Pular para o conteúdo principal

ViStA-Se d VoCê

Ufa! Eis me aqui novamente (diga-se de passagem, que estou bem, apenas limitada ao acesso delicioso do mundo virtual – hmmmmm ficar sem net já há algumas semanas no trabalho confesso que não está sendo nada, nada boOm). Mas enfim, embora esteja ‘ausente’ desse mundinho que particularmente a-d-o-r-o, a vida segue impetuosamente e o tic-tac não pára.
Muita água rolou debaixo dessa humilde ponte... Notícias boas e ruins sempre ali juntinhas, afinal nada é perfeito e nada vem ao acaso. Senti muito acompanhando os noticiários e mais ainda pela tragédia do Air-France (que Deus tenha resgatado aquelas almas com todo seu amor e carinho infinito – tudo muito lamentável!).
Nunca superei bem essa palavrinha ‘morte’. Ela é cruel e dolorosa, embora apenas uma passagem. Mas lamento pela saudade e me comovo pela dor alheia, afinal esse lado sempre me aflora quando menos espero. Senti muito mesmo (e não somente pelos irmãozinhos que se foram, mas sim por todos os outros que a todo instante estão partindo. A vida é assim, em certos momentos incompreensiva perante nossos olhos).
Fico feliz por ainda ter em meu peito um amigo que bate incansavelmente e me permitir viver cada dia a sua maneira... Fico feliz por saber que embora os tropeços eu ainda continuo aqui, seguindo o que me foi ofertado, dando continuidade ao ciclo respiratório que a vida suprema me presenteou.
Viver é tão bom. Uma pena os valores de uma vida não estarem presentes em nossas mentes a todo instante e momentos. É tanta coisa para se preocupar, com filhos, com carreira, sonhos, metas, concretizações, buscas, perfeições, etc, etc, que nos esquecemos de realmente dar um ‘pause’ e viver. Viver os minutos, viver o presente, viver as cores, as emoções, sentimentos, paisagens, pessoas, viver de fato o amor...
Pra ser sincera, eu apenas lembro-me de ‘viver’ quando me deito na cama e reflito sobre meu dia... Mas daí ele já se acabou... Não tenho mais chances de ligar para alguém e dizer o que queria dizer, não dá mais para abraçar calorosamente aquele amigo, aquele parente, aquele filho (a) tão querido... é apenas hora de dormir, pois meu corpo (meu velho veículo) já me pede arrego e me obriga a sair de cena por algumas horas. Triste isso, não??
É, mas não sou a única a estar nessa ‘correria’ diária. Há muitos como eu por ai. O primordial é conscientizar-se! E botar com tudo o pé no freio...
Piso sempre quando reflito. Quando deixo de lado essa máquina de viver e me ligo a vida espiritual. Não me custa nada admirar o céu e agradecer a Deus por toda oportunidade, por toda bondade e pela minha liberdade de escolha. Sou livre, só me faltam asas reais, pois as imaginárias me levam aonde quero.
E hoje eu desejo isso a você caro amigo (a) blogueiro (a)... QUE VOE... Voe alto, veja a si mesmo, reflita e viva... Permita o amor invadir o seu ser (e arquive por alguns momentos seus problemas, angústias, lágrimas). Dê uma folguinha às lamentações e fique em silencio absoluto... Amanhecerá um novo dia, você verá!
bjuxxx
Jana

Comentários

Postagens mais visitadas deste blog

FrOntEirAs dA ViDa

As fronteiras são simultâneas, vão e vem sem que gritemos por sua necessidade, elas apenas acontecem e se colocam como uma linha imaginável entre o certo e o errado. Somos educados apenas para respeitá-las, como reais limitações. A fronteira de uma vida tem fases, nomes, sentimentos e emoções. Quando pequenos nossa fronteira chama-se tempo. Ela nos impede de termos a noção de nossas escolhas, nos colocam um freio e vivenciamos um mundo infantil, totalmente alheio, tão imensamente inocente. Depois a fronteira se estende e entramos numa espécie de confusões e anseios infinitos e de difícil moderação. Somos enfim, adolescentes.
Apáticos, alegres e dificilmente compreendidos. A fronteira é única, a de um mundo de ilusões sem fim. Tudo acontece, tudo se perde da maneira como se chega.
A fronteira da maturidade é a felicidade...
Certo? Errado? Não mais. A questão agora é tudo ou nada. Ou tenho tudo ou não tenho nada. Quero meus sonhos aqui agora, ou não os quero mais. Abandono-os na fronteira …

Amizade conveniente

Hoje acordei com saudade de ter um amigo por perto. De jogar conversa fora, de dar aquelas velhas gargalhadas ou simplesmente de olhar para o tal amigo e desvendar suas mensagens codificadas, sejam elas quais forem (através de um olhar, de um gesto, de meias palavras ou de seu próprio silêncio). Li certa vez que “amigos são anjos que Deus colocou a nossa volta”, será que isso bate com a realidade??
Só acho uma tarefa um tanto quanto difícil. Imagina entender a alma alheia? Decifrar códigos, saber suas cores preferidas, o que gosta ou que não gosta, aceitar numa boa suas opiniões (mesmo tendo a sua totalmente contrária) e acima de tudo apoiar-lhe quando as chances de acertos são nulas e “seu amigo” não enxerga isto.
A probabilidade de ser ter um amigo fiel – justo – perfeito é de 0,05% (acha pouco?) então saia pelas ruas e pergunte ao número de pessoas que quiser se este ou aquele já não foi traído por um amigo??? Cara, você vai se surpreender... As pessoas se traem a todo instante. E …

** Na BrinCadeiRa, eu diGo a VerDade **

Certas palavras são ditas como por brincadeira, meio sem jeito... toda tímida... Mas são palavras... Que não voam com o tempo, permanecem com vida! Às vezes digo que amo, outras nem isso...
Mas basta ver aqui na menina dos meus olhos a alegria de estar com você o êxtase, o sorriso solto, minha maneira sem jeito de mostrar que me faz falta
Falta da felicidade eternizada na memória das lembranças boas
Fico sempre com a platéia das emoções, do seu cheiro inconfundível, da batida calma do seu coração que adoro (adorava) escutar facilitando sentir seu amor próximo ali adormecido velado muitas noites  pelo meu...
(by JanNe)