Pular para o conteúdo principal

Postagens

Mostrando postagens de Agosto, 2010

** CaMinHoS SiNuOsOs **

Até que ponto será que devemos sermos ‘politicamente corretos’ com a vida, coisas e principalmente pessoas? Essa frase hoje está na minha mente latejando... Mas no fundo, creio que ninguém consegue – e olha que há os que realmente acreditam serem (coisa de doido com mania de perfeição eu diria).
A gente tenta... tenta... mas é um troço um tanto quanto complicado de se seguir a risca. Acabamos deslizando literalmente na maionese, pois ser correto em tudo é minimamente impossível (e absurdo também). Poxa, somos seres errantes e anexados a velhos hábitos grotescos! E esse povo acaba tendo a mania besta de querer ser como espelho para os outros ou então se julgam capazes de não errar nunca.
Eu mesma quando acordo tenho a mania de programar meu dia antes mesmo de colocar os pés abençoados ao chão (o direito é claro). Digo em pensamento: - Hoje você vai fazer isso e aquilo, sem tropeços. Mas ao final do dia penso: - Puts, não fiz nada do que queria, agi pelo velho impulso... que saco! Pra vocês no…

** AnSeiOs **

Rapidamente o tempo me engole numa mordida só. Furta-me as coisas boas da vida e ignora meus mais pequenos desejos... ...Que nesse momento seria ficar sozinha com meus pensamentos... num lugar onde o vento soprasse coisas aos meus ouvidos... onde o sol iluminasse parte de mim e a calmaria me devolvesse o sossego.
Apenas sei que os dias terminam e nem sei em que parte me perdi deles. Vagamente lembro dos anseios... Vagamente olho aqui dentro.
A pressa em se ocupar é maior agora. Maior que qualquer dor que venha me perturbar... maior que meus impulsos de ler páginas antigas só para que minha alma se sinta viva novamente.
É estranho e que dirá não egoísta, se perder tentando se achar. Demoramos meio segundo para criar sonhos gigantescos e uma vida inteira para nos desfazer daqueles que se tornaram pesadelos...
Há um motivo aparente para essa mudança brusca... talvez tenha vindo da minha própria natureza insensata... talvez seja um vicio em se escolher o errado. Ainda não identifiquei... ou quase.…

** SoNhoS**

Existem sonhos que são apenas sonhos... de tão longes que eles ficam, desistimos muitas vezes de sonhar...
Eu imaginei que o meu havia se evaporado tamanha a mudança nos caminhos...
Mas sempre o trouxe dentro do peito, vivo... vibrante... feito um menino...
Hoje a cada dia que se vai... ele está mais perto de mim...
E como uma criança que ganha um presente eu acabo me rendendo a essa felicidade de poder tocar meu sonho, de acariciá-lo, de lhe dar amor constante...
Enfim, sempre soube que vim para esse mundão de "Papai" com um grande propósito... e nesse momento, percebo que cuidar do próximo seja a razão da minha existência... Sei que é nesse ponto que me realizo plenamente e no futuro, apenas um sorriso meio sofrido é que alimentará todo meu ser de amor...
Afinal Amar ao próximo é uma dádiva pra poucos!
Ser socorrista é tudo que eu desejo... esse é o nome do meu sonho... Seja bem vindo. by Jana

** SaUdAdE **

Ausência
Eu deixarei que morra em mim o desejo de amar teus olhos que são doces. Porque nada te poderei dar senão a mágoa de me veres eternamente exausto. No entanto a tua presença é qualquer coisa como a luz e a vida. E eu sinto que em meu gesto existe o teu gesto e em minha voz a tua voz. Não te quero ter porque meu ser tudo estaria terminado. Quero só que surjas em mim como a fé nos desesperados. Para que eu possa levar uma gota do orvalho nesta terra amaldiçoada. Que ficou sobre a minha carne como nódoa do passado.
Eu deixarei... tu irás e encontrarás a tua face em outra face. Teus dedos enlaçarão outros dedos e tu desabrocharás para a madrugada. Mas tu não saberás que quem te colheu fui eu, porque eu fui o grande intimo da noite. Porque eu encostei minha face na face da noite e ouvi a tua fala amorosa. Porque meus dedos enlaçaram os dedos da névoa suspensos no espaço. E eu trouxe até mim a misteriosa essência do teu abandono desordenado.
Eu ficarei só como os veleiros nos pontos silenciosos. Mas…

** FoRa dOs TriLhOs **

Como vagões desgovernados levamos a vida. Um corre-corre diário que nos rouba as melhores cenas do dia e ultimamente minha semana vem sendo dessa forma. Subitamente acordo e quando menos espero estou retornando para casa, deixando para trás a velha mania de admirar pessoas e coisas (nem isso mais ando tendo tempo).
Perco-me contando as balas coloridas que venho me obrigando a deliciar quando a ansiedade me devora. As toxinas do meu velho camarada andam me deixando atordoada e a cada dia resolvo (sem muito sucesso) deixá-lo de lado... Confesso que um dia é de sucesso e outro de fracasso total, mas não há muitas chances em se vencer o próprio propósito. Ando na verdade fazendo ‘esforços’ mais por questões de fé do que vontade própria. Mas acabo mesmo, tragada pela ansiedade (tristezas, alegrias e seus derivados) pelo velho hábito... o qual me deixa mais calma quando estou com ‘ele’... meu velho e companheiro... altamente cancerígeno e degradante da minha saúde.
Não, não! Isso não é apologi…

** ... EstRanHos HerÓis **

Gente, o dia dos pais é amanhã e a cidade mais parece comemorar antecipadamente – coisa de Campineiro maluco eu diria. Tive a impressão que hoje o universo masculino está aflorado com força total... para todos os lados que olhei era um cartaz, pais atarefados e seus pequeninos a tira a colo, até ri. Mas essa data sempre me faz observar muitas coisas que não vejo facilmente por aí.
Pai... um ser tão especial, mas de um amor tão racional. Às vezes me pergunto se existe por aí algum pai com amor maternal, aquele amor de mãe sem medidas e que só elas (ou nós) conseguimos expor para fora... Falo isso porque pais geralmente são seres que não conseguem ultrapassar certas barreiras do amor, é sempre aquele sentimento oprimido, regado a medidas masculinas não compreensivas, como se demonstrar de uma maneira mais completa fosse algo censurado ou até mesmo proibido por esses corações durões...
Como um relâmpago eles demonstram carinho... são capazes de intercalar esses flashes de amor rapidamente,…

** EspEciAl SemPrE **

Viajando nas lembranças, hoje me peguei no passado... admirando aquele pequeno ser no meu colo... suas mãozinhas e seu olhar sereno já conseguiam me passar o quanto seríamos grandes amigas.... Senti no peito – embora com apenas 12 anos – um amor fraternal, coisa de mãe, de proteção... foi assim que recebi minha irmã mais nova em minha vida. Já era hora ‘das meninas’ comandarem aquela casa, já que os meninos tomavam todo e qualquer espaço... uma pena que ela (minha irmãzinha) tinha demorado tanto tempo para chegar e se aliar a mim... mas acabei mesmo, assumindo meu papel e acho que até hoje continuo dando conta do recado...
Hoje ela completa 17 anos. Mas ainda consigo ver por trás de seu rosto, a minha pequena. Minha primeira filhinha adotada pela alma – e olha que demorei alguns anos para que ela parasse de me chamar literalmente de ‘mãe’.
Por ela perdi meu posto de princesa absoluta, mas nem me importei muito, já que estava perdendo o título para uma pessoa mais que especial... minha irm…

** NãO faÇa + NaDa **

(Tudo que eu faço) eu faço por você. (Everything I Do) I Do It For You Bryan Adams

Olhe dentro dos meus olhos, você vai ver
O que você significa para mim.
Procure em seu coração, procure em sua alma
E quando você me encontrar, não vai procurar mais nada.

Não me diga que não vale a pena tentar,
Você não pode me dizer que não vale a pena morrer por isso
Você sabe que é verdade,
Tudo que eu faço, eu faço por você.

Olhe dentro do seu coração, você vai encontrar,
Não existe nada lá para esconder.
Me aceite como sou, fique com minha vida,
Eu entregaria tudo, eu me sacrificaria.

Não me diga que não vale a pena lutar,
Eu não consigo evitar, não há nada que eu queira mais
Você sabe que é verdade,
Tudo que eu faço, eu faço por você.

Não existe amor, como o seu amor,
E nenhuma outra, poderia oferecer mais amor.
Não existe lugar, se você não estiver lá
Todo o tempo, até o fim.

Olhe para o seu coração baby

Oh, você não pode me dizer que não vale a pena tentar,
Eu não consigo evitar, não há nada que …