sexta-feira, 4 de dezembro de 2009

** QuEiRa VivEr **


Li os jornais hoje.
Mortes, suicídios.
É horrível saber que uma pessoa tirou sua própria vida do caminho.
Já tive momentos em que achei que não iria suportar... que se a morte se adiantasse seria um alivio, mas olha como pensei errado. Eu lutei. Fui a fundo e algo em mim (que chamo de força divina) foi bem maior que toda tristeza que estava disposta a roubar-me a vida.
Sem contar que minha crença abomina tal situação, mesmo ela sendo uma atitude individual, de livre arbítrio... um ato deliberado de extinguir a própria vida. Sou contra.

Sou a favor da vida. Da luta, da guerra pessoal e em se obter uma vitória satisfatória contra si mesmo. Nada melhor que vencer medos, frustrações e problemas que mais parecem furacões, tsunamis em grande escala.

Há os que tiram a vida para se tornarem história (por ex caso do Getúlio Vargas, etc, etc). Há aqueles que querem apenas sair de uma situação desesperadora, de grande sofrimento, julgando-se incapazes de ter esperanças. Há os que dão fim a vida, apenas por darem. Sem motivo aparente, sem razões (alem de suicidas, são loucos isso sim).

Sabe aquela velha história de que damos aos nossos problemas o tamanho que queremos??
Sim, isso é verdade!
Se olharmos para ele e enxergá-lo pequeno... Será pequeno – sei que é fácil falar quando não se está sentindo na pele – Sei disso. Mas se deixarmos que ele fique grande.. ficará... tomará conta de tudo... e não haverá armas para se lutar contra.
Para mim, a solução está na fé, no querer, no acreditar.

Posso estar me afogando em lágrimas, mas sei que a luz divina virá ao meu encontro. Isso se chama “Esperança”. Tenho uma plantação dela aqui dentro do peito. E todos os dias cuido com carinho.
Problemas... ah, todos os temos. Grandes, pequenos, de médio porte. Mas convivemos com eles. Pedimos aos céus para que essa convivência seja harmoniosa. Que saibamos lidar, controlar... e resolver.

É pura falta de juízo desistir dessa vida tão bela. Dessas cores lindas que encontramos no céu azul infinito... no profundo do mar, no verde vivo das árvores... no brilho dos olhos de um ser igual ou não. Tudo que existe aqui desse lado tem sua vida especial. O outro lado deve ser interessante também, mas não me arrisco a descobrir agora suas reais belezas. Prefiro deixar pra depois, na hora certa... e quando Deus decidir.
Pelo que li... o suicida torna-se um ser vagante, arrependido... e seu sofrimento é ignorado até que chegue seu momento certo. Morre-se pela vida e vive-se pela morte. Vai entender.

Até mesmo nos meus piores momentos, fui a favor da vida.
Mesmo que ela perca momentaneamente sua cor... eu serei a seu favor. Porque a vida está em mim, pulsando... gritando: "Ei estou aqui!"

Deixo meu respeito aos que partiram ou resolveram partir antes do tempo. Mas não ignoro minha indignidade... minha vontade de gritar: "- Voltaaa!"
Lamento apenas.
E desejo que Deus segure a mão de todos...





Nenhum comentário: