terça-feira, 13 de outubro de 2009

· ··^v´¯`×) PerCa-sE, mAs SobReviVa(×´¯`v^·· ·


Qual o valor de uma perda e como cada ser a encara... Se de peito aberto ou luta-se até o fim com a armadura do não aceitamento?
Na verdade tudo que se escorre entre os dedos é penoso e doloroso e mesmo aceitando a triste realidade, aquilo – a perda – é extremamente chocante para os pobres de espírito.
Os poetas retratam bem uma perda, ainda mais se for a de um grande amor. Ela dói, queima, sangra, dilacera e machuca, nos levando a uma espécie de transe meio que banal: “Viver ou Morrer”!
Mas todos sobrevivem.
Não dizem que o tal tempo é um remedinho mais potente que a própria morfina?
Sim, eis ai um consolador das angustias sentimentais mais que fiel. Melhor mesmo é declarar o tempo como seu procurador, o qual fará tudo em seu nome. Ainda mais quando achamos que mesmo vivos e perambulando por caminhos desconhecidos, nos encontramos numa espécie de ‘coma-profundo’.

Perde-se tudo nessa vida com tal velocidade a qual se ganha. Perde-se os anos (os melhores diga-se de passagem), perde-se os amigos, perde-se os sonhos, pessoas queridas, oportunidades e amores... como conseqüência adquirimos seqüelas e traumas que nem mesmo o melhor dos analistas, terapeutas e demais profissionais da área conseguiriam nos devolver.
Pior mesmo é quando se perde a noção da vida no sentido de ‘não sei quem sou, onde vou e porque estou aqui’ (isso deve ser horrível). Viver por viver, deixando que o destino monte sua história é torturante. Sempre acreditei que o destino nós mesmos o colorimos e damos forma... Se optamos pelo preto e branco tudo sai conforme nosso desejo, nada é alterado mediante a falta de vontade de ser melhor.
E meu desejo, caro amigo, é o de não perder lágrimas, sorrisos, alegrias e minha ganância em ser feliz. Isso quero intacto dentro de mim!
Quero perder tudo o que me faz mal, me faz perder o sono e me deixa triste em meio a um vazio tedioso.
Aceito perder o que nunca tive, talvez não vá ferir tanto quanto penso... A questão X é aceitar, encarar e mudar.
Assim ganho novas possibilidades. Pois há uma nova visão se estabelecendo no horizonte...
E os poetas que fiquem com a dor e se danem!!!

By Janynha


P.s.; Dedico esse texto a minha grande amiga “Iara” (Sua existência é maior do que qualquer perda, pense nisso e viva apenas por você!).

2 comentários:

Iara Gardenia disse...

Obrigado minha linda, suas palavras, seu abraço é tudo na minha existencia, obrigado pela oração, obrigado por sobra aos ventos que ele traga paz ao meu coração...!!!

Te amo minha grande irmiga bjos ♥

Pleiba disse...

oIE LINDA!
tem coisas que não esquecemos não é verdade!? principalmente qdo fica marcas aquelas que fica no cantinho do coração e qdo estamos sozinhos as marcas aparecem de repente!
bjus de saudade
ti doro