quinta-feira, 23 de junho de 2011

** ExpreSso **



Subi nesse expresso...
Nem quis saber de olhar para trás e derrubar as lágrimas que já estou pra lá de acostumada. É difícil compreender, mas o momento é de rodar a catraca e seguir sozinha. Acomodar-se nesse banco perto da janela e ver as paisagens passarem...
O frio que ando sentindo deixa os vidros embaçados e escrevo algo para sair desse momento paralisado...
Uma força maior me leva a tomar atitudes que nem me atentava e muito menos que fossem doer um bocado.
Olhei as bagagens, por alguma razão carrego algumas.
E voltei o olhar embaçado lá para fora...
O sol está indo embora... As arvores continuam tão verdes que me fascinam... e a brisa suave do fim de tarde seca o que rola sem permissão alguma.
Meu destino?
Ainda não sei. Mas tomei a atitude certa.
E a cada dia vou renunciando...

Pelo contrário não há tristezas excessivas. Há alivio...
Não vejo mais a vida como um brinquedo que se desmonta e conserta-se. A partir de agora as lembranças precisam ser inteiras e não pela metade e muito menos conseguirei destruí-las em momentos de raiva. Pois elas permanecem, me rendem em momentos inseguros.
E nem tenho mais onde colocar tantas tentativas... ou tantos erros.

Por isso embarquei sem aquele momento de ‘adeus’.
A alma continua repleta de escoriações, mas sei muito bem cuidar dela e arranca-lhe um riso tímido de ‘coragem’...

(...)

by JanNe




2 comentários:

Thatica. disse...

Muito lindo esse texto. Emocionante.
Imaginei um trem.. e as pessoas dando aquele tchauzinho.

é amiga, a vida é assim..

pessoas vem.. pessoas vão..

a gente tbm.. vai e vem na vida das outras pessoas..

beijos te adoro!

Thatica. disse...

ah.. sem me esquecer.. obrigada pelas palavras e por toda preocupação comigo! Fica com Deus.. vc e sua familia.. suas filhas!