sexta-feira, 5 de novembro de 2010

** ArtiManhaS NecEssÁriAs?? **


Estranhamente – ou por querer mesmo – nós mulheres, acabamos confessando certas ‘peculiaridades’ a ala masculina e nos deparamos com súbitas indignações que jamais esperaríamos de seres ‘tão racionais’ como os homens. Até parece que de um segundo ao outro nos tornamos ‘monstros da desonestidade’ na visão desses seres que, particularmente, sou super fã.

Hmmm... Traição!
Um ato alarmante – mas que todos acabam provando o sabor – mas que nunca, ninguém jamais quer assumir tal fato. Cabe a eu rir de certas hipocrisias ou até mesmo das opiniões contrárias, mas pelo jeito, assumir mesmo parece ser algo mais difícil do que a pratica em si (risos).

Meu Deus, quem é que nunca traiu ou foi traído nessa vida?
Nem preciso de respostas para uma coisa tão óbvia.
Claro que ninguém quer ser traído... mas trair já são outros quinhentos.
Antigamente, quando a vida parecia uma Puritana cheia de tabus (kkk graças ao meu contato com as teorias e censuras de minha avó e da minha própria mãe), cheguei a abominar certa questão. Achava que traição era feita para os desonestos, para os sacanas e sem coração... Mas o mundão – esse camarada altamente pervertido – me provou o contrário. E hoje não sou mais tão desinteressada assim no assunto, ao contrário, acho necessário em certas ocasiões S-i-m.
Ei minha gente! Claro que trair por trair me causa certo revertério, mas há casos e casos. Existem pessoas que vivem disso – como fosse uma profissão extra, parte do cenário do dia-a-dia ou sei lá o que... Outras fazem por não terem controle, por satisfação do ego ou até por vingança (é... já ouvi e vi muito disso) e algumas pessoas apenas ‘cometem o tal delito’ por simples questão de curiosidade, por se verem tendo outras emoções em braços diferentes do habitual. Talvez trair (uma única vez) seja a chave para muitas perguntas e enganos, tais como a busca da autoconfiança, do desejo perdido, do poder de sedução evaporado e falta de confiança consigo mesmo. Sei lá... Existem N motivos e nem dá pra sair por aí numerando todos.

Na verdade, tem que se ter certa habilidade ou ser ‘ninja’ na arte de dialogar esse assunto. Pois como eu disse, as pessoas enganam mais a si próprias, criando criticas terríveis em cima de um assunto tão natural. É uma mescla de opiniões e a ala masculina é a primeira a disparar suas criticas contra uma mulher caso esta assuma os fatos numa boa. Juro que não compreendo direito essas artimanhas masculinas, pois nesse caso não há superioridade... Somos todos iguais. Erramos sempre, com o sem traições.

Promiscuo pra mim é quem vive disso por apenas obtenção do seu prazer. Sem pensar nos riscos e principalmente na pessoa que está altamente fiel ao seu lado (será?). Mas também jamais vou julgá-lo, cada um com seu queijo e coma ele conforme sua fome... uma hora ele vai ser todo devorado ou se você ficar guardando vai estragar mesmo... então acabo sendo a favor de se viver direito... colocando tudo numa balança caso você precise de muitas respostas. Pelo menos sou do tipo ‘curiosa’...

Até mesmo sem querer, acabo sendo mil mulheres em uma - e a grande maioria é assim vai!. Tudo depende do momento. Sou certinha, sou honesta, sou amável, doce e envolvente... mas também sei ser a bruxinha da vez. Tempero tudo num caldeirão e preparo porções boas ou ruins... tudo depende da intensidade das emoções... de como elas chegam  e como elas terão que ser devolvidas.
Se trair for um fator relevante, desculpa... mas não importo nem um instante de deixar meu lado ‘emocional’ de lado... tsc.. tsc... afinal cada um recebe o que merece. Agora se o amor é pertinente e saudável, ele encontra fácil fácil a princesa dentro de mim...

O importante é não deixar o erro se tornar um ciclo vicioso. Há sim os que merecem tudo de bom e os que não merecem nada... Confesso que alguns valores morais impulsionam sempre o: sair de cena, pular do titanic, voar sem olhar para trás, e ter mesmo aminésia da infidelidade ou infelicidade. Afinal o favoritismo a dignidade acaba sendo uma arma pesada em nossas mãos.

Desafiar certas moralidades não é uma questão fácil, sei muito bem disso... Mas autoconhecimento é essencial em nossas vidas. Deixemos os “Santos e Santas” nos altares e passemos a viver a vida como ela é...
Só estou incentivando as pessoas a se conhecerem melhor, sem banalizar o pessoal da honestidade ou desonestidade... afinal já provei o amargo e o doce desse assunto até me lambuzar.

Kiss Kiss
by JanNe


2 comentários:

End Fernandes disse...

o importante Jana eh nao trair a si mesmo
=]

eu disse lembra que nao consigo estar meio apaixonado, por que dentro de mim tudo aflora e tudo transborda

o alerta que eu deixei eh sobre o trair para fazer mal ao outro, magoar.

Trair por prazer carnal eh mais aceitavel, afinal a diversidade cultural no Brasil eh imensa e qdo se esta com uma morena sempre rola um desejo por uma loira nao tem como nao ser carnal kkk

agora quando se esta apaixonado pelas duas? eh um jogo neh? e vc tem que estar ciente que pode perder tudo de uma hora para outra, caminhos do caração são foda rs

adoro qdo vc escre ve pra mim kkk

nesse texto vc conseguiu se sair melhor que na conversa...

bjuuus
c cuida
=D

Alisson da Hora disse...

Do amargo e do doce =) você escreve muito bem! Ah, dá uma olhada no meu outro blog, aquele o qual você leu é mais de zoação mesmo... www.pontispopuli.blogspot.com é o blog no qual eu escrevo há mais tempo...

Engraçado... tu és de Campinas? Eu viajo para aí segunda!

beijos! e obrigado por me seguir...