quarta-feira, 28 de julho de 2010

** As CoRes tEm VidA **


Correria total e eu maravilhada com tantos acontecimentos...
Nem para postar estou com tempo mais, afinal essas provas estão me sugando... eita coisa boa! Afinal conhecimento nunca é demais, ainda mais se tratando daquilo que realmente gosto de fazer e faço com amor.

Hmmm amor... falando nisso, descobri uma nova paixão em minha vida e eis o motivo que estou altamente maravilhada... digamos que fui resgatada daquela ‘tristeza’ e estou tendo meu mundo invadido pelas minhas cores tão queridas.
Descobri que há várias formas de se amar... várias formas de entregas... vários ângulos desse sentimento tão sublime. Infelizmente fui apresentada ao lado negro do amor (é... isso existe!) e as experiências não foram nada agradáveis. Mas não dizem que até mesmo na dor se aprende algo? Então... estou aprendendo. Um jeito mesquinho de se enxergar o lado bom estando em meio a uma escuridão em que eu imaginava não ter fim. Mas há sempre uma luz a qual nos recusamos a enxergá-la quando o que mais queremos é morrer para o mundo... ela até atrai, mas nesses momentos queremos mesmo é ficarmos quietinhos, tentando amparar esse sangramento imaginário que não cessa... não cessa... devido a nossa teimosia ou falta de coragem.

E graças ao “Papai” minhas forças foram renovadas.
De um jeito ou outro eu sai de onde estava e me obriguei a ser feliz a todo custo.
Foram momentos complicados, onde a melhora vinha com a piora. Onde o sorriso iluminava rapidamente e depois se apagava feito a chama de uma vela exposta ao vento.

Ainda sinto amor... pra que ser hipócrita?
Mas ele tem suas cores originais e ficará em mim até quando resolver dar o fora. Sou fiel a ele quando menos espero e me surpreendo com minha fidelidade. Mas ‘Papai” sabe o que faz e é ele quem cuida agora, não mais euzinha aqui.

Escrever em novas linhas me trouxe uma certa habilidade que eu achava que tinha, mas agora é tudo tão diferente.
Consigo falar de mim numa boa e tento ao máximo não expor esse lado que me levaram embora numa amputação drástica.

Hoje faço dia sempre dentro de mim – como se nunca mais anoitecesse. Fujo da noite e das suas frustrações... convivo com ela sem notá-la, sem admirá-la (já que sua brisa me trás emoções adormecidas – não preciso mais disso).

E quando tudo vem com força eu corro para os braços de “Papai”. Entrego a ele a alma que eu já não sei mais amparar. E assim volto em mim.

Assim as cores ficam azuis, brancas, verdes, amarelas, rosa...
Choro de alegria em saber que dessa vez as compassadas do meu coração não vão mais me trair.

Isso me basta!
Isso me faz feliz.

By Jana

Nenhum comentário: