Pular para o conteúdo principal

sOzInHaA, mAs eM pAz!



segunda-feira, 1 de setembro de 2008 17:16h

Estou tipicamente chata. A cartelinha do anticoncepcional chegou ao fim e com ela lá se foi o meu bom humor, meu animo e alegria. Ei, não tenho vergonha nenhuma em admitir que sofro de TPM – ainda mais quando estou sozinha. Cara, tenho grande facilidade em associar a perda de algo como coisa normal, agora se tratando de pessoas e relacionamentos, vixi sou um problema. Claro que não me enquadro à aquelas mulheres fanáticas, grudentas e que não aceitam a perda ou o fim (isso jamais – sou passiva demais para me dar ao luxo).
Aceito perder um amor, mas aqui dentro as coisas não são tão fáceis assim. Eu encaro uma espécie de luto pelo ex e passo até meses para me livrar do defunto-vivo (morto para mim e vivíssimo para o mundo).
Ressaltando que sou assim, desde que curta o tal fulano, caso contrário eu nem me abalo.
Coloquei um fim em mais um relacionamento e isso está doendo deveras. Mas foram meses juntando o lado bom e o lado ruim (mais ruins é claro, pois a única coisa boa nesse relacionamento foi a minha pequena Luiza). Coloquei tudo numa balança imaginária e percebi que meus esforços não valeriam nunca a pena. Conclusão: "CAI FORA LITERALMENTE".

Pra completar entrei numa fase de calmaria. De sossego.
À noite já não me atrai mais como antes.
Descobri que a paz está nas coisas mínimas e isso pode se resumir em ficar de molho em minha casa com minhas florzinhas. Desgastante é passar horas se arrumando para uma balada, se achar a deusa da noite e ao final dela retornar ainda mais vazia. Você tem que ter nascido pra lua como diz o ditado para sair de uma balada com o homem da sua vida. Isso é o mesmo do que ganhar na loteria sozinha...

Cansei de procurar. Que me achem primeiro.Estou aprendendo a gostar da “Solitude”. Ela não é o bicho-papão da minha história, há centenas, milhares de pessoas que curtam a solidão sem muitos grilos. Até tirei de um blog maneiro que estava lendo hoje, 10 bons motivos para pensar que ficar sozinho é bacana, eis que o publico a seguir:

1- você pode dormir sem banho;
2- dá para comer miojo e tomar coca-cola sem gás;
3- quando se quer perder o medo de ficar sem a pessoa que você gosta;
4- hoje é sua primeira noite com o aparelho de bruxismo;
5- a banda da internet é toda sua! (EH!)
6- e o controle remoto também! (EH!2X)
7- você pode adiantar o trabalho do próximo dia e ficar no irc planejando o próximo evento de software;
8- achar engraçado que o vizinho pode pensar que você é meio louca, porque fica conversando com os gatos;
9- se dar conta que você gosta de ficar acompanhada, mas não precisa;
10- se encher de amor e saudade para ficar junto com ele em breve.

É claro que A 10ª opção não está relacionada a mim, então preferi alterá-la:

10 – Se encher de amor por si mesmo e curti esse momento único, sendo egoísta, pensando em você apenas.

No momento não quero mudanças drásticas. Quero paz interior. Quero controlar minhas emoções, beber da água que me liberte de qualquer desassossego. Sinto o cheiro da fonte e só de estar próximo, me acalmo.

Uma boa noite a todos.
JanynhAaAaa

Comentários

Postagens mais visitadas deste blog

FrOntEirAs dA ViDa

As fronteiras são simultâneas, vão e vem sem que gritemos por sua necessidade, elas apenas acontecem e se colocam como uma linha imaginável entre o certo e o errado. Somos educados apenas para respeitá-las, como reais limitações. A fronteira de uma vida tem fases, nomes, sentimentos e emoções. Quando pequenos nossa fronteira chama-se tempo. Ela nos impede de termos a noção de nossas escolhas, nos colocam um freio e vivenciamos um mundo infantil, totalmente alheio, tão imensamente inocente. Depois a fronteira se estende e entramos numa espécie de confusões e anseios infinitos e de difícil moderação. Somos enfim, adolescentes.
Apáticos, alegres e dificilmente compreendidos. A fronteira é única, a de um mundo de ilusões sem fim. Tudo acontece, tudo se perde da maneira como se chega.
A fronteira da maturidade é a felicidade...
Certo? Errado? Não mais. A questão agora é tudo ou nada. Ou tenho tudo ou não tenho nada. Quero meus sonhos aqui agora, ou não os quero mais. Abandono-os na fronteira …

Amizade conveniente

Hoje acordei com saudade de ter um amigo por perto. De jogar conversa fora, de dar aquelas velhas gargalhadas ou simplesmente de olhar para o tal amigo e desvendar suas mensagens codificadas, sejam elas quais forem (através de um olhar, de um gesto, de meias palavras ou de seu próprio silêncio). Li certa vez que “amigos são anjos que Deus colocou a nossa volta”, será que isso bate com a realidade??
Só acho uma tarefa um tanto quanto difícil. Imagina entender a alma alheia? Decifrar códigos, saber suas cores preferidas, o que gosta ou que não gosta, aceitar numa boa suas opiniões (mesmo tendo a sua totalmente contrária) e acima de tudo apoiar-lhe quando as chances de acertos são nulas e “seu amigo” não enxerga isto.
A probabilidade de ser ter um amigo fiel – justo – perfeito é de 0,05% (acha pouco?) então saia pelas ruas e pergunte ao número de pessoas que quiser se este ou aquele já não foi traído por um amigo??? Cara, você vai se surpreender... As pessoas se traem a todo instante. E …

** Na BrinCadeiRa, eu diGo a VerDade **

Certas palavras são ditas como por brincadeira, meio sem jeito... toda tímida... Mas são palavras... Que não voam com o tempo, permanecem com vida! Às vezes digo que amo, outras nem isso...
Mas basta ver aqui na menina dos meus olhos a alegria de estar com você o êxtase, o sorriso solto, minha maneira sem jeito de mostrar que me faz falta
Falta da felicidade eternizada na memória das lembranças boas
Fico sempre com a platéia das emoções, do seu cheiro inconfundível, da batida calma do seu coração que adoro (adorava) escutar facilitando sentir seu amor próximo ali adormecido velado muitas noites  pelo meu...
(by JanNe)