quarta-feira, 21 de maio de 2008


21/5/2008 11:11:53

Quarta-feira nervosa! Amanhã estarei de folga (puts nem acredito). O que cansa não é o trabalho, mas sim ter que agüentar esse ambiente fechado (até o ar lá de fora parece ter parado), talvez sejam os anos aqui passados que começam a pesar...

Estou ansiosa, uma porrada de coisa na mente, um muro enorme construído em minha volta durante esses dias (estou falando sentimentalmente), mas que basta um simples gesto e tudo vai pro brejo. Já não tenho controle de minhas vontades (isso que o “X” da questão). Nunca me vi assim, nunca agi do jeito que estou. Embora minha opinião esteja formada, na hora em que preciso colocá-la em prática eu me traio. Tô numa grande confusão, isso sim. Às vezes odeio, outras me sinto como uma menina fanática... (caralho, já não tenho idade pra ficar em meio a tanta patiaria). Creio que uma hora isso tudo vai passar como chegou (do nada).

De uns tempos pra cá, meu desejo de trabalhar na área da enfermagem anda falando mais alto... foi tão difícil concretizar parte desse sonho que deixá-lo parado (feito um carro quebrado) chega a ser um ato de suicídio de minha parte (pois estou deixando esse sonho morrer a cada dia). Sinto saudades do contato com as pessoas, de ver nos olhos dos pacientes aquela gratidão por você estar ali (feito anjo)... É claro que nada é como um mar de rosas, mais a satisfação que obtive nos estágios é que me faz querer nesse momento fincar meus pés no chão nesse trabalho. Estou batalhando (aos poucos)... Algo me diz que essa realização profissional irá mudar muita coisa em minha vida... prefiro acreditar nesse “sexto sentido” e remar a favor da maré.

Mas vou dizer uma coisa certa... Carregar o seu mundo nas costas é complicadíssimo. São poucas as pessoas que conseguem, pois na maioria (como já presenciei bastante) abandonam o barco ainda na terra (sentem-se cansados antes mesmo de empurrá-lo para o mar). Eu admiro as pessoas que possuem a tal “força de vontade”, que lutam por um objetivo e que dão o sangue para ver esse ou aquele sonho concretizado. Como li em um livro, a felicidade não é desse mundo. Por isso que passamos a vida toda correndo atrás dela, como um vício mais absurdo. O que existe é a felicidade momentânea... Todos a temos e por um vacilo a perdemos e lutamos para adquiri-la novamente... “Cara preciso mesmo é fazer psicologia para entender melhor esse mundo interior maluco!!!” (mais aí já é outra estória).

Bom, o relógio parece colaborar com minha ansiedade de ir embora. Falta pouco, muito pouco para se iludir com minha folguinha e aproveitar o amanhã (esse dia já está quase pago, graças a Deus).

BjoOoo
Jana










Nenhum comentário: