domingo, 28 de fevereiro de 2010

** NãO fEcHe oS olHoS **


Não quero pegar no sono...
Não quero adormecer e sonhar... Porque sonhos são apenas sonhos... Dependem de muito esforços para serem reais...
Prefiro a realidade. Nua e crua. Imprevisível. Inesperada.

Hoje estamos bem.
Se adormecermos acordaremos de que jeito?
Então prefiro não fechar os olhos...
Não me desligar desse momento mágico pra ter a certeza que assim
Que o sol aparecer, estarei ainda completamente estagnada como estou.

De repente as coisas mudam de lugar.
E se meus olhos se fecharem não saberei acordar.
As horas avançam...
Trazem-te para mais perto e/ou te levam para mais longe...

Tento não deixar que adormeça,
Mas nada importa.
Sai da realidade antes mesmo de ouvir meu chamado.
Vai para outro lugar, mesmo estando aqui.

E não adianta dizer que não é assim.
Habituar-se está me mostrando uma outra visão...
Mas cautelosa...bebendo aos poucos para não entorpecer...

Ficarei bem.
Acordada.
Pois se dormir agora... Meu presente me será roubado.
Não parece, mas tudo é decisivo pra mim agora...
O tempo, a mudança, o surreal, o palpável e o real...
Devagar... enxergo tudo diferente mesmo. Minha visão sempre vai ser essa, não há outra.
Ou pode ser ou não quer ser.
Não serei metade, não haverá ‘será’ e não dormirei enquanto não sentir vontade.

Durma se quiser.
Tranqüilamente observo sua respiração lenta... Acompanho com o dedo seus traços.
Meu amor está ali. Comigo.
Acordado...
Aguardando o seu retornar.
Sei lá de que maneira...

Apenas o espera voltar!


(...)
By Jana

segunda-feira, 22 de fevereiro de 2010

** Os nobres sentimentos **


Eis uma reportagem digna de ser postada aki...
Tudo o que eu queria dizer...


******************************************


Desde a mais tenra infância, fomos ensinados a refrear certos sentimentos. Era feio ter inveja, raiva, ódio, e por aí vai. Mas será mesmo? E quem é a santa que só tem no coração bondades e caridades? Querendo ou não, os sentimentos – bons e maus – surgem, mas nos ensinaram que os piores devem ser afastados em nome já esqueci de quê. E como fingir que eles não existem, como ignorar o que está dentro do peito? Que tal tentar conviver com eles reconhecendo que somos apenas pessoas normais, para o mal e para o bem?
Digamos que sua grande amiga seja maravilhosa, tenha 10 centímetros a mais do que você e 10 quilos a menos. Além disso, é charmosa, inteligente, simpática e generosa – o que, aliás, não é nenhuma vantagem, com tantas qualidades – e consegue seduzir, sem fazer o menor esforço, homens, mulheres e crianças. Que raiva, que inveja. Fazer o quê? Em primeiro lugar, reconhecer o que está sentindo e as razões desses sentimentos. Não será preciso ir longe a ponto de dizer: “Eu te odeio porque você é mais bonita do que eu”. Mas, quando estiver sozinha, pode ficar com toda a raiva do mundo e odiá-la com todas as forças do seu coração – para aliviar o peito e não ter um infarto; isso ajuda a passar. E, quando adorar uma pessoa, deve também ir fundo e dizer que gosta sem nenhum pudor, pois gostar e fingir indiferença não tem a menor graça.
Já reparou como, para certas pessoas, é difícil elogiar? Quem escolher viver honestamente todos os seus sentimentos ai perder alguns amigos, mas, em compensação, os que ficarem vão ser para sempre. De que adianta o telefone tocar o dia inteiro se é preciso fingir que é indiferente para ser querida, para ter com quem ir à praia?
Quando tiver vontade de torcer o pescoço de seu filho adorado – porque isso às vezes acontece –, permita-se reconhecer e, se puder, diga a alguém – uma amiga, o padre ou o analista – quanto gostaria, naquele momento, de esganar a carne da sua carne e o sangue do seu sangue. Depois que a raiva passar, diga a ele, que vai achar muita graça. Assim, você estará abrindo para ele a possibilidade de lhe dizer um dia a mesma coisa, o que vai ser maravilhoso para a amizade de vocês. Porque entre mãe e filho, além do amor, se tiver também amizade, é a melhor coisa do mundo. E convém que ele saiba que, quanto mais próximas as pessoas, mais ocasiões e razões temos para amá-las ou odiá-las, e que isso é normal (e não deve trazer culpas).
Como é bom falar mal de uma pessoa, dizer com carinho que ela não vale nada e terminar confessando que é exatamente por isso que é louca por ela. Quando se ouve uma declaração de amizade dessas, nunca mais se esquece, e ser especial para alguém é tudo que se quer.
E mais: sofrer, chorar, rir, abraçar, beijar, passar noites em claro, de tanta felicidade ou de tanto sofrimento, acordar um dia achando que o mundo é todo seu e no outro não conseguir nem se levantar da cama de tanta tristeza sem nenhum motivo – é isso que diferencia uma vida plena e rica de outra morna e medíocre.
Dinheiro se economiza, mas emoções, sejam de felicidade ou de tristeza, de amor ou de raiva, nunca. Vá sempre fundo – a não ser que você esteja na vida a passeio, o que é uma escolha; uma triste escolha, aliás. Porque todos os sentimentos são nobres – inclusive os piores.


******************************************************************
Danuza Leão é cronista, autora de vários livros, entre os quais Na Sala com Danuza 2 (ARX) e Quase Tudo (Cia. das Letras)

quinta-feira, 18 de fevereiro de 2010

** Só Vc **


É... palavras foram absorvidas e tudo volta a funcionar em seu ritmo próprio.
Os dias de escuridão se foram. Fazem parte de um passado recente agora.
Sofremos.
Juntos. Calados.
Mas o que era perdido se estabeleceu novamente com a força do que trago na alma... amor.

Sim. Nos amamos.
Está preso em mim... em você...
Nada mudará.

Choramos juntos para deixar escorrer todo sentimento oculto...
Não há necessidade de esconder nada nessa hora.
Quero que permaneça vivo em mim.
Desejo que fique aqui.

Pois meus dias sem você são dias cruéis e sem importância alguma.
Se o amanhã ainda vai chegar, prefiro viver o hoje como ontem... Intensamente...
Se vou ter a saudade como aliada, prefiro sermos logo melhores amigas.
O que não posso é apagar esse meu ponto de luz... Tão esperando em todos esses anos.
Não posso deixar que se vá assim.

Pois é apenas o seu amor que me conforta,
Que me deixa feliz
E me faz querer viver mais e mais...

Te amOo amore
E que Deus guie nossos caminhos...

By Jana



http://www.youtube.com/watch?v=spF9Jp1eEVA

domingo, 14 de fevereiro de 2010

** MeU pOnTo d LuZ eStá Aki **


Adormeci com o doce da saudade...
Uma certa luz se manteve em minha frente e o simples fato de sentir que também está do mesmo jeito que eu, acalmou minha tristeza... a fez dormir.

Eu havia pensando que a escuridão fosse total...
Que permaneceria diante de meus olhos por longos dias... mas não... meu ponto de luz brilhou! Por minutos me fez entender a grandeza desse sentimento e me disse: calma... calma, estou aqui.
E mesmo que a perda seja inevitável, eu vivi.
Vivi (e ainda vivo) um sonho encantado. Daqueles que não se perde jamais, apenas se ganha. Durante esses dias meu alimento tem sido as boas lembranças porque o mundo continua em preto e branco...
Continuo sedo castigada pelas horas, pelos dias, pela ausência... essa é a mais cruel.
Por onde passar meu olhar sei que não vou encontrar a minha felicidade. Por onde eu andar, serão passos em vão, a procura do que está distante.

E o anoitecer é ainda pior, pois o silencio me faz viajar na minha própria saudade. Transporta-me ao meu mundo, ao nosso mundo e nele choro sem saber... sem querer.
Triste não são minhas palavras... não são esses momentos que aqui tento passar o máximo de realidade... triste mesmo é saber que sua vida inteira parou... que precisa apenas de algo para voltar a respirar... e que o tempo passe depressa... voe...

Não importa qual será minha sentença. Eu só quero voltar a viver... nem que seja por alguns instantes. Quero enxergar tudo colorido. Quero sorrir de verdade... com minha alma.
Queria apenas matar toda essa saudade...
Me embriagar com o perfume...
E por momentos me sentir novamente...

By Jana


sábado, 13 de fevereiro de 2010

** sEi QuE TudOo vAi PaSsaR **

Lágrimas me acordaram nessa manhã. As que tanto evitei ontem chegaram com força tremenda. Não deu para segurar... desabei.
Mesmo observando o dia nascer pela janela, ele me parecia tão sem cor... em preto e branco e assim segue minha visão até agora.

Pra que sorrir? Pra que fingir que estou bem, se tudo o que preciso é de um abraço forte, desses que demoramos certo tempo para desfazer. Sinto-me como uma folha que se desprende e lentamente vai caindo... caindo... até alcançar o inevitável.
Quero voltar para o estado de êxtase que sentia correr em minhas veias. Quero beber do sossego e admirar tudo em minha volta, mas o máximo que consigo fazer é ficar no escuro, escondida de todos e de mim.

Em toda minha vida, a despeito de toda dor... aqui estou. Sim... Mais uma vez.
E mesmo que volte, eu já não serei eu mesma.
Isso tudo irá passar, sei disso. E cada palavra que sai de mim, sinto-me amparada e aliviada.
Fui obrigada a também ficar com meus pensamentos, confusos e estranhos.
E são eles que me atormentam.
Dependo do tempo para ficar bem!

Mesmo sabendo que todas as risadas, todas as coisas boas e momentos mágicos estão voando diante de mim sem que eu queira, acho que sobreviverei.
Pois nada altera minha vida real. Nada alterará o que sou e o que trago comigo. E é realmente uma pena a insegurança bater a porta dessa forma, pois eu sim já me sentia segura. Sentia que tinha adquirido o que era meu de fato e sentia-me feliz.

Apenas sei de mim agora.
Permito que meu estado de espírito sugue minhas forças para encontrar as respostas que tanto quero.
Não vejo luz, não vejo esperança, não enxergo absolutamente nada.
Só me incomodo com a dor.

E nada e nem ninguém irá abrandá-la.
Só estou tentando aprender a lidar com ela ou me acostumar.
Já consegui outras vezes, mas sempre esqueço o jeito de fazer passar.
É algo sempre indecifrável para mim.

As portas ainda estão entreabertas... não sei se as fecho, se passo por elas ou as tranco de uma vez por todas. No fundo ainda acredito nelas e nem sei o porque, pois só me trouxeram sofrimentos camuflados de arco-íris.

Enganei-me mais uma vez?
Será que o medo de arriscar a ser feliz é maior que eu?

Talvez.
(...)

http://www.youtube.com/watch?v=hmppuf-2uiE
http://www.youtube.com/watch?v=IKJ-mbOZ9BA



sexta-feira, 12 de fevereiro de 2010

** SeM LuZ **


É não adianta querer me ausentar, quando não tenho tantas palavras assim para explicar a felicidade.
Ela está por um fio pra mim e meu dilema recomeça... e o melhor a fazer é escrever... Colocar para fora essa dor estranha que teima em bater em minha porta.
Meu erro não foi pequeno, isso eu sei. Mas foi o suficiente para me fazer acreditar que o sonho acabou. Ter essa sensação é a pior de todas as coisas. Machuca muito.

Estou triste comigo.
Pois sei que os dias não nascerão mais perfeitos e nem terão tanta cor assim, para vislumbrar meu ser e me encher de coragem.
O que mais me machuca não é estar de frente ao abismo novamente, e sim saber que os momentos ficarão presos em mim...
É saber que não vou mais vê-lo...

Eu nem perdi, mas é como se já tivesse assinado o pacote duplo da saudade.
Assim como vai para longe, distancia-se cada vez mais de mim, eu sei disso. Sinto isso. E é no que me agarro por hora.

Nada mudará o que estou sentindo agora. Nada.
E olhar para frente é só escuridão e já estou com medo de enfrentar. Serão dias difíceis!

Na verdade estou mesmo me sentindo o monstro do Lago Ness. Onde todos que entram na água faço logo mal ou então vou machucar, até saírem correndo...Como sempre absorvo a culpa e não a divido com ninguém. Mas não esperava assistir minha felicidade escorrendo pelos meus dedos sem poder fazer nada... não mesmo. E nem lutar eu posso. Nada X nada.

Estou tentando traduzir algo que nesse momento está latejando aqui dentro e não consigo. Palavras me somem, fico muito melancólica e tudo sai como não quero. Estou sufocada.
Melhor parar por aqui!
E que seja o que Deus escolher pra mim.

(...)

http://www.youtube.com/watch?v=manxPVTLth8