quarta-feira, 14 de abril de 2010

** MeDo, aS veZeS baTe **


Ah, tem horas que dá vontade de fugir...

Esquecer que sou mulher, amiga, mãe ou filha.

Queria correr livremente, cabelos soltos ao vento... sem saber para onde ir.

Mas algo me impende.

Talvez um sorriso doce, um carinho no rosto, um beijo sem malícia.

Ou talvez seja minha própria história...

Aquela que Deus desenhou pra mim.

Há laços que não sei mais viver sem.

Que enfeitam minha vida e não me deixam vacilar.

Sempre me põem de pé,

Faz-me secar as lágrimas do cansaço e continuar...

Queria sim que tudo fosse diferente...

Que meus sonhos fossem ouvidos, que saíssem da nostalgia.

Que pudesse dar o meu melhor as minhas florzinhas,

Que cuido, que zelo como todo amor de mãe, com alegria.

Não desanimo, algo em mim me guia.

Brota coragem aonde não mais existe.

Alimenta meu ser, pelo necessário...

Só quero ser feliz!

Quero ter o amor que nunca tive,

Os sorrisos que engoli por medo de me magoar,

Não ser deixada no vazio de uma madrugada,

Amar e ser amada.

Uma troca justa, já que me ralei tanto com os espinhos

Nessa eloqüente jornada.

Quero eternizar o som da risada daqueles pequenos seres que são parte viva de mim...

Partes que me alimentam a alma... Transbordam meu coração de paz.

Sou gigante quando olho para elas...

E pequena quando tenho a certeza que um dia, as deixarei...

Meu coração de mãe, mulher, amiga e filha se torna um grão de areia

Quando tenho esses anseios.

Medo de perder... medo de não viver,

Sei lá...

Tem horas que os medos são maiores e nos fazem ter pensamentos pequenos.

Há muitas páginas ainda para se colorir...

Há muito pra sorrir...

Dias que virão, cinzas... azulados...

Tudo depende de mimMm...



By Jana


Nenhum comentário: