segunda-feira, 24 de outubro de 2011

** CiClOs **

Há sempre dois caminhos. Um que seguimos por instinto achando que é o mais sensato e outro que nos puxa feito imã e as certezas não existem. Talvez o segundo seja o que mais atraia, mais receba transeuntes e nos leve a paisagens desconexas.

E o acerto é quase incerto, como em quase tudo na vida.
Uma flecha que segue em disparada a um alvo...
Distante, perto... Ele está lá, sei disso e será fincado com a força da minha alma.

Será que vai doer?
Ah, mas nem tenho argumentos para me defender!
Ela (a flecha) apenas segue numa velocidade insana... Derrubando, desviando...
Queimando tudo, fazendo de cinzas metade da minha historia.

Sinto-me presa ao cheiro, ao toque, as coisas estranhas que sinto.
Presa a outro mundo, onde as palavras ainda soam codificadas.
Sigo apenas o instinto.
De querer, de estar bem, de pisar em nuvens.
É tudo tão surreal, que mesmo enxergando, desacredito.

O novo sempre me assusta.
Sempre é violento, sempre me deixa estagnada.

Estranho mesmo é essa paisagem alterada, essas cores vibrantes.
É essa brisa tocando meu rosto, como dedos suaves e amedrontados.
Causando-me medo a euforia.
Morro pra nascer de novo e nascendo morro para reviver mais uma vez.
É um ciclo viciante e em cada um deles, novo suspiro.
Nova estória, novos personagens, novos horizontes.

*Fico atenta, alerta. É que eu não quero tropeçar, não quero parar, nem perder tempo. Não quero desperdiçar vida. Nem vontade de viver.

Na verdade, é tudo que posso dizer...


(by JanNe)









2 comentários:

Janaína Pupo disse...

Amiga, bora escrever um livro pois talento vc tem de sobra!
Beijos minha flor, saudade!

Janaína Pupo disse...

Amiga linda, to rindo muito com o teu comentário... uma chupeta por favor kkkkkkkkkkkkkkkkkkk

Beijos minha querida!