Pular para o conteúdo principal

PlAnO B


Ressurge então essa idéia, a de incorporar certas decisões ao longo desses meus 27 anos e definitivamente entrar de cabeça! Falo sentimentalmente é claro, pois já que não encontrei as chaves das incógnitas, que elas cheguem atraídas pelo imã da decisão oportunamente certa.
Sábios os conselhos (e há os que dizem que eles supostamente não são concretos numa vida – pura ilusão), pelo menos para mim são razoáveis e sustentáveis.
A atração física é um mal desde que o mundo é mundo - “mal necessário, sem dúvida e muitas vezes sem lógica, pois o desejo carnal se vai com o ato concretizado e pelo suspiro de alivio" – Passou... Já era!
O problema maior está cravado (e com raiz) na mente. É ela quem determina a busca, fantasiando, iludindo, rindo do seu (do meu) fracasso. Temos que ser contraditórios.
Evoluir, crescer, liderar essa massa de neurônios que se dizem ‘apaixonados’ e retomar de vez o controle da situação.
Erros e acertos, eis a questão!
Peco quando estou embriagada de sentimentalismo, Acerto quando uso a razão. Já decipei paixões loucas, que me deixaram doente e sem razão (atire aqui uma boa critica ou pedra mesmo quem nunca foi escravizado pelo coração!). Sou apenas mais uma, em meio a toda essa confusão.
Ser diferente custa-se o olho da cara, mas por dentro mesmo (onde poucos notam), custa-se muito mais. E é por dentro minha batalha, aqui fora, o meu ‘externo’ o tempo se encarrega magnânimo.
Que me vale a velha carcaça se dela não levarei nenhum centímetro? Absolutamente, os vaidosos que reflitam, pois a minha teoria é esta e será sempre a mesma.
O interior é mais belo, moldável e caracterizado ao meu modo. Esse sim me preocupa. O Plano-A eu descarto e molduro o Plano-B (já está em tempo das modificações tomarem seus lugares – o passado que se dane!).
O agora consiste em viver, sem desanimar, apostando nas novas estratégias. Se o amor não chegou, chega de buscas – ele me encontrará e estarei de braços abertos calmamente. As tolas paixonites vão dando o fora... Validades vencidas.
Preciso de mais que uma atração física para me deixar atordoada... é necessário mais que um rosto encantador, um cheiro, um sorriso para me tirar do rumo outra vez. É preciso ter alma, coração e razão...
É preciso sair do casulo “querida borboleta’ e ver que essa ‘flor’ aqui tem muito mais a te oferecer do que um adocicado perfume (pense nisso) e sejamos felizes ou abraços, até nunca mais...

Voe, apenas isso.


By Jana

Comentários

Pleiba disse…
Ola Jane!
Como sempre você escreve muito bem! Sua palavras passam realidade...

sempre precisamos de um plano B em nossas vida.
bjuz Jane
Pleiba disse…
Ola Jane!
Como sempre você escreve muito bem! Sua palavras passam realidade...

sempre precisamos de um plano B em nossas vida.
bjuz Jane
Pleiba disse…
OI Jane tudo bem?

Passando pra deixar um beijo!!!

Otimo dia :)

Postagens mais visitadas deste blog

FrOntEirAs dA ViDa

As fronteiras são simultâneas, vão e vem sem que gritemos por sua necessidade, elas apenas acontecem e se colocam como uma linha imaginável entre o certo e o errado. Somos educados apenas para respeitá-las, como reais limitações. A fronteira de uma vida tem fases, nomes, sentimentos e emoções. Quando pequenos nossa fronteira chama-se tempo. Ela nos impede de termos a noção de nossas escolhas, nos colocam um freio e vivenciamos um mundo infantil, totalmente alheio, tão imensamente inocente. Depois a fronteira se estende e entramos numa espécie de confusões e anseios infinitos e de difícil moderação. Somos enfim, adolescentes.
Apáticos, alegres e dificilmente compreendidos. A fronteira é única, a de um mundo de ilusões sem fim. Tudo acontece, tudo se perde da maneira como se chega.
A fronteira da maturidade é a felicidade...
Certo? Errado? Não mais. A questão agora é tudo ou nada. Ou tenho tudo ou não tenho nada. Quero meus sonhos aqui agora, ou não os quero mais. Abandono-os na fronteira …

Amizade conveniente

Hoje acordei com saudade de ter um amigo por perto. De jogar conversa fora, de dar aquelas velhas gargalhadas ou simplesmente de olhar para o tal amigo e desvendar suas mensagens codificadas, sejam elas quais forem (através de um olhar, de um gesto, de meias palavras ou de seu próprio silêncio). Li certa vez que “amigos são anjos que Deus colocou a nossa volta”, será que isso bate com a realidade??
Só acho uma tarefa um tanto quanto difícil. Imagina entender a alma alheia? Decifrar códigos, saber suas cores preferidas, o que gosta ou que não gosta, aceitar numa boa suas opiniões (mesmo tendo a sua totalmente contrária) e acima de tudo apoiar-lhe quando as chances de acertos são nulas e “seu amigo” não enxerga isto.
A probabilidade de ser ter um amigo fiel – justo – perfeito é de 0,05% (acha pouco?) então saia pelas ruas e pergunte ao número de pessoas que quiser se este ou aquele já não foi traído por um amigo??? Cara, você vai se surpreender... As pessoas se traem a todo instante. E …

** Na BrinCadeiRa, eu diGo a VerDade **

Certas palavras são ditas como por brincadeira, meio sem jeito... toda tímida... Mas são palavras... Que não voam com o tempo, permanecem com vida! Às vezes digo que amo, outras nem isso...
Mas basta ver aqui na menina dos meus olhos a alegria de estar com você o êxtase, o sorriso solto, minha maneira sem jeito de mostrar que me faz falta
Falta da felicidade eternizada na memória das lembranças boas
Fico sempre com a platéia das emoções, do seu cheiro inconfundível, da batida calma do seu coração que adoro (adorava) escutar facilitando sentir seu amor próximo ali adormecido velado muitas noites  pelo meu...
(by JanNe)