sábado, 31 de outubro de 2009

** EsSa eH pRa vC S2 **


A luz do dia desperta minha alma...
Ela já não dorme direito
Com medo de perder cada momento...
Fica aqui, inquieta como se quisesse ser a dona do destino.
E com seu próprio punho escrever sua história.

O gosto da felicidade é doce.
E minha alma está sedenta...
Ela está sorrindo... hmmm ... Juro! Eu estou vendo.

Sentada no ontem eu desenhei o hoje...
Eu rabisquei, eu tentei fazer o melhor...
Muitos papéis amassei,
Afinal não queria uma coisa qualquer...
Queria o melhor.
Queria um coração feito o meu.

Ele está lá.. está aqui... e onde mais olho se faz presente...
É um coração de cristal
E chega a ofuscar de tanta beleza...

A miragem pelo menos sai do surreal.
É simples verdade.
Uma realidade palpável e sentida a todo instante.

Encontro de almas perdidas eu diria!
Talvez seja por isso que estejam tão felizes.
E nesse mundo absoluto e só delas, o amanhã não existe...

Do que me adianta o ‘lá fora’, se o ‘aqui dentro’ é pura magia?
Daqui posso ver coisas que achei que nunca mais as veria...
Vejo o coração de cristal e me reflete alegria...
Por agora, é tudo que sonhei um dia...

By Janynha



quarta-feira, 28 de outubro de 2009

S2 FiQuE pArA sEmPrE S2


Puts... Nada como um dia após o outro!
Há uns dias estou adiando escrever algo que desde a última sexta-feira (bendita, diga-se de passagem) deu um toque especial em minha vida...
Um toque que nunca tinha vivido... um toque de azul, rosa, amarelo, vermelho e todas outras cores que nem me cabe citar. É como se tudo ganhasse outras formas, como se tivesse sido atropelada por uma avalanche de sentimentos bons e inesperados.

Alguém especial entrou aqui dentro...
Trouxe-me alegria, paz e um estado de êxtase de felicidade. Ele é tão perfeito, tão meu...
Será que Deus ouviu minhas preces nesses momentos de solidão que sempre tive?
Se não foi, porque então sinto que encontrei o que sempre procurei?
Porque estou assim tão ausente do meu mundo e me sentindo tão bem?

Realmente não dá para se explicar o inexplicável. Não dá aqui pra sair correndo e chorar de felicidade. Estou sendo egoísta, querendo tudo pra mim na mais reserva possível. Quero acreditar, se entregar e que se dane meu medo. Sim porque ele existe.

Quero ignorar outras histórias e viver intensamente apenas essa. Como se fosse o começo de tudo, como se nunca tivesse provado o amargo... Poxa, me preparei tanto pra isso, fiz tantos planos. Mas o problema maior era não conseguir encaixar a peça certa no meu quebra-cabeça e para minha surpresa, se encaixou.

Embora eu tenha moldado meu coração, mas uma vez ele segue seu rumo sem minha mera autorização... bate, pula, vibra... Está alucinado. Mas como viver sem ele (meu coração) se preciso de sua força incansavelmente?
Não dá. Vou aonde for, sentirei o que quiser sentir.
Nada importa mais. O que me importa pra valer é viver...

E seja o que Deus quiser!


By
Janynha

quarta-feira, 21 de outubro de 2009

** S2 DeCiDa-Se S2 **


Coração em desatino...
Não sobrou nada de ontem, nem de anteontem e quem dirá do amanhã!
Fala-se o que sente ouve-se silêncio. Isso bastou pra mim.
Pois o silêncio é pior do que qualquer afronta ou palpite ou um talvez.

Silêncio é silêncio. Vazio e profundo.
Mas como não machucar algo se tudo que se toca é feito vidro em pontas?
Quando dei por mim, as palavras estavam no ar. Algo que queria fazer, mas que também
Não se tinha noção da proporção.
Achei que não fosse doer, mas doeu.
Achei que nem ia ligar, mas no fundo dos olhos, a decepção estava lá.

Intacta, como se tivesse raiz.
Fincou em você, ficou em mim.

Nada posso fazer, se ainda não sabes da tua vida.
Nada posso ser se realmente não tenho espaços pra isso
Tudo será Nada quando o final chegar sem pedir licença, sem mencionar...

Vejo-te partindo, mas minhas forças estão ausentes e nem sei mas
Se querem que fique ou se vá.
Nada tem sentido
Nem mesmo te manter aqui.
Já nem sei o que é favorável e o que não o é.

As lembranças não trazem nada do que era.
Não trarão também seu sorriso quando eu menos precisar.
Não haverá mais sentimento, porque o meu encontra-se em COMA.
Está definhando aqui dentro de mim, pouco a pouco, como se estivesse em um conta-gotas.

O pior é que mesmo que me importe, eu não ligo.
Escorre pelos dedos, mas e daí?
Fui alem do horizonte, chutei pedras e voltei em si.
Nada valeu a pena e agora quer que valha?
Tarde não acha?

Decido ficar parada. Sem ventos, sem chuvas.
Absorvo esse silencio desumano.
Mudo-me de volta em/pra mim!



terça-feira, 13 de outubro de 2009

· ··^v´¯`×) PerCa-sE, mAs SobReviVa(×´¯`v^·· ·


Qual o valor de uma perda e como cada ser a encara... Se de peito aberto ou luta-se até o fim com a armadura do não aceitamento?
Na verdade tudo que se escorre entre os dedos é penoso e doloroso e mesmo aceitando a triste realidade, aquilo – a perda – é extremamente chocante para os pobres de espírito.
Os poetas retratam bem uma perda, ainda mais se for a de um grande amor. Ela dói, queima, sangra, dilacera e machuca, nos levando a uma espécie de transe meio que banal: “Viver ou Morrer”!
Mas todos sobrevivem.
Não dizem que o tal tempo é um remedinho mais potente que a própria morfina?
Sim, eis ai um consolador das angustias sentimentais mais que fiel. Melhor mesmo é declarar o tempo como seu procurador, o qual fará tudo em seu nome. Ainda mais quando achamos que mesmo vivos e perambulando por caminhos desconhecidos, nos encontramos numa espécie de ‘coma-profundo’.

Perde-se tudo nessa vida com tal velocidade a qual se ganha. Perde-se os anos (os melhores diga-se de passagem), perde-se os amigos, perde-se os sonhos, pessoas queridas, oportunidades e amores... como conseqüência adquirimos seqüelas e traumas que nem mesmo o melhor dos analistas, terapeutas e demais profissionais da área conseguiriam nos devolver.
Pior mesmo é quando se perde a noção da vida no sentido de ‘não sei quem sou, onde vou e porque estou aqui’ (isso deve ser horrível). Viver por viver, deixando que o destino monte sua história é torturante. Sempre acreditei que o destino nós mesmos o colorimos e damos forma... Se optamos pelo preto e branco tudo sai conforme nosso desejo, nada é alterado mediante a falta de vontade de ser melhor.
E meu desejo, caro amigo, é o de não perder lágrimas, sorrisos, alegrias e minha ganância em ser feliz. Isso quero intacto dentro de mim!
Quero perder tudo o que me faz mal, me faz perder o sono e me deixa triste em meio a um vazio tedioso.
Aceito perder o que nunca tive, talvez não vá ferir tanto quanto penso... A questão X é aceitar, encarar e mudar.
Assim ganho novas possibilidades. Pois há uma nova visão se estabelecendo no horizonte...
E os poetas que fiquem com a dor e se danem!!!

By Janynha


P.s.; Dedico esse texto a minha grande amiga “Iara” (Sua existência é maior do que qualquer perda, pense nisso e viva apenas por você!).

quinta-feira, 8 de outubro de 2009

—(•·÷[ApEnAs MulHeReS]÷·•)—

Engraçado como nós mulheres nos identificamos. Hora esbarramos com uma com a mesma história de vida (até mesmo pior), hora esbarramos e dividimos os próprios medos, crescimentos e ainda por cima tentamos amenizar o coração daquela que ainda não evoluiu como deveria... poxa, além de concorrentes em alta, somos solidárias!

Apesar de toda modernidade, concordo quando ouço por aí que ainda somos ‘antigas’. Sim somos sim. Vejo por mim... A independência é uma meta excêntrica, mas um vício necessário que traz benefícios imaginários ao ego de qualquer uma. Não vou negar que sair sem rumo, gastar seu próprio dinheiro, carregar as chaves da sua própria casa sem compartilhá-las e outras coisitas mais me fazem um puta bem... Ao longo da trajetória me tornei individualista demais (mas nas coisas relacionadas à boa convivência HOMEM X MULHER é claro). Não acho que preciso de um homem para me manter, para me sustentar ou até mesmo para me ditar isso ou aquilo. Homem para mim é um complemento. Existem para somar carinho, amor, atenção, sonhos e não necessariamente grana.

A maioria da ala feminina pensa assim, mas não agem como tais. Até parecem que sentem prazer em ser contrarias e até mesmo acho que se submetem a frase tosca de que somos sexos frágeis apenas para se sentirem realmente como bonecas de porcelana. Mulher tem disso, tem dessas frescuras quando menos se precisa. Gostam de perder a autoconfiança, gostam de perder a personalidade em cada esquina por banalidades. Quer ver uma mulher perder as estribeiras é quando uma se apaixona – ah, quando isso acontece estamos dentro de um poço com águas sujas – nada se vê, mas tudo se é possível conforme nosso menor e mais bobo sonho de romantismo.

Há também o grupo das individualistas e o grupo das submissas. Sem comentários. Às vezes confesso que quero fazer parte dos dois lados, mas na prática sou uma coisa só. Não sei aonde vamos parar caras amigas super poderosas e politicamente corretas dignas do certificado “Mulher ISO 9000”, se já não precisamos ser avaliadas por ninguém, a não ser por nós mesmas.

Talvez seja hora de tirar o pé do acelerador, diminuir o ritmo e sermos apenas mulheres. Sem individualidades, sem submissões, sem rixa, sem brigas, sem crises e sem criticas. Pagamos um alto preço quando revemos nossos valores, quando nós mesmas puxamos nossas orelhas e focamos algo melhor. Ser mulher não dói, mas construir uma bem bacana não se é uma tarefa das mais simples. Leva-se tempo, paga-se preços altos, altíssimos eu diria.

Ainda assim, sendo uma diabinha de salto, individualista ou não, tenho os sentimentos intactos... Sou toda coração... sou alegre, sou triste, sou toda manteiga, sou dura, sou chata, sou feliz... Sou sexy, sou menina, sou nada e sou tudo, assim como todas outras irmãzinhas de saia.
Somos o que queremos ser.
Somos absolutamente mulheres extraordinárias.

É assim que me sinto.
“Decifra-me ou Devoro-te”

quarta-feira, 7 de outubro de 2009

•·.·´¯`·.·• MaiS Um•·.·´¯`·.·•


A cada ano uma nova primavera colore minha vida...
Enche de flores
Transborda meu coração mole e me faz viver... Apenas viver.

Chegar nesse caminho requer muita habilidade, muita compreensão e aceitação de certos momentos, coisas e pessoas.
Aceito questionando (pois sou assim), mas a cada ano vou percebendo que as respostas muitas vezes não precisam ser reveladas, se já estão dentro de mim...

Preciso do dia, da noite, do carinho das pessoas que amo e do sorriso mais sincero.
Preciso da luz divina
Preciso do orvalho da manhã e do amor batendo em meu peito...

Já tive tudo isso e se ainda não, os terei...
Pois a esperança nasce a cada dia quando desperto pra vida!
A dádiva maior, é ser quem sou.

Obrigada Senhor!



Bjux
Janynha