PerCa-sE, mAs SobReviVa(×´¯`v^·· ·


Qual o valor de uma perda e como cada ser a encara... Se de peito aberto ou luta-se até o fim com a armadura do não aceitamento?
Na verdade tudo que se escorre entre os dedos é penoso e doloroso e mesmo aceitando a triste realidade, aquilo – a perda – é extremamente chocante para os pobres de espírito.
Os poetas retratam bem uma perda, ainda mais se for a de um grande amor. Ela dói, queima, sangra, dilacera e machuca, nos levando a uma espécie de transe meio que banal: “Viver ou Morrer”!
Mas todos sobrevivem.
Não dizem que o tal tempo é um remedinho mais potente que a própria morfina?
Sim, eis ai um consolador das angustias sentimentais mais que fiel. Melhor mesmo é declarar o tempo como seu procurador, o qual fará tudo em seu nome. Ainda mais quando achamos que mesmo vivos e perambulando por caminhos desconhecidos, nos encontramos numa espécie de ‘coma-profundo’.

Perde-se tudo nessa vida com tal velocidade a qual se ganha. Perde-se os anos (os melhores diga-se de passagem), perde-se os amigos, perde-se os sonhos, pessoas queridas, oportunidades e amores... como conseqüência adquirimos seqüelas e traumas que nem mesmo o melhor dos analistas, terapeutas e demais profissionais da área conseguiriam nos devolver.
Pior mesmo é quando se perde a noção da vida no sentido de ‘não sei quem sou, onde vou e porque estou aqui’ (isso deve ser horrível). Viver por viver, deixando que o destino monte sua história é torturante. Sempre acreditei que o destino nós mesmos o colorimos e damos forma... Se optamos pelo preto e branco tudo sai conforme nosso desejo, nada é alterado mediante a falta de vontade de ser melhor.
E meu desejo, caro amigo, é o de não perder lágrimas, sorrisos, alegrias e minha ganância em ser feliz. Isso quero intacto dentro de mim!
Quero perder tudo o que me faz mal, me faz perder o sono e me deixa triste em meio a um vazio tedioso.
Aceito perder o que nunca tive, talvez não vá ferir tanto quanto penso... A questão X é aceitar, encarar e mudar.
Assim ganho novas possibilidades. Pois há uma nova visão se estabelecendo no horizonte...
E os poetas que fiquem com a dor e se danem!!!

By Janynha


P.s.; Dedico esse texto a minha grande amiga “Iara” (Sua existência é maior do que qualquer perda, pense nisso e viva apenas por você!).

quinta-feira, 8 de outubro de 2009

—(•·÷[ApEnAs MulHeReS]÷·•)—

Engraçado como nós mulheres nos identificamos. Hora esbarramos com uma com a mesma história de vida (até mesmo pior), hora esbarramos e dividimos os próprios medos, crescimentos e ainda por cima tentamos amenizar o coração daquela que ainda não evoluiu como deveria... poxa, além de concorrentes em alta, somos solidárias!

Apesar de toda modernidade, concordo quando ouço por aí que ainda somos ‘antigas’. Sim somos sim. Vejo por mim... A independência é uma meta excêntrica, mas um vício necessário que traz benefícios imaginários ao ego de qualquer uma. Não vou negar que sair sem rumo, gastar seu próprio dinheiro, carregar as chaves da sua própria casa sem compartilhá-las e outras coisitas mais me fazem um puta bem... Ao longo da trajetória me tornei individualista demais (mas nas coisas relacionadas à boa convivência HOMEM X MULHER é claro). Não acho que preciso de um homem para me manter, para me sustentar ou até mesmo para me ditar isso ou aquilo. Homem para mim é um complemento. Existem para somar carinho, amor, atenção, sonhos e não necessariamente grana.

A maioria da ala feminina pensa assim, mas não agem como tais. Até parecem que sentem prazer em ser contrarias e até mesmo acho que se submetem a frase tosca de que somos sexos frágeis apenas para se sentirem realmente como bonecas de porcelana. Mulher tem disso, tem dessas frescuras quando menos se precisa. Gostam de perder a autoconfiança, gostam de perder a personalidade em cada esquina por banalidades. Quer ver uma mulher perder as estribeiras é quando uma se apaixona – ah, quando isso acontece estamos dentro de um poço com águas sujas – nada se vê, mas tudo se é possível conforme nosso menor e mais bobo sonho de romantismo.

Há também o grupo das individualistas e o grupo das submissas. Sem comentários. Às vezes confesso que quero fazer parte dos dois lados, mas na prática sou uma coisa só. Não sei aonde vamos parar caras amigas super poderosas e politicamente corretas dignas do certificado “Mulher ISO 9000”, se já não precisamos ser avaliadas por ninguém, a não ser por nós mesmas.

Talvez seja hora de tirar o pé do acelerador, diminuir o ritmo e sermos apenas mulheres. Sem individualidades, sem submissões, sem rixa, sem brigas, sem crises e sem criticas. Pagamos um alto preço quando revemos nossos valores, quando nós mesmas puxamos nossas orelhas e focamos algo melhor. Ser mulher não dói, mas construir uma bem bacana não se é uma tarefa das mais simples. Leva-se tempo, paga-se preços altos, altíssimos eu diria.

Ainda assim, sendo uma diabinha de salto, individualista ou não, tenho os sentimentos intactos... Sou toda coração... sou alegre, sou triste, sou toda manteiga, sou dura, sou chata, sou feliz... Sou sexy, sou menina, sou nada e sou tudo, assim como todas outras irmãzinhas de saia.
Somos o que queremos ser.
Somos absolutamente mulheres extraordinárias.

É assim que me sinto.
“Decifra-me ou Devoro-te”

quarta-feira, 7 de outubro de 2009

•·.·´¯`·.·• MaiS Um•·.·´¯`·.·•


A cada ano uma nova primavera colore minha vida...
Enche de flores
Transborda meu coração mole e me faz viver... Apenas viver.

Chegar nesse caminho requer muita habilidade, muita compreensão e aceitação de certos momentos, coisas e pessoas.
Aceito questionando (pois sou assim), mas a cada ano vou percebendo que as respostas muitas vezes não precisam ser reveladas, se já estão dentro de mim...

Preciso do dia, da noite, do carinho das pessoas que amo e do sorriso mais sincero.
Preciso da luz divina
Preciso do orvalho da manhã e do amor batendo em meu peito...

Já tive tudo isso e se ainda não, os terei...
Pois a esperança nasce a cada dia quando desperto pra vida!
A dádiva maior, é ser quem sou.

Obrigada Senhor!



Bjux
Janynha




terça-feira, 15 de setembro de 2009

•°¤*(¯`°(VolToO LoGoO)°´¯)*¤°•


Saio de cena...
Deixo meu esgotamento físico e mental tomar conta de mim e obrigo-me a descansar.
Não importa para onde vou, com quem, se estarei bem ou mal.
Importa que estarei comigo mais que nunca...

Às vezes nos esquecemos de ‘nos encontrar’ e o cotidiano invade nossa vida de maneira sorrateira, como um ladrão... Por meses e meses somos incansavelmente escravos do ponteiro do relógio: hora de acordar, de escovar os dentes, tomar banho, se alimentar, de trabalhar, de almoçar, etc, etc e depois: hora de voltar... Agora quando nos desligamos, mesmo que temporariamente desse tic-tac sangue-sugas de uma figa, a vida parece perder o ritmo frenético... Vai desacelerando aos poucos e você chega a enjoar.

Já notou que nada está bom, quando está?
Hmmm é sério!
Hoje acordei cansada, sensação de peso, de limite do esgotamento mental, não suportando meu próprio peso e tudo porque minha mente já incorporou a palavra “férias” e associou ao descanso súbito! Emergencial. Nada quero fazer, nada quero falar... Quero fechar o sistema e voar. Como se estivesse me libertando... Mas lá no fundo, já sinto saudades...
Saudades de ser útil, de aprender, de ouvir e cooperar. Saudades dos mesmos rostos, das mesmas risadas e dos mesmos papos calientes divididos numa troca de turno e outro.
Somos uma família e sempre que tenho que deixá-la, sinto sim um aperto no peito... Um certo medo de nunca mais voltar.
Apenas sensações e emoções.

Abandono meu lugar por 20 dias com a esperança tosca de retornar com tudo diferente (assim como as novas promessas – nunca cumpridas diga-se de passagem – feitas na virada do ano). O que vale são os pensamentos positivos, sonhos, alegria e paz. Isso quero encontrar nessa ausência tão singela, tão pequena.

Não prometo posts nesses dias, mas deixo aqui meu coração e votos que todos estejam bem... que todos os escravinhos do tempo continue os mesmos quando eu retornar.

“Saiba apreciar o espetáculo da vida de peito aberto e sem ressentimentos”
Uma boa dica para se começar um novo dia.

Fiquem com Deus!
Beijos
Janynha

terça-feira, 8 de setembro de 2009

··¤(`×[¤ Se MolHe, Se EnTrEgUe¤]×´)¤··

—(•·÷[Ah! Chuva, chuva...
Chuva que não acaba mais.
Que chega de sopetão, que vai embora quando estamos quase nos acostumando...
Lava a alma, arrasta consigo os grandes males de um coração!

Chuva quero que molhe meu rosto, meus lábios, todo meu corpo e me faça sentir que estou viva, cheia de vida...
Quero sentir aquele frio e depois calor...
Misturar suas gotas com minhas lágrimas, inundando meu sorriso de sei lá o que ou por que.
Por mais que o céu esteja cinza, escuro e tenebroso, ainda assim me sinto feliz...
Ainda assim eu continuo a brincar feito criança, deixando de propósito meu guarda-chuva em casa... Não quero proteção!

Quero ser livre
Pular entre as poças, me jogar no chão, brincar... Quem sabe assim meu espírito infantil não volta?
Quem sabe assim eu deixe de pensar na vida e nas pessoas e pare de dar ouvidos ao meu coração?

Ah, chuva se não gostasse tanto do calor do sol, juro que ficava com você!
Mas acho que amamos mais quando sentimos saudades, quando sentimos aquela falta grotesca, quando queremos preencher as lacunas de uma vida,
E só por isso chuva, assim que terminar seu tempo, vá...

Ficarei com saudades, mas de volta em mim.
Com a alma lavada, mas pronta para um novo dia, quente, que me aqueça e permaneça entre meus braços sempre assim!]÷·•)—


by Jana





sexta-feira, 4 de setembro de 2009

•°¤*(¯`°(NosSo PrEsEnTe)°´¯)*¤°•


•°o.O Quer coisa mais tediosa do que matar o tempo?
O tempo deveria ser uma coisa parada, estática, mas ele insiste em correr pra frente. Aprendi que sempre erramos para dar uma certa consistência na vida, senão ela seria vazia e sem nexo. A inércia de uma vida é frustrante e acreditem, a os que passam uma vida inteira sem fazer nada, sem ser nada. A morbidez causa males irreparáveis e chega um momento que devemos caminhar com o tempo ou correr atrás dele e não importa se faremos isso com alegria ou no limite da exaustão, apenas tente viver com o pouco ou muito que lhe vai a alma...
O futuro é impreciso e o passado distante, mas o presente... Ah, o presente é ‘um presente’ para ser vivido agora, nesse instante!
A realidade não é um reflexo tosco da imaginação, ela existe, é palpável, sólida e temos a opção de mudá-la em fração de segundos, conforme nossos desejos ocultos ou mesmo sem querer (pelo menos sou PhD em dar rumos diferentes a tanta coisa em minha vida, as vezes sobrevivia na esfera do sonho – quero isso, vou ser aquilo – e irracionalmente eu mudava ou mudo tudo – taí um grande defeito meu).
Nunca segui nada a risca, sempre vivi sob efeito de ‘sonhos’.
Sonhos de ser feliz, de encontrar o amor da minha vida, de ter aquela paz de espírito tão necessária, sonho em construir, realizar e blá-blá-blá, mas ultimamente estou com a gana de agarrar o ‘presente’ que todo dia deixo passar. Sim, por que mentir se na verdade excluo a realidade (o agora) de minha vida mesmo sem querer?

Confesso que muitas vezes (pelo corre-corre do dia a dia) perco a noção do real e passo a viver como máquina programada fazendo tudo nos mínimos detalhes conforme dita meu cotidiano, péssimo isso!
Descubro assim ao acaso que a essência de uma vida é a emoção.
Somos feitos de emoções e são elas que nos impulsionam a rir ou chorar, a amar ou odiar, a sentir ou ignorar, a falar ou se calar, a viver ou morrer. Escolho viver! E não aceito que nada dentro de mim ‘morra’, nem mesmo um sentimento que seja.

Quero que me belisquem agora só para sentir que estou viva e não sonhando, algo desse tipo que irá me fazer abraçar o meu presente e não soltá-lo mais... De vez em quando “despertar” é necessário e por um milagre de Deus estou aqui com os olhos arregalados para não perder nem uma folhinha sequer que caia naturalmente (e desejo o mesmo para os que se encontram adormecidos, mesmo por instantes).

Nada de viver (exclusivamente) em função de sentimentos de tempos pretéritos e futuros, a onda é seguir a linha do destino, que por sinal sempre segue correndo para frente... EMOCIONE-SE! O presente é o melhor dos tempos para se viver.

E eu e você somos privilegiados por termos sidos escolhidos para ganhar esse ‘presente’ (Viva apenas isso)

Um Bom final de semana e feriadão para todos! Muito sol, muita luz e olha que eu não estava nem um pouco inspirada em escrever hoje... mas as palavras me possuem e eu me entrego sem nenhuma resistência, vai que alguém nesse mundão de meu Deus esteja necessitando ler alguma coisa boa, eis que deixo meu coração aqui, junto com minhas preciosas palavras, tão presentes em minha vida!
O.o°•

•°o.O By Jana O.o°•

terça-feira, 1 de setembro de 2009

DúViDaS


Existe à vontade de correr
E a de ficar...
Uma necessidade de não ver e a de enxergar!

Somos assim imperfeitos.
Hora queremos, hora perdemos.
Somos dependentes da superficialidade
E outrora, queremos apenas a realidade.

Porque mentiras, se tragicamente sou toda verdade?
O ser amado tem lá suas formas grotescas e até odiosas dentro do peito,
Mas é ele que vejo... É ele que respiro... É ele que quero (e não quero)..
Ah , sei lá...
Dizem que a confusão não leva a nada e aqui estou, no mesmo lugar!
Ainda o mesmo tremor, o mesmo suspirar...

Oras bolas deixe-me aqui! Não quero mudar!
Ainda não tenho certezas...
Apenas sei que incondicionalmente aqui ficará,
Guardado e retido em mim sempre...
Sempre estará!
(...)

sexta-feira, 21 de agosto de 2009

LiVrE-Se ou Ame-Os


Assombrações, você acredita?
Eu sim, não necessariamente em assombrações, pois esse termo é meio forte para nossos próprios fantasmas, ok?
Ressaltando que não vou mencionar aqui ‘assombrações’ do tipo almas penadas e afins, pois creio que os fantasmas têm residência própria, no fundo da alma de cada um.

Uns são fantasmas vivos que necessariamente por um motivo qualquer colocamos de molho dentro de nosso ego, outros vivem lá apenas como lembranças. Mas sempre... Sempre um deles aparece numa tarde ou noite qualquer para nos assombrar, pelo menos os meus, é óbvio.

O passado pra mim é um fantasma com nome e sobrenome. Coisas que não quero lembrar, que insisto em esquecer, do nada me aparecem como criaturas horripilantes, de causar medo (opa, não que eu tenha sido algo monstruoso, mas falo sim de fantasmas sentimentais).
Quando o sentimento está vivo feito uma flor egoistamente bela, tudo se é maravilhoso. O céu, a terra, as pessoas, você... Seu eu, sua alma, sua cor... Agora quando o sentimento quer abandonar a cena da felicidade, morrer, sumir, desaparecer... transforma-se então, fantasma!

Confesso que já enterrei vivo alguns amores (alias, estou craque nisso) e devido ao fato, todos me assombram... hora num sorriso alheio, hora numa palavra que ouço, hora com uma música ou hora num perfume que sinto. Grande sacanagem! A memória poderia morrer junto com aquilo que não queremos mais lembrar, dar um delete ou coisa assim.
Eu fujo dos fantasmas como fujo de mim mesma muitas vezes. Se aparecem eu dou uma de inconseqüente e finjo não notá-los...

E cá entre nós, não é somente os fantasmas sentimentais que nos assombram... Pode ser qualquer coisa que ficou mal resolvida no passado, um medo, uma frustração, traumas de crianças e outras mil coisitas a mais. Conheço pessoas que cultivam os fantasmas alimentando-os diariamente, como se precisassem disso para levar uma vida melhor. Eu indiretamente acho que cultivo os meus, mas sou bem prática na questão de controlar a mente. Claro, fico meio atordoada, mas logo me livro deles sem maiores danos.

As pessoas são hipócritas em afirmar que passado é passado ou que passado está morto, mas a questão é que somos feitos de passados bons e ruins, são eles que constroem uma história em si dentro da gente. Cada ser constrói a sua a seu modo, pinta-a das cores que deseja ou muitas vezes preferem deixá-la sem cor – grande desperdício. O bom mesmo é que passado é intacto, inatingível, não à toa, memorável. Os fantasmas é que estamos em uma espécie profunda de ‘adaptação’ – querer ou não querê-los por perto, eis a questão. Mas aí, você meu amigo, vai estar se questionando: Se agora são fantasmas é porque já morreram (não fazem parte do presente), porque então aceitar a convivência??
Hmmm... complicado! Eles são surdos meu amigo... não escutam nossas apelações, nossos pedidos de Xô, vai embora, suma daqui!
O negócio é se habituar, encarar e botar ordem no barraco seja lá como for... Seu coração coitado continuará sempre mole, abrigando esses desamparados cretinos que passam por nossas vidas e não nos deixam tão fácil... Querem sempre estar ali, malditos filhos do passado!

Uma sugestão: Ria deles e seja feliz!

BoOomm Final de semana a todos.
Mil bjux

JanyNha

quinta-feira, 6 de agosto de 2009

TOdO cUiDaDOo eH pOkoO




Não agüento mais a paranóia desse povo com a Influenza A (gripe suína). Estava hoje, sentadinha aguardando ser chamada em uma consulta médica de rotina, quando do nada (devido ser alérgica a perfume e, diga-se de passagem, com o meu próprio), quando tive um ataque de espirros...
Atchin-1, Atchin-2, 3, 4 e quando ia para o quinto espirro, eis que o pessoal da sala de espera começaram a me olhar apavorados. Olhei para o lado e para o outro e foi inevitável não me senti um vírus ambulante!
Tive que usar minha doce cara de pau e dizer a mim mesma em alto e bom som... “eita alergia danada”. Só assim percebi o pessoal relaxando nas cadeiras (risos).

Está certo que a tal Influenza A não está de brincadeira e vem causando destruição por onde passa. Destrói vidas saudáveis, leva consigo sonhos de uma vida inteira... Lamentável. Sorte, muita sorte dos quais não são totalmente devastados e conseguem vencer a doença.

Não tem como ser negligente quanto ao assunto galera. O fato está aí exposto todo dia, mesmo que ignoremos, somos obrigados a acompanhar. Na minha leiga opinião (a qual ando expressando mais do que o habitual esses dias) acho que as ‘Autoridades da Saúde’ estão pra lá de perdidas quanto ao assunto. No pronto-socorro, por exemplo, o pessoal com gripe fica misturado com os pacientes que não estão, todos aglomerados até a triagem e nesse meio tempo, Pumba! Você entra com um diagnóstico e ganha de brinde uma gripezinha (seja ela qual for, suína ou não). Uma tremenda sacanagem.

Acho sim, que quem esteja com sintomas (leves, moderados ou graves) devem ter a consciência de cuidarem não somente de si próprio, mas da vida das pessoas, usando máscaras, tendo maior higienização e precaução de contágio. O isolamento é uma boa escolha (só para ressaltar em um adulto o período de contagio (incubação) é de aproximadamente sete dias e em uma criança de 7 a 14 dias).

Do mais, a primeira opção é procurar ajuda médica e se cuidar bastante, cuidando de sua vida e das dos outros também. Mas pra isso não precisa isolar o fulano (a) do seu lado mediante a um simples “atchim” e nem achar que a morte está rindo ao seu lado.

É isso, recado dado! E sejamos felizes com nossas máscaras, lenços e muita higiene é claro.




Bjux
Jana

quarta-feira, 5 de agosto de 2009

ReFliTaAa



Nosso medo mais profundo, é reconhecer que somos inconcebivelmente poderosos....
Não é a nossa escuridão e sim a nossa luz que mais atemoriza (...).
Ao permitir que nossa luz se irradie, estamos permitindo, sem nos dar conta, que outras pessoas façam o mesmo.
Ao nos libertar dos nossos medos, nossa presença automaticamente liberta os outros
“Nelson Mandela”
P.s.; Gentiii! Foi maussss, mas esqueci de postar uma palavrinha aqui ontem sobre o niver da minha irmãzinha Loh.
Ontem ela completou 16 aninhos (eitaa idade boa) e como eu me sinto meio mãe dela, imagina como ficou meu coração né?
Poxa, ela é tão importante pra mim... tão necessária na minha vida que eu não posso querer menos que ela seja muito feliz e que conquiste todos os sonhos, pois sua luz é extremamente bela.
Loh, te amo muito, muitãooo mesmo.
Parabéns minha florzinhAaa!!!
by Jana

segunda-feira, 3 de agosto de 2009

(DeS) nEcEsSáriA fUmAciNhA!

Olha a lei antitabagista ai gente!
Coisa mais chata, mas necessária, admito sem um pingo de dúvida.
Sou fumante e daí?
Sei dos riscos (ainda mais sendo asmática), sei das conseqüências e cá entre nós, morro de medo. Mas como evitar aquela ansiedade sacana que me invade do nada?? Como evitar a minha velha convivência com meu ini(a)migo nº 1? Sei lá. Só sei que por enquanto não consigo abandoná-lo, evitá-lo ou qualquer coisa parecida.

Mas sou a favor da lei. Ninguém merece conviver com um fumante e quem dirá inspirar sua baforada em meio a um local fechado. Sim, sim... é maravilhoso fumar dançando, é maravilhoso se gabar de um amigo tão potente em suas mãos... e Não, não é nada agradável não ser fumante nessas horas!

Essa lei veio apenas como uma cutucada, como aquelas placas de “Pare”. Nós fumantes estamos apenas sendo obrigados a estarem conscientes de que nem todo mundo se embriaga e sente tanto prazer com uma fumacinha. Isso é justo!

Pelo menos agora, sempre quando me disponho a acender um cigarro, minha primeira atitude é verificar onde estou e com quem estou, coisa essa que sinceramente não andava tão preocupada.
Conheci meu amigo mortal antes dos 15 anos, assim de bobeira, por curiosidade... E como nosso vínculo era quase que nulo, o abandonei por longos nove anos. E como numa paixão platônica, nos reencontramos no auge dos meus 25 (ah, se soubesse teria mais pulso firme em recusar a acender os maleditos canudinhos, terrivelmente gostosos com aquele sabor de menta ou cereja). Depois cai para o abraço. Me tornei, sua dependente.

Papo bravo, mas todo romance tem sua história, concordam?
Só estou deixando registrada minha opinião e incorporando novas condutas.
“Respeito”. Respeitem sempre os que não fumam. Tentarei, prometo.

Do mais, vale ressaltar que ambientes abertos pode sim (não me venham perturbar, ok). Se não for fumante, pegue seu rumo e nos deixe a mercê dessa nicotina sacana, mas saborosa quando necessário.

Um dia páro!
Essa é minha opinião.

quinta-feira, 30 de julho de 2009

HoMeNs! Oq FaRiaM??



“Aos 18 anos o homem não sabe nem como se diz bom dia a uma mulher. Devia nascer já com 30”.
Nelson Rodrigues


Sábio Nelson Rodrigues. A frase é boa, mas meio complicada em se argumentar, pois há homens e homens! Já vi muitos garotões novinhos, novinhos com a mente de um homem de 30 e já vi também homens ‘vividos’ com a mente de crianças. Então o assunto acaba sendo meio relativo a minha opinião.
Se homens são gentis e educados a mente perversa logo os intitula “viados”, agora se são trogloditas, ogros, leigos, são logo descartados. É complicado avaliar em apenas um sonoro e simples “Bom dia”.
Bom dia eu dou sempre que percebo que terei resposta e isso não inclui saber a idade mental da pessoa. Basta um simples ‘oi’ para que desarme qualquer pensamento alheio ao nada, que desarme qualquer mente perturbada ou nos tire do estado ‘alfa’ em que nos encontramos muitas vezes.
Diria que um homem de 18 teria toda timidez botada a prova no simples fato de se doar um ‘Bom dia’ assim logo de cara, mas um de 30 teria toda doçura e segurança e estaria inclusive medido a risca toda conseqüência do seu singelo ato...
Daí a pergunta que não quer calar... Esse “bom dia” estaria cheios de intenções inenarráveis ou seria apenas um ato cotidiano?
Confesso que até questionei via MSN alguns amigos, dando-lhes as duas opções (com intenções ou sem intenções), todos é claro seguiram a primeira opção e me falaram diversas coisas engraçadas. Todas ligadas a um súbito interesse machista e outros apenas afirmaram, que o ‘bom dia’ seria apenas uma ponte para o algo mais tão sonhado... “se após um ‘bom dia’ ela demonstrasse interesse, chegaria chegando (esse foi o termo) ou o daria apenas no dia seguinte, quando acordássemos juntos, agora se a resposta invisível fosse negativa, nem apostariam na conquista”... Ah, homens! Tanto faz terem 18 anos mas com alma de 30 ou vice-versa. Todos meios parecidos, apenas o que muda é a tal intenção.

E saber que a alma feminina embora cheia de mistérios, muitas vezes se é tão clara. Um “Bom dia” súbito e casual significa apenas um mero bom dia e não uma incógnita. Damos mais valor no que vem por trás do olhar do que nas palavras em si.
Um olhar derruba nossas defesas e nada mais importa.

Há os que acham quase impossível se conquistar alguém através de um ‘bom dia’, mas não existem os tão comprovados amores à primeira vista?? E ao que me parece, nesses casos não se precisa dizer absolutamente nada... é tudo lei da atração.
Outros diriam o bom dia depois de sorrirem, outros trocariam olhares até terem segurança para se abrir à boca e outros se sentem tão seguros que acham que o charme basta (risos).

A conclusão é magnânima. Não há como ‘ensinar’ um homem a falar um ‘bom dia’ carregado de emoções as quais, nós mulheres sonhamos naquele momento em si. Pois hora ouvimos apenas o óbvio e necessário e em muitas outras fantasiamos. E cá entre nós (mulheres), homens literalmente se perdem nesses momentos tentando decifrar nossos desejos e daí se vinga as mais absurdas mancadas. Eles se perdem por não saberem jamais decifrar nossos estados de espírito, nossas emoções, nossos sentimentos...

Não dizem que homens demoram a amadurecer? Que são de marte?
Embora eu os ame, seja fanática e tals, acredito fielmente nessas colocações sinceras. Ei, mas não estou sendo feminista, peraí...
É que homens nascem com a razão e nós (lindos seres de saias e mortais) nascemos com coração!!
E que venham os “Bons Dias” todo dia. São bem aceitos e nos fazem um bem enorme.

Viva os seres de Marte! Amo vocês.

Bjux
Jana

sexta-feira, 24 de julho de 2009

FriOziNhUuuu

Eita tempinho desaforado meu!
Na real, estou cansada de encarar todas essas noites frias (e pra piorar, chuvosas) totalmente agarrada ao meu travesseiro, de meia e entupetada de roupa. Esse tempo é melancólico e até mesmo sádico com as solteiras feito eu. Não vou negar que a-d-o-r-o essa liberdade de ir e vir sem ter que despencar uma série de desculpas ou obrigações em se dar satisfação. Não nego que amo ter aquele pensamento: "onde quero, eu vou". De circular de calcinha pela casa sem algum tarado (mode de dizer é claro) me agarrando, de ter no banheiro apenas coisas minhas, de olhar no varal e constatar o fato de que nenhuma cueca poderá cair de lá em fração de segundos...
Ai, acho até que me tornei meio feminista, puxo sem dó e nem piedade a sardinha para meu lado sempre “Viva a liberdade das mulheres”.
Só o fato de não ter em um dos meus dedos uma aliança escancarando meu dono, já se é um grande alivio.
Mas em dias assim, como esse em que meus pés estão frios feitos cubos de gelo, minha boca rachada, meu cabelo detonado com tanto vento e meu corpo tremendo a cada meio segundo, eu sinto SIM uma terna saudade de um amor por perto... ah, sim, claro, claro... Pode não ser um amor ou um príncipe encantado, mas pelo menos um bem disposto a me fazer feliz, mesmo que momentaneamente ou até esse inverno passar.

Pois nada que eu faça agora, vai tirar de mim esse súbito desejo maluco de estar acompanhada... Eu posso chegar em casa agora, me empanturrar de brigadeiro de panela, estando bem aquecida debaixo dos cobertores (e assistindo a mais um capítulo banal de Caminhos da Índia) e mesmo assim, meu eu interior vai estar me cobrando aquele carinho que nem eu mesma posso me dar e sim receber. Cruel essa vida - tem horas!

Sossego e me conforto. Hora de ser diferente! Já tive tanto isso, porque tanto martírio apenas porque está frio?
Será solidão? Caretice ou (ai meu Deus) Carência??

Sem muitas conclusões eu opto. Nem quero saber a resposta vai!
Lei da atração... hoje tudo posso... TPM X Dias frios dá nisso.

Bjuxxx
Jana

quarta-feira, 22 de julho de 2009

BuEnOs SoNhoS, BabY!


Esse aí é o sofá-conceito Cloud (nuvem em português), criado por David Koo (ressaltando uma meramente idéia, não lançada ‘ainda’ no mercado).
Fiquei pasma! E morrendo de inveja é claro.
Jamais, na altura do campeonato, dessa minha humilde vida, poderia imaginar tal invenção tão extraordinária.
A engenhoca me parece bem convidativa, já que flutua por meio da força magnética gerada pela base do chão... hmmmm... bem interessante.

Na verdade eu nem gostaria de dar ênfase ao assunto, mas desde que li essa matéria (no portal MSN de ontem), estou aqui a sonhar com uma nuvenzinha dessa estacionada no ‘meu lar, doce lar’. Faltam apenas me venderem os sonhos dos céus – foi o que pensei na hora, afinal estou farta de pesadelos.

Sempre me espanto com a capacidade humana e essas criações vêem exatamente para me mostrar que somos capazes de tudo, basta ter uma boa idéia na cachola. Somos capazes de recriar sonhos, coisas materiais e quem dirá sonhos os quais julgamos impossíveis.
A matéria é uma prova viva disso. Alguém colocou em prática um desejo e pumba! Eis a realização aí. Nada seria possível, sem a persistência, esperança e força de vontade.

Só queria de fato, dormir uma noite (umazinha só) nesse sofá das nuvens e esquecer meu velho colchão sofrido (mas mui amado por sinal, afinal são anos de dedicação). É nele que esqueço a vida, que passo horas com meus livros preferidos e dou altas gargalhadas com as meninas naqueles momentos que lá em casa são pra lá de especiais e necessários.

Bom, mas enquanto meu poder aquisitivo não me permite ter o sofá dos sonhos, ou melhor, o Sofá Cloud (que alias nem se encontra a venda, não passa de um projeto), vou ficar aqui pedindo aos anjos para que no futuro eu possa me esbarrar com algo parecido na sala de casa, pois serei COM CERTEZA uma usuária assídua hehehehe, afinal a pobre aqui adoraaa uma mordomia.

Beijos

P.s.; De volta a net... 100% de sinal – ufaaaa!!!!







sábado, 18 de julho de 2009


Ando aleatória...
Hora aqui... Hora trancafiada em mim (rsrsrs).
Quantas saudades sinto daqui!
Saudade de meu mundo, mas que há vários dias ou meses, anda meio que ‘privativo’ a meus pensamentos e emoções... É tudo tão ruim, guardar as coisas para si, quando o hábito parece ter mais força dentro de um ser como eu.

É meus caros, ando sem net e acabo de perceber que ando sem eira e nem beira, como dizem os populares. Mas a vida continua... trabalho, casa, filhos, emoções, solidão, anseios... tudo no mais absoluto lugar.

Sinto-me diferente ou indiferente a tanta coisa que gostava e cultivava como ‘prioridades’.
Parece que me rendi de vez à vida caseira. Cansei-me do mundo! Ele me trouxe tantas experiências desnecessárias, tantos dissabores (...), que o melhor é se render ao chamado dos cobertores nessas noites frias e ir para cama cedo (não ganho nada, mas também não perco – simples e fácil).

Incrível como a mente muda de percurso em questão de segundos. Antes amava ou odiava, hoje simplesmente ignoro. Absorvo o necessário, sorrio quando realmente vejo graça. Acho mesmo que estou com a Síndrome dos 2.8 (ai meu Deus, quase 30).
Dizem que o amadurecimento total chega aos 30. Dizem que você passa a viver direito e como realmente tem que ser, não aos trancos e barrancos como antes... mas apenas digere o que acha gostoso, prazeroso.
Como sempre fui estupidamente ‘precoce’ eis que minha alma provavelmente já se sente uma trintona hehehehe.
Mas sem muitos sustos, apenas com alguns ‘quelóides’ que juro! Não gostaria de enxergá-los por cima de sua fina pele, mas...

Do resto, ao que parece (pelo menos o exterior) está tudo bem, obrigado. Alterações mínimas, afinal sou uma mulher ‘normal’ como tantas outras. Dispenso as formalidades e não me gabo por qualquer alucinação masculina.

Prefiro viver. Prefiro que vejam aquilo que de cara não posso mostrar... meu coração!
O tempo torna-se algo qualquer, quando o assunto é se enxergar a alma!

Buenos Dias, PessoitaSss AdorÁveis

Jana



P.s.; logo-logo de volta ao mundo virtual.

quarta-feira, 17 de junho de 2009

EsSa SoU eU eM nOiteS fRiAs

É impressionante como de madrugada
Encontro sempre minha alma liberta e sedenta!
Sedenta em se pôr pra fora tantas palavras...
Fico boba com seu conhecimento e me espanto
Com tanta lucidez.

Ao mesmo tempo é um ser que sente sede de atenção,
Proteção e carinho!
É impressionante, como no vago silencio das horas,
Eu me encontro...

Encontro meu ser profundo,
Oculto no calor do dia-a-dia.

Sou livre nas madrugadas!
E muitas vezes só espírito...
Pois é o pensamento que se desprende do corpo físico e me
Faz ser uma ‘gigante’ e/ou uma simples ‘pequenina’.

De repente tudo se aquieta em meu peito...
Tudo volta ao normal e em seu ritmo
Lento e seguro...

Minha alma acalenta meu rosto, afaga meus cabelos e
Mesmo sem querer eu retorno a si...
Retorno ao sono profundo.

As palavras ficam mudas, minha sede é saciada...
Volto a mim demoradamente e a querida madrugada continua (...)

Beijos
Jana
02:30h da matina

quinta-feira, 11 de junho de 2009

ViStA-Se d VoCê

Ufa! Eis me aqui novamente (diga-se de passagem, que estou bem, apenas limitada ao acesso delicioso do mundo virtual – hmmmmm ficar sem net já há algumas semanas no trabalho confesso que não está sendo nada, nada boOm). Mas enfim, embora esteja ‘ausente’ desse mundinho que particularmente a-d-o-r-o, a vida segue impetuosamente e o tic-tac não pára.
Muita água rolou debaixo dessa humilde ponte... Notícias boas e ruins sempre ali juntinhas, afinal nada é perfeito e nada vem ao acaso. Senti muito acompanhando os noticiários e mais ainda pela tragédia do Air-France (que Deus tenha resgatado aquelas almas com todo seu amor e carinho infinito – tudo muito lamentável!).
Nunca superei bem essa palavrinha ‘morte’. Ela é cruel e dolorosa, embora apenas uma passagem. Mas lamento pela saudade e me comovo pela dor alheia, afinal esse lado sempre me aflora quando menos espero. Senti muito mesmo (e não somente pelos irmãozinhos que se foram, mas sim por todos os outros que a todo instante estão partindo. A vida é assim, em certos momentos incompreensiva perante nossos olhos).
Fico feliz por ainda ter em meu peito um amigo que bate incansavelmente e me permitir viver cada dia a sua maneira... Fico feliz por saber que embora os tropeços eu ainda continuo aqui, seguindo o que me foi ofertado, dando continuidade ao ciclo respiratório que a vida suprema me presenteou.
Viver é tão bom. Uma pena os valores de uma vida não estarem presentes em nossas mentes a todo instante e momentos. É tanta coisa para se preocupar, com filhos, com carreira, sonhos, metas, concretizações, buscas, perfeições, etc, etc, que nos esquecemos de realmente dar um ‘pause’ e viver. Viver os minutos, viver o presente, viver as cores, as emoções, sentimentos, paisagens, pessoas, viver de fato o amor...
Pra ser sincera, eu apenas lembro-me de ‘viver’ quando me deito na cama e reflito sobre meu dia... Mas daí ele já se acabou... Não tenho mais chances de ligar para alguém e dizer o que queria dizer, não dá mais para abraçar calorosamente aquele amigo, aquele parente, aquele filho (a) tão querido... é apenas hora de dormir, pois meu corpo (meu velho veículo) já me pede arrego e me obriga a sair de cena por algumas horas. Triste isso, não??
É, mas não sou a única a estar nessa ‘correria’ diária. Há muitos como eu por ai. O primordial é conscientizar-se! E botar com tudo o pé no freio...
Piso sempre quando reflito. Quando deixo de lado essa máquina de viver e me ligo a vida espiritual. Não me custa nada admirar o céu e agradecer a Deus por toda oportunidade, por toda bondade e pela minha liberdade de escolha. Sou livre, só me faltam asas reais, pois as imaginárias me levam aonde quero.
E hoje eu desejo isso a você caro amigo (a) blogueiro (a)... QUE VOE... Voe alto, veja a si mesmo, reflita e viva... Permita o amor invadir o seu ser (e arquive por alguns momentos seus problemas, angústias, lágrimas). Dê uma folguinha às lamentações e fique em silencio absoluto... Amanhecerá um novo dia, você verá!
bjuxxx
Jana

quarta-feira, 27 de maio de 2009

PlAnO B


Ressurge então essa idéia, a de incorporar certas decisões ao longo desses meus 27 anos e definitivamente entrar de cabeça! Falo sentimentalmente é claro, pois já que não encontrei as chaves das incógnitas, que elas cheguem atraídas pelo imã da decisão oportunamente certa.
Sábios os conselhos (e há os que dizem que eles supostamente não são concretos numa vida – pura ilusão), pelo menos para mim são razoáveis e sustentáveis.
A atração física é um mal desde que o mundo é mundo - “mal necessário, sem dúvida e muitas vezes sem lógica, pois o desejo carnal se vai com o ato concretizado e pelo suspiro de alivio" – Passou... Já era!
O problema maior está cravado (e com raiz) na mente. É ela quem determina a busca, fantasiando, iludindo, rindo do seu (do meu) fracasso. Temos que ser contraditórios.
Evoluir, crescer, liderar essa massa de neurônios que se dizem ‘apaixonados’ e retomar de vez o controle da situação.
Erros e acertos, eis a questão!
Peco quando estou embriagada de sentimentalismo, Acerto quando uso a razão. Já decipei paixões loucas, que me deixaram doente e sem razão (atire aqui uma boa critica ou pedra mesmo quem nunca foi escravizado pelo coração!). Sou apenas mais uma, em meio a toda essa confusão.
Ser diferente custa-se o olho da cara, mas por dentro mesmo (onde poucos notam), custa-se muito mais. E é por dentro minha batalha, aqui fora, o meu ‘externo’ o tempo se encarrega magnânimo.
Que me vale a velha carcaça se dela não levarei nenhum centímetro? Absolutamente, os vaidosos que reflitam, pois a minha teoria é esta e será sempre a mesma.
O interior é mais belo, moldável e caracterizado ao meu modo. Esse sim me preocupa. O Plano-A eu descarto e molduro o Plano-B (já está em tempo das modificações tomarem seus lugares – o passado que se dane!).
O agora consiste em viver, sem desanimar, apostando nas novas estratégias. Se o amor não chegou, chega de buscas – ele me encontrará e estarei de braços abertos calmamente. As tolas paixonites vão dando o fora... Validades vencidas.
Preciso de mais que uma atração física para me deixar atordoada... é necessário mais que um rosto encantador, um cheiro, um sorriso para me tirar do rumo outra vez. É preciso ter alma, coração e razão...
É preciso sair do casulo “querida borboleta’ e ver que essa ‘flor’ aqui tem muito mais a te oferecer do que um adocicado perfume (pense nisso) e sejamos felizes ou abraços, até nunca mais...

Voe, apenas isso.


By Jana

domingo, 24 de maio de 2009

O DePoiS é O ABisMo


Salve blogueiros... eis-me aki!
Alheia, sem muitas palavras e um turbilhão de sentimentos contraditórios.
Puts! Que situação.
O terrível é falar entrelinhas um assunto que eu gostaria de escancarar... mas não posso!
E pra piorar esse meu sexto sentido que me leva a sentir e ver coisas que não quero, NÃO AGORA!
Do que vale uma felicidade ‘instantânea’ se o depois é pior do que um tapa na cara?

Sou meramente assim... sei o que vai dentro de cada ser que eu esteja (in)Diretamente ligada... sinto os remorsos e o estado de choque, as frustrações... tudo, tudinho. E desde ontem estou meio que estagnada...

Sei as respostas, aff... elas me bastam! Mas ignoro-as por momentos que julgo sentir falta.
Queria continuar racional, mas não sou forte o bastante... me iludi (que merda isso). E pior, por nada, besteiras... Nada era importante pra mim, nada e em fração de segundos, tudo mudou...

Mas...Ei, estou aqui!
Sou ainda melhor que isso tudo, desde que não sinta essa avalanche de perturbações sentimentais baratas e pior, mais uma vez pelo errado.
Não consigo entender essa atração que me puxa feito imã, que me faz deslizar pelo ralo como água comum...

Entenda... eu não o quero também... nada se parece comigo e nem nunca fará parte do meu mundo... Mas meu autocontrole anda um lixo, admito.
Talvez seja apenas meu brio gritando, me implorando “Sai Dessa!!”, mas continuo surda a minha própria razão e me desconheço quando a teimosia me leva a realidade como agora.

Bom, banalidades que passarão, tenho certeza...
Sem mais,


By Jana
(momentos)

sábado, 16 de maio de 2009

OuTrAaa


Páro, penso...
Desse jeito não dá mais pra continuar...
Essa contramão é banal, não faz sentido.

Se antes fora azul, agora tem que ser branco...
Como a paz, como as flores, como cada nuvem do céu...
Se tiver que subir a ladeira com trocentas malas nas costas, eis que decido dar o primeiro passo...
Vou seguindo, mas antes devo esvaziar os bolsos. Jogar e/ou abandonar cada peso inútil, cada papel velho, cada sonho absurdo... Quanto mais leve, mais livre!
Chuto a primeira pedra e antes mesmo de cair já sinto saudades do passado. Mas o que é ele senão algo que não mais existe? Apenas recordações...

Eita mundo vazio!
Eita quanta coisa errada. O preço será alto em tentar mudar tudo, mas não desisto!
Ta ficando pesado e na real nem entendo o por que devo carregar tanta mala assim... melhor descansar e analisar.
Há uma aqui toda enfeitada, cheia de coraçõezinhos, flores e pintada de rosa -"Vou abri-la"-.
... Hmmm ... nada de mais! Amores antigos, paixões banais. Mas decido deixá-los, já que estão aqui escondidos e não de fato comigo, qual o motivo de levá-los? Nenhum mais.

Toda mudança é drástica, mas necessária... sempre necessária.
E pra ser franca, já me cansei de toda essa história sem razão, de buscas, filosofias...
Hoje acordei assim, buscando a perfeição, o diferencial e o melhor pra mim, mesmo que isso demore um pouquinho para ser conquistado. Estou na luta, até o fim (sempre guerreira, mas não heroína).

Os valores passam a serem outros agora!
Sinta, observe... note...
Eu estou aqui, evoluindo a cada dia.
Decifre-me!


“Garimpem e descubram tesouros”


Bjux
Jana

terça-feira, 12 de maio de 2009

SÓo hj Eu QuEriA vOcÊ


Tic-tac... as horas não passam, arrastam-se!
Hoje dei um pulo na melancolia e senti saudades...
Saudades de alguém, que nem sei quem...

Tudo anda sem graça
Tudo meio sem razão, pois me falta esse pedacinho essencial.
Falta-me você!

Faltam-me suas mãos macias,
Seu olhar me paralisando,
Seu cheiro inconfundível no ar,
Sua voz doce e suave, como uma canção de ninar...

E hoje sinto sua ausência mais que presente,
Em cada gesto, em cada música e em cada olhar...
Eu só queria aquele sonho lá que combinamos,
Só queria que estivesse aqui...

Morreria em seus braços se pudesse, porque neles encontro
A minha verdadeira paz...
Encontro-me em você
E nesse momento seria tudo que eu queria...
Tudo mesmoOoo!

By Janynha

segunda-feira, 11 de maio de 2009

ElAs... aPenAs ElAs..


Dois abraços ternos confortaram meu grande dia ontem e eu jamais conseguiria traduzir a sensação boa de ser duplamente ‘mãe’. Essa palavrinha tão simples mudou tanta coisa aqui dentro, me transformou e me fez a mulher de hoje.
Não importam as complicadas histórias anteriores... Não importa e nem nunca importará a terceira pessoa desse contexto e sim o que deixo prevalecer é apenas todo esse amor que sinto pelas minhas gurias...
Ser mãe é ser anjo constantemente...
Ser mãe é toda essa batalha de querer matar um leão a cada dia, a casa hora e minuto. É viver sob tensão 24h só para amar e proteger.
Em certos momentos me prendo a inútil possibilidade de não ter e nem ser nada disso... acho que morreria, pois aqueles olhinhos avalistas são as reais certezas da minha vida.

Além de mãe, sou acima de tudo filha!
Filha de uma mãe exemplar e sem igual, a qual nem consigo imaginar meu dia sem sua presença... ‘minha mãe é tudo’. Ès meu refúgio em dias tristes, minha ouvinte, minha conselheira, minha fiel amiga e a luz no fim do túnel... Não importa a escuridão, se tenho os olhos dela por perto como refletores mega potentes.

Agradeço aos céus pela sua existência MÃE.
Agradeço aos céus pelas minhas florzinhas...

AmOoo-te

Bjux
Jana

sexta-feira, 8 de maio de 2009

SeJa o MelhOr prA vC


"A gente pode morar numa casa mais ou menos, numa rua mais ou menos, numa cidade mais ou menos e até ter um governo mais ou menos.
A gente pode dormir numa cama mais ou menos, comer um feijão mais ou menos, ter um transporte mais ou menos e até ser obrigado a acreditar mais ou menos no futuro.
A gente pode olhar em volta e sentir que tudo está mais ou menos.
Tudo bem.
O que a gente não pode mesmo, nunca, de jeito nenhum, é amar mais ou menos... sonhar mais ou menos, ser amigo mais ou menos, namorar mais ou menos, ter fé mais ou menos ou acreditar mais ou menos... Senão, a gente corre o risco de se tornar uma pessoa mais ou menos.”



Um bom final de semana à todos que amoOoo
by Jana

segunda-feira, 4 de maio de 2009

EnTenDeR pRa q?


Correntes não se quebram...
Elas são fortes, resistentes e manipulam a liberdade.
O destino é uma corrente imaginária... te dá limites, imposições e te puxa quando e como quer.
Não somos tão donos do destino como se parece, há os desvios, as dúvidas e nunca sabemos se realmente estamos no caminho certo. O acaso não existe, isso é óbvio, mas depender de uma visão turva nos deixa a mercê de um amanhã incerto.

Sonhos, planejamentos sobrevivem e quebram muitas correntes a partir da força de vontade (interna) de cada um. Diga a si mesmo, EU QUERO, EU CONSIGO!
São palavras tão pequenas, mas que causam uma mudança inevitável do seu dia a dia.

Sou positiva sempre, mas ignoro muito meu eu interior, meu lado bom, meu anjo da guarda e com isso dou passos largos e irreversíveis.
Chorar pelo que se foi eu não faço mais. Perdi tantas coisas e pessoas importantes, mas se foram ou se perderam, tenho na mente a certeza que não eram pra mim.

Algumas pessoas enganam-se tanto a procura de uma felicidade, se prendem a coisas pequenas e adquirem correntes imagináveis, irreais. Embolam-se tanto que não conseguem sair do principio. Eu não!
Eu quero continuar daqui do meio, mas minha corrente maior chama-se tempo.
É o tempo que cicatriza as feridas, será o tempo que irá curar minha mente acorrentada de passagens e precipícios.

Hoje posso permitir que meus pensamentos sejam alienados, desordenados, amanhã permitirei apenas a ordem total, pois depende apenas d’euzinha aqui mudar o principio aqui dentro para depois colocá-lo em prática.

Meus valores não nasceram comigo, foram moldados ao longo do tempo e ao instante em que eu crescia. Restam ainda tantas dúvidas, certo – errado, mas a percepção do bem e fazê-lo é muito bem estabelecida.
Sei o que quero, dou asas ainda aos sonhos e suas concretizações. De certa forma, chegarei a algum lugar, pois aprendi que se ficar aqui acorrentada, não serei livre, não mudarei, não haverá evolução e quebra dos laços.
Quero me prender ao que existe de melhor dessa vida ou então partir livre feito pássaro!