Pular para o conteúdo principal

** ConEctAda MsM **


Remenda-se aqui... remenda-se acolá. Fico olhando o vai e vem frenético das pessoas, do tempo, dos acontecimentos, como se fossem vídeos acelerados e malucos diante dos meus olhos.
As pessoas não se trombam mais – e confesso que até já me acostumei com esse mundo virtual, onde todos parecem estar dentro do mesmo lugar – mas na realidade a distancia se é bem maior entrelaçada a fios e redes de conexões.
Passamos o dia contando que as horas voem depressa. Talvez uma questão justa para se ver livre logo das obrigações de um mundo adulto e real para cairmos inertes em uma cama fria e só nossa – Ah é esse o tempo em que desligamos o automático e como conseqüência nos ‘desligamos’ até mesmo sem querer de nós mesmos, pois o existencial torra o saco!
Não há mais tempo para contatos físicos – até fujo de alguns na cara dura e nem sei explicar direito o porque... “Canseira? Desgaste? Stress ou por já saber o que vai acontecer?
A real é que o calor humano ao mesmo tempo em que faz falta ele nos deixa fadigados. Entremos então no virtual, afinal não preciso estar linda e maquiada para um encontro casual na net... não preciso desperdiçar minha melhor fragrância ou roupa caso o encontro não atinja as expectativas esperadas... e se o papo estiver cansativo, basta modificar com um clic meu status para “Ocupado” – “Ausente” – e até mesmo “Offline”.

Aprendi a me aperfeiçoar e aceitar bem esse mundo surreal. Gosto dele, na boa. Conectada a uma rede se obtém a atenção devida (chama-se à atenção caso quem estiver do outro lado demore a responder), se fala coisas que nem por brincadeira se falaria na real. As palavras brotam... Fluem... Ganham asas virtuais... e até mesmo as sensações podem ser expressadas com ‘emotions’ mesmo quando se a piada não teve tanta graça assim, lá está você tendo seu sorriso bem representado.

Amam-se, beijam-se... trocam-se confidências... transformam-se em amigos, namorados, amantes e em seres perfeitos e sonhados... Um estranho torna-se ao acaso seu melhor amigo e o real é deixado para trás. Perdem-se horas aqui... e ainda assim, sempre tenho a sensação que poderia ter visto mais, falado mais, procurado mais, visitado mais páginas e ter me transportado para outros mundos virtuais.
Com um mero download se recupera uma música perdida pelo tempo. Atualiza-se, se diverte, se brinca e assiste os filmes que não se tem tempo para ir ao cinema, nem mesmo na ultima sessão.

Antes mesmo de se ouvir uma voz grave ao pé do ouvido, através dos sites de relacionamentos se descobre tudo sobre a pessoa...
As comunidades te apresentam a um ser em apenas alguns segundos... sei quem é, o que gosta de ler, o que curte comer, o que faz, o que sonha, etc, etc... Me identifico em instantes... e se não... nem repasso meu link.

Acabou aquela coisa gostosa de passar horas tentando absorver tudo em um único encontro cara-a-cara, tet-a-tet... fugindo de olhares e toques de mãos frias – nossa faz tempo que não sinto essas coisas. Os encontros hoje são pra lá de ultra planejados via bate-papo.

Eu hein!
Ainda sinto medo dessas coisas!
Sou atualizada, mais ainda com certas censuras de antigamente (kkk coisa de velha é eu sei). Não me importo de ser eu mesma aqui (virtualmente) ou em qualquer lugar. Claro que muitos interpretam mil Janas ou JanNes diferentes e dou muita risada disso, afinal estando conectada aqui sei que meu estado de humor influencia e muito, confundindo os seres do lado de lá, pois ora sou calorosa e outras fria. Oras estou só para brincadeiras e noutras quero um papo sério de gente grande mesmo. Quem entende? São todos assim.

Sei mesmo é que tento aproveitar tudo, antes que a realidade do fim do turno trabalhado me expulse ou então por um mero capricho a conexão caia e sabe-se lá quando vai ressuscitar... Pois aqui... tudo é possível.

Viva o virtual!

BjOkas
BoOomm final de semana Galera

* JaNne * Offline



Comentários

ººº
Tem mesmo que aprender a viver e aceitar bem esse mundo surreal e.... virtual !!
Janaína Pupo disse…
Adorei o texto, linda! Muito bom.
Ótima semana.
Beijos.

Postagens mais visitadas deste blog

FrOntEirAs dA ViDa

As fronteiras são simultâneas, vão e vem sem que gritemos por sua necessidade, elas apenas acontecem e se colocam como uma linha imaginável entre o certo e o errado. Somos educados apenas para respeitá-las, como reais limitações. A fronteira de uma vida tem fases, nomes, sentimentos e emoções. Quando pequenos nossa fronteira chama-se tempo. Ela nos impede de termos a noção de nossas escolhas, nos colocam um freio e vivenciamos um mundo infantil, totalmente alheio, tão imensamente inocente. Depois a fronteira se estende e entramos numa espécie de confusões e anseios infinitos e de difícil moderação. Somos enfim, adolescentes.
Apáticos, alegres e dificilmente compreendidos. A fronteira é única, a de um mundo de ilusões sem fim. Tudo acontece, tudo se perde da maneira como se chega.
A fronteira da maturidade é a felicidade...
Certo? Errado? Não mais. A questão agora é tudo ou nada. Ou tenho tudo ou não tenho nada. Quero meus sonhos aqui agora, ou não os quero mais. Abandono-os na fronteira …

Amizade conveniente

Hoje acordei com saudade de ter um amigo por perto. De jogar conversa fora, de dar aquelas velhas gargalhadas ou simplesmente de olhar para o tal amigo e desvendar suas mensagens codificadas, sejam elas quais forem (através de um olhar, de um gesto, de meias palavras ou de seu próprio silêncio). Li certa vez que “amigos são anjos que Deus colocou a nossa volta”, será que isso bate com a realidade??
Só acho uma tarefa um tanto quanto difícil. Imagina entender a alma alheia? Decifrar códigos, saber suas cores preferidas, o que gosta ou que não gosta, aceitar numa boa suas opiniões (mesmo tendo a sua totalmente contrária) e acima de tudo apoiar-lhe quando as chances de acertos são nulas e “seu amigo” não enxerga isto.
A probabilidade de ser ter um amigo fiel – justo – perfeito é de 0,05% (acha pouco?) então saia pelas ruas e pergunte ao número de pessoas que quiser se este ou aquele já não foi traído por um amigo??? Cara, você vai se surpreender... As pessoas se traem a todo instante. E …

** Na BrinCadeiRa, eu diGo a VerDade **

Certas palavras são ditas como por brincadeira, meio sem jeito... toda tímida... Mas são palavras... Que não voam com o tempo, permanecem com vida! Às vezes digo que amo, outras nem isso...
Mas basta ver aqui na menina dos meus olhos a alegria de estar com você o êxtase, o sorriso solto, minha maneira sem jeito de mostrar que me faz falta
Falta da felicidade eternizada na memória das lembranças boas
Fico sempre com a platéia das emoções, do seu cheiro inconfundível, da batida calma do seu coração que adoro (adorava) escutar facilitando sentir seu amor próximo ali adormecido velado muitas noites  pelo meu...
(by JanNe)