terça-feira, 21 de outubro de 2008

TeMpOs QuEntEs



Terça-feira, 21 de outubro de 2008 17:29h

Pouco tempo para postar, afinal o turno está anunciando seu fim.
Dias ensolarados eu tive aqui dentro de mim.
Sabe quando se tem à vontade de jogar tudo o que não presta fora? Olhei as tais gavetas da vida e comecei a agir.
Estou bem melhor agora.
Custou-me a revirar tudo e me livrar das coisas e até mesmo de pessoas (essas foram as que mais relutei a deixar ir embora). Mas adquiri o hábito de ficar apenas com o necessário e saudável pra mim.
Quero a paz interior. O sossego.
Se for para amar que seja alguém especial, que me seja realmente importante.
Pela primeira vez na vida (fiquem pasmos eu sei!) eu estou tendo a paciência como minha aliada. Não quero nada no calor, na pressa. Quero viver tranqüilamente.

Passei por maus bocados mês passado. Se tive algumas pendengas a serem enterradas, encontram-se “jaz em algum lugar”, não mais em mim. E isso é por demais, importante.
A limpeza interior é a mais lenta que conheço (por isso devo ter calma... muita calma nessa hora!).

Como eu disse, o sol está brilhando. Algo está me deixando feliz.
É claro que o medo está aqui, latente. Poderia dar nome a essa felicidade inesperada, mas prefiro ocultar certos pontos para curtir o momento, tal faz uma pessoa egoísta, afinal gato escaldado tem medo de água fria.

É difícil querer escrever mil e uma coisas e não poder (não agora). Pode ser passageiro, mas enquanto as certezas não chegam, prefiro viver cada segundo (cara e que segundos!).

Bom, estou ainda sem palavras... me roubaram com um beijo.
O melhor nesse instante é começar a guardar as coisas, meus pertences e finalizar o sistema. Por hoje basta.

O amanhã a Deus pertence (não acham?).

Um beijoOO enorme
Janynha

Nenhum comentário: