Pular para o conteúdo principal

SejA + vOcÊ!



sexta-feira, 21 de novembro de 2008 10:47h

Manhã de sexta, um dia após um feriadão e nadinha pra contar.
Vamos falar do que então? Amor, paixão, tesão? Ah... essas coisas são mais fáceis senti-las e não argumentá-las.
Ouvi hoje (da boca de uma criança só para ressaltar) que o ser humano é feito de sonhos (bonito né!), mas a criança tem o dom de olhar o mundo com os olhos da alma, totalmente alheio a maldades, puro feito água cristalina. Quisera eu ter toda essa inocência. Mas ao contrário, estou mais para um anjo com chifres (pois, cara, penso besteira 24h do meu dia).
A minha honestidade te assusta?
Hahahahahaha... legal isso.

O amor, por exemplo, é algo que desconheço. Paixão, vixi... já vivi algumas, agora tesão sinto por tudo de bom que faço.
Sinto tesão pela vida, mas preciso de um amor para me apaixonar mais por ela (vai entender). Não dizem que cada louco tem sua mania? Eu tenho as minhas.
Meu problema está em ser intensa em tudo. Se tenho uma amizade, sou fiel e intensa. Se trabalho no que gosto, sou toda entregue, se me apaixono estou literalmente dentro d’água e numa dessas as expectativas criam-se automaticamente gerando grandes decepções.
Poxa, sou fiel a minhas ações e reações, talvez um defeito de fábrica, mas “bingo” essa sou eu.
Costumo me caracterizar como um jogo de quebra-cabeça de 200 peças ou mais, mas no final não há nada de anormal comigo, torno-me uma simples paisagem... basta ter olhos sinceros pra decifrar. Ei, mas não esquenta. Não estou fazendo propaganda, isso é apenas um post onde falo tudo que penso, lembra?

A perfeição existe mesmo somente em comerciais de margarida. Aqui a vida é real, pés no chão, esse é um dos meus lemas. Não tenho que ser perfeita ou fazer tudo de forma perfeita, eu erro e erro muito (o gostoso é admitir isso). Sou uma boa mãe (não perfeita), mas tenho a felicidade das gurias em primeiro plano... Depois vem as responsas, e por ultimo chego até essa muralha aqui (deveria ser ao contrário, mas é assim desde o principio). Não posso ser egocêntrica a ponto de cuidar apenas de mim, já que nessa mente elas (as florzinhas) são prioridade, são minha vida.

A maternidade me chegou bem cedo, no auge de uma adolescência problemática. Com ela chegou novos valores, novas razões. Isso nunca me fez melhor que ninguém, apenas tenho figurinhas pra trocar. Eu nem sei como seria se não fosse dessa forma, afinal em algum plano astral escolhi isso, então devo viver intensamente.

Sei minha estória assusta, impõe certos receios e que devo ter deixado passar o amor da minha vida sem se quer notá-lo (alias eu estava preocupada com outros assuntos). Mas se dessa vez, a Deusa da Felicidade passar por mim, vou agarrá-la nem que seja pelos cabelos. Só assim poderei dizer que obtive a ‘figurinha’ principal, a coringa. E juntarei de uma vez por todas, amor, paixão e tesão (na mais perfeita desordem).

BjoOO
Janynha

Comentários

Postagens mais visitadas deste blog

FrOntEirAs dA ViDa

As fronteiras são simultâneas, vão e vem sem que gritemos por sua necessidade, elas apenas acontecem e se colocam como uma linha imaginável entre o certo e o errado. Somos educados apenas para respeitá-las, como reais limitações. A fronteira de uma vida tem fases, nomes, sentimentos e emoções. Quando pequenos nossa fronteira chama-se tempo. Ela nos impede de termos a noção de nossas escolhas, nos colocam um freio e vivenciamos um mundo infantil, totalmente alheio, tão imensamente inocente. Depois a fronteira se estende e entramos numa espécie de confusões e anseios infinitos e de difícil moderação. Somos enfim, adolescentes.
Apáticos, alegres e dificilmente compreendidos. A fronteira é única, a de um mundo de ilusões sem fim. Tudo acontece, tudo se perde da maneira como se chega.
A fronteira da maturidade é a felicidade...
Certo? Errado? Não mais. A questão agora é tudo ou nada. Ou tenho tudo ou não tenho nada. Quero meus sonhos aqui agora, ou não os quero mais. Abandono-os na fronteira …

Amizade conveniente

Hoje acordei com saudade de ter um amigo por perto. De jogar conversa fora, de dar aquelas velhas gargalhadas ou simplesmente de olhar para o tal amigo e desvendar suas mensagens codificadas, sejam elas quais forem (através de um olhar, de um gesto, de meias palavras ou de seu próprio silêncio). Li certa vez que “amigos são anjos que Deus colocou a nossa volta”, será que isso bate com a realidade??
Só acho uma tarefa um tanto quanto difícil. Imagina entender a alma alheia? Decifrar códigos, saber suas cores preferidas, o que gosta ou que não gosta, aceitar numa boa suas opiniões (mesmo tendo a sua totalmente contrária) e acima de tudo apoiar-lhe quando as chances de acertos são nulas e “seu amigo” não enxerga isto.
A probabilidade de ser ter um amigo fiel – justo – perfeito é de 0,05% (acha pouco?) então saia pelas ruas e pergunte ao número de pessoas que quiser se este ou aquele já não foi traído por um amigo??? Cara, você vai se surpreender... As pessoas se traem a todo instante. E …

** Na BrinCadeiRa, eu diGo a VerDade **

Certas palavras são ditas como por brincadeira, meio sem jeito... toda tímida... Mas são palavras... Que não voam com o tempo, permanecem com vida! Às vezes digo que amo, outras nem isso...
Mas basta ver aqui na menina dos meus olhos a alegria de estar com você o êxtase, o sorriso solto, minha maneira sem jeito de mostrar que me faz falta
Falta da felicidade eternizada na memória das lembranças boas
Fico sempre com a platéia das emoções, do seu cheiro inconfundível, da batida calma do seu coração que adoro (adorava) escutar facilitando sentir seu amor próximo ali adormecido velado muitas noites  pelo meu...
(by JanNe)