terça-feira, 15 de setembro de 2009

•°¤*(¯`°(VolToO LoGoO)°´¯)*¤°•


Saio de cena...
Deixo meu esgotamento físico e mental tomar conta de mim e obrigo-me a descansar.
Não importa para onde vou, com quem, se estarei bem ou mal.
Importa que estarei comigo mais que nunca...

Às vezes nos esquecemos de ‘nos encontrar’ e o cotidiano invade nossa vida de maneira sorrateira, como um ladrão... Por meses e meses somos incansavelmente escravos do ponteiro do relógio: hora de acordar, de escovar os dentes, tomar banho, se alimentar, de trabalhar, de almoçar, etc, etc e depois: hora de voltar... Agora quando nos desligamos, mesmo que temporariamente desse tic-tac sangue-sugas de uma figa, a vida parece perder o ritmo frenético... Vai desacelerando aos poucos e você chega a enjoar.

Já notou que nada está bom, quando está?
Hmmm é sério!
Hoje acordei cansada, sensação de peso, de limite do esgotamento mental, não suportando meu próprio peso e tudo porque minha mente já incorporou a palavra “férias” e associou ao descanso súbito! Emergencial. Nada quero fazer, nada quero falar... Quero fechar o sistema e voar. Como se estivesse me libertando... Mas lá no fundo, já sinto saudades...
Saudades de ser útil, de aprender, de ouvir e cooperar. Saudades dos mesmos rostos, das mesmas risadas e dos mesmos papos calientes divididos numa troca de turno e outro.
Somos uma família e sempre que tenho que deixá-la, sinto sim um aperto no peito... Um certo medo de nunca mais voltar.
Apenas sensações e emoções.

Abandono meu lugar por 20 dias com a esperança tosca de retornar com tudo diferente (assim como as novas promessas – nunca cumpridas diga-se de passagem – feitas na virada do ano). O que vale são os pensamentos positivos, sonhos, alegria e paz. Isso quero encontrar nessa ausência tão singela, tão pequena.

Não prometo posts nesses dias, mas deixo aqui meu coração e votos que todos estejam bem... que todos os escravinhos do tempo continue os mesmos quando eu retornar.

“Saiba apreciar o espetáculo da vida de peito aberto e sem ressentimentos”
Uma boa dica para se começar um novo dia.

Fiquem com Deus!
Beijos
Janynha

terça-feira, 8 de setembro de 2009

··¤(`×[¤ Se MolHe, Se EnTrEgUe¤]×´)¤··

—(•·÷[Ah! Chuva, chuva...
Chuva que não acaba mais.
Que chega de sopetão, que vai embora quando estamos quase nos acostumando...
Lava a alma, arrasta consigo os grandes males de um coração!

Chuva quero que molhe meu rosto, meus lábios, todo meu corpo e me faça sentir que estou viva, cheia de vida...
Quero sentir aquele frio e depois calor...
Misturar suas gotas com minhas lágrimas, inundando meu sorriso de sei lá o que ou por que.
Por mais que o céu esteja cinza, escuro e tenebroso, ainda assim me sinto feliz...
Ainda assim eu continuo a brincar feito criança, deixando de propósito meu guarda-chuva em casa... Não quero proteção!

Quero ser livre
Pular entre as poças, me jogar no chão, brincar... Quem sabe assim meu espírito infantil não volta?
Quem sabe assim eu deixe de pensar na vida e nas pessoas e pare de dar ouvidos ao meu coração?

Ah, chuva se não gostasse tanto do calor do sol, juro que ficava com você!
Mas acho que amamos mais quando sentimos saudades, quando sentimos aquela falta grotesca, quando queremos preencher as lacunas de uma vida,
E só por isso chuva, assim que terminar seu tempo, vá...

Ficarei com saudades, mas de volta em mim.
Com a alma lavada, mas pronta para um novo dia, quente, que me aqueça e permaneça entre meus braços sempre assim!]÷·•)—


by Jana





sexta-feira, 4 de setembro de 2009

•°¤*(¯`°(NosSo PrEsEnTe)°´¯)*¤°•


•°o.O Quer coisa mais tediosa do que matar o tempo?
O tempo deveria ser uma coisa parada, estática, mas ele insiste em correr pra frente. Aprendi que sempre erramos para dar uma certa consistência na vida, senão ela seria vazia e sem nexo. A inércia de uma vida é frustrante e acreditem, a os que passam uma vida inteira sem fazer nada, sem ser nada. A morbidez causa males irreparáveis e chega um momento que devemos caminhar com o tempo ou correr atrás dele e não importa se faremos isso com alegria ou no limite da exaustão, apenas tente viver com o pouco ou muito que lhe vai a alma...
O futuro é impreciso e o passado distante, mas o presente... Ah, o presente é ‘um presente’ para ser vivido agora, nesse instante!
A realidade não é um reflexo tosco da imaginação, ela existe, é palpável, sólida e temos a opção de mudá-la em fração de segundos, conforme nossos desejos ocultos ou mesmo sem querer (pelo menos sou PhD em dar rumos diferentes a tanta coisa em minha vida, as vezes sobrevivia na esfera do sonho – quero isso, vou ser aquilo – e irracionalmente eu mudava ou mudo tudo – taí um grande defeito meu).
Nunca segui nada a risca, sempre vivi sob efeito de ‘sonhos’.
Sonhos de ser feliz, de encontrar o amor da minha vida, de ter aquela paz de espírito tão necessária, sonho em construir, realizar e blá-blá-blá, mas ultimamente estou com a gana de agarrar o ‘presente’ que todo dia deixo passar. Sim, por que mentir se na verdade excluo a realidade (o agora) de minha vida mesmo sem querer?

Confesso que muitas vezes (pelo corre-corre do dia a dia) perco a noção do real e passo a viver como máquina programada fazendo tudo nos mínimos detalhes conforme dita meu cotidiano, péssimo isso!
Descubro assim ao acaso que a essência de uma vida é a emoção.
Somos feitos de emoções e são elas que nos impulsionam a rir ou chorar, a amar ou odiar, a sentir ou ignorar, a falar ou se calar, a viver ou morrer. Escolho viver! E não aceito que nada dentro de mim ‘morra’, nem mesmo um sentimento que seja.

Quero que me belisquem agora só para sentir que estou viva e não sonhando, algo desse tipo que irá me fazer abraçar o meu presente e não soltá-lo mais... De vez em quando “despertar” é necessário e por um milagre de Deus estou aqui com os olhos arregalados para não perder nem uma folhinha sequer que caia naturalmente (e desejo o mesmo para os que se encontram adormecidos, mesmo por instantes).

Nada de viver (exclusivamente) em função de sentimentos de tempos pretéritos e futuros, a onda é seguir a linha do destino, que por sinal sempre segue correndo para frente... EMOCIONE-SE! O presente é o melhor dos tempos para se viver.

E eu e você somos privilegiados por termos sidos escolhidos para ganhar esse ‘presente’ (Viva apenas isso)

Um Bom final de semana e feriadão para todos! Muito sol, muita luz e olha que eu não estava nem um pouco inspirada em escrever hoje... mas as palavras me possuem e eu me entrego sem nenhuma resistência, vai que alguém nesse mundão de meu Deus esteja necessitando ler alguma coisa boa, eis que deixo meu coração aqui, junto com minhas preciosas palavras, tão presentes em minha vida!
O.o°•

•°o.O By Jana O.o°•

terça-feira, 1 de setembro de 2009

DúViDaS


Existe à vontade de correr
E a de ficar...
Uma necessidade de não ver e a de enxergar!

Somos assim imperfeitos.
Hora queremos, hora perdemos.
Somos dependentes da superficialidade
E outrora, queremos apenas a realidade.

Porque mentiras, se tragicamente sou toda verdade?
O ser amado tem lá suas formas grotescas e até odiosas dentro do peito,
Mas é ele que vejo... É ele que respiro... É ele que quero (e não quero)..
Ah , sei lá...
Dizem que a confusão não leva a nada e aqui estou, no mesmo lugar!
Ainda o mesmo tremor, o mesmo suspirar...

Oras bolas deixe-me aqui! Não quero mudar!
Ainda não tenho certezas...
Apenas sei que incondicionalmente aqui ficará,
Guardado e retido em mim sempre...
Sempre estará!
(...)