sábado, 13 de fevereiro de 2010

** sEi QuE TudOo vAi PaSsaR **

Lágrimas me acordaram nessa manhã. As que tanto evitei ontem chegaram com força tremenda. Não deu para segurar... desabei.
Mesmo observando o dia nascer pela janela, ele me parecia tão sem cor... em preto e branco e assim segue minha visão até agora.

Pra que sorrir? Pra que fingir que estou bem, se tudo o que preciso é de um abraço forte, desses que demoramos certo tempo para desfazer. Sinto-me como uma folha que se desprende e lentamente vai caindo... caindo... até alcançar o inevitável.
Quero voltar para o estado de êxtase que sentia correr em minhas veias. Quero beber do sossego e admirar tudo em minha volta, mas o máximo que consigo fazer é ficar no escuro, escondida de todos e de mim.

Em toda minha vida, a despeito de toda dor... aqui estou. Sim... Mais uma vez.
E mesmo que volte, eu já não serei eu mesma.
Isso tudo irá passar, sei disso. E cada palavra que sai de mim, sinto-me amparada e aliviada.
Fui obrigada a também ficar com meus pensamentos, confusos e estranhos.
E são eles que me atormentam.
Dependo do tempo para ficar bem!

Mesmo sabendo que todas as risadas, todas as coisas boas e momentos mágicos estão voando diante de mim sem que eu queira, acho que sobreviverei.
Pois nada altera minha vida real. Nada alterará o que sou e o que trago comigo. E é realmente uma pena a insegurança bater a porta dessa forma, pois eu sim já me sentia segura. Sentia que tinha adquirido o que era meu de fato e sentia-me feliz.

Apenas sei de mim agora.
Permito que meu estado de espírito sugue minhas forças para encontrar as respostas que tanto quero.
Não vejo luz, não vejo esperança, não enxergo absolutamente nada.
Só me incomodo com a dor.

E nada e nem ninguém irá abrandá-la.
Só estou tentando aprender a lidar com ela ou me acostumar.
Já consegui outras vezes, mas sempre esqueço o jeito de fazer passar.
É algo sempre indecifrável para mim.

As portas ainda estão entreabertas... não sei se as fecho, se passo por elas ou as tranco de uma vez por todas. No fundo ainda acredito nelas e nem sei o porque, pois só me trouxeram sofrimentos camuflados de arco-íris.

Enganei-me mais uma vez?
Será que o medo de arriscar a ser feliz é maior que eu?

Talvez.
(...)

http://www.youtube.com/watch?v=hmppuf-2uiE
http://www.youtube.com/watch?v=IKJ-mbOZ9BA



Nenhum comentário: