quarta-feira, 16 de maio de 2012

** Enigmas reais **




Todo final representa um momento doloroso, mas que precisava terminar. Dói, mas é necessário!
Assim, ando pondo fim em certas emoções que vivi,
Em amizades que não aprecio mais tanto assim...
Em amores degradantes...
Em fios enrolados a um nada.
Quero liberdade, mais sem retornos. 

A sensação que ando degustando ultimamente tem sabor amargo. De desprezo, como se não fizesse parte de mim e mesmo assim, me obrigo a provar. Não preciso mais disso!
Sinto-me fora. Ausente. E quando retorno, me xingo.
Como se encontrasse minha casa (minha vida) de pernas para o ar. Da maneira que jamais gostaria de visualizar.
Sento, choro. Reflito. Não lágrimas de/ou por fracasso. Mas por não desejar mais isso.
Sentimentos, amizades sem alianças, pessoas falsas e medíocres, as quais usurpam meu bem estar, meu infinito. 

A ânsia de harmonização interior vem sendo mais forte.
São meus dons que gritam.
Meus sonhos que me cutucam para serem reais.
Meus desejos ocultos que querem aflorar.
Mais para que sejam reais, preciso me libertar e limpar toda sujeira acumulada em anos de escuridão... 

Não há mais várias em mim. Restou somente uma. A que realmente sempre esteve ali, buzinando coisas certas em meus ouvidos... A que espiritualmente deveria ter seguido, mas desviei atordoada, feito criança malcriada. 

E nesses dias venho sendo cobrada arduamente por mim mesma. Cobrada em mudar as situações. Obrigada a respirar o ar presente, gélido... Mas como tem que ser, sem fugir disso. Como se voltar em si fosse uma promessa. Uma divida.  

Eu achei que não fossem necessários os perdões. Mas essa palavra tem poder. Tanto para quem os solicitam como também para quem os doa. Notei que através dos perdoes nos sentimos menos apegados, menos presos e assim saímos de nossas masmorras. E principalmente libertamos nossos reféns, íntimos do coração, da alma.

Ando libertando meus reféns para poder ser libertada também, essa é a mais pura verdade. Mas não existe êxito se tudo for pela metade, tem que ser algo por completo... Mesmo que haja dilacerações, tudo tem que ser deixado ir.

E por fim, sei que meu encontro está próximo. Sinto-o. Pressinto.
Como o vento sopra frio e trás consigo várias emoções, sinto que estou cada vez mais perto...

Da luz divina. Dos meus anseios. De mim.


by JanNa 

P.s.; Essa música embora não agrade qualquer um, ela é bem propicia ao meu momento espiritual e real... feita do interior para o exterior... e voar... (pense).










2 comentários:

End Fernandes disse...

Perdoar é algo sensacional Jana!

Viu, sobre o seu blog, vc quer apenas um banner novo ou tem mais algum desejo? =]

Bjuuus

End Fernandes

...

Janaína Pupo disse...

Amada, vim te dar um cheiro e agradecer teu carinho. Amanha volto pra ler tudinho.
Beijos minha linda