Pular para o conteúdo principal

** MigraM-sE As OpçõEs **

De repente paro e penso... como é fácil continuar a vida isolada do passado ou se perder no tempo mais uma vez.

As coisas vão passando e esse tic-tac maluco vai nos atropelando a cada instante e numa fração de segundos fechamos os olhos e apenas temos lembranças rápidas. Mata-se e morre-se também. Uma conjunção doida que muitas vezes é desnecessária totalmente.


Na verdade somos mesmo todos limitados. A vida tem seus limites... eu tenho os meus e você os seus.

Sei até onde posso ir, sei que devo retornar a partir de certo ponto e essa coisa mesquinha de liberdade acaba mesmo existindo como algo jamais palpável. Só ilusoriamente.

As opções de se viver são infinitas. Engana-se ou vive-se de fato.

Uns vivem sonhos outros realidades que gostariam que não existissem.

Um troca-troca nesse paradoxo mundo interior.


O que ocorre é apenas a liberdade de escolha e não a liberdade total, pois creio que nem os pássaros têm um caminho livre, seguem o imposto... suas rotas migratórias, as quais tem lá seus pontos de partida e de chegada, tais como dia e hora certas para acontecerem. O tempo é nosso destino ou talvez nosso dono.

Hoje planejei algo. Usei a liberdade do pensar, mas o tempo fez tudo diferente. Mostrou-me minhas limitações cruéis e que dependeria dele para me aproximar perto do que costumo chamar de meta.

Consegui! Mas jamais dependi da minha liberdade total e sim de escolhas. Pior, nunca sabendo se realmente era o correto ou o melhor.


Por isso nesse momento afirmo que faço escolhas.

Limito-me a ter opções as quais nem imaginava. Limito-me a dar vida a um sonho e o resto o tempo que se vire. Mas estou atenta a cada passo, vigiando daqui o que o senhor dos minutos faz com minha vida. Nada de vacilar.

Um dia eu e ele (o tempo) vamos nos separar. Talvez eu esteja caquética, desmemoriada ou sem forças e possa me entregar de vez, já que não restará muita ‘opções’, mas enquanto for o contrário serei eu mesma a segurar as rédeas dessa liberdade imaginária, brincando com o tempo nesse cabo-de-guerra sem fim, afinal não sou do tipo que se entrega fácil... tentar é uma questão de honra.


E é exatamente o que eu gostaria de poder dizer para quem está lendo... que TENTAR é uma dádiva onde o erro e a certeza caminham juntos, lado a lado. Seja sim escravo do tempo – pois não nos resta maiores opções – mas esteja atento para mudar de caminho quando se ver oprimido... pule, se jogue e se machuque se for o caso, mas pelo menos ‘tente’ fazer toda a diferença em sua vida. Pois as limitações está embutida em cada ser, basta saber como você enxerga a sua.


“O que não destrói, FORTALECE!”


Eis uma frase que instalei na minha alma em tempos limitados ou de transições como eu costumo dizer nesses últimos dias. Achei que havia morrido, mas não, eu me fortaleci e estou diferente agora...

Na verdade renasci... e mesmo que algo bata aqui dentro, aprendi a dominá-lo... Ouço apenas quando desejo e por horas esqueço-me dele, mas sei que é momentâneo, afinal afasta-se do tempo ilusoriamente quando o desejo é que tudo ao redor pare é fácil demais... mas ignorar essas batidas do coração é algo tão impossível que Deus só o permite, quando decide que chegou a hora certa.


Afinal, nada... Nada depende de nós.


(...)

by Jana

Comentários

Pleiba disse…
OIe Jane
Deus esta ai com vc e vc sabe que to aki tbm neh rs otima semana bjus
Pleiba disse…
Oie AMIGA!!! rsrs
Ontem tentei comentar aki é nda ;P
Ei oq aconteceu não ta entendendo ....iiiixi q menina chata meooo
Fui num lugar q maravilhoso este lugar sempre foi meu refugio e estava com um companhia agradável falamos so nosso Pai celestial e gostei mto... momento assim são especiais...:)
Bjus de saudade

Postagens mais visitadas deste blog

FrOntEirAs dA ViDa

As fronteiras são simultâneas, vão e vem sem que gritemos por sua necessidade, elas apenas acontecem e se colocam como uma linha imaginável entre o certo e o errado. Somos educados apenas para respeitá-las, como reais limitações. A fronteira de uma vida tem fases, nomes, sentimentos e emoções. Quando pequenos nossa fronteira chama-se tempo. Ela nos impede de termos a noção de nossas escolhas, nos colocam um freio e vivenciamos um mundo infantil, totalmente alheio, tão imensamente inocente. Depois a fronteira se estende e entramos numa espécie de confusões e anseios infinitos e de difícil moderação. Somos enfim, adolescentes.
Apáticos, alegres e dificilmente compreendidos. A fronteira é única, a de um mundo de ilusões sem fim. Tudo acontece, tudo se perde da maneira como se chega.
A fronteira da maturidade é a felicidade...
Certo? Errado? Não mais. A questão agora é tudo ou nada. Ou tenho tudo ou não tenho nada. Quero meus sonhos aqui agora, ou não os quero mais. Abandono-os na fronteira …

Amizade conveniente

Hoje acordei com saudade de ter um amigo por perto. De jogar conversa fora, de dar aquelas velhas gargalhadas ou simplesmente de olhar para o tal amigo e desvendar suas mensagens codificadas, sejam elas quais forem (através de um olhar, de um gesto, de meias palavras ou de seu próprio silêncio). Li certa vez que “amigos são anjos que Deus colocou a nossa volta”, será que isso bate com a realidade??
Só acho uma tarefa um tanto quanto difícil. Imagina entender a alma alheia? Decifrar códigos, saber suas cores preferidas, o que gosta ou que não gosta, aceitar numa boa suas opiniões (mesmo tendo a sua totalmente contrária) e acima de tudo apoiar-lhe quando as chances de acertos são nulas e “seu amigo” não enxerga isto.
A probabilidade de ser ter um amigo fiel – justo – perfeito é de 0,05% (acha pouco?) então saia pelas ruas e pergunte ao número de pessoas que quiser se este ou aquele já não foi traído por um amigo??? Cara, você vai se surpreender... As pessoas se traem a todo instante. E …

** Na BrinCadeiRa, eu diGo a VerDade **

Certas palavras são ditas como por brincadeira, meio sem jeito... toda tímida... Mas são palavras... Que não voam com o tempo, permanecem com vida! Às vezes digo que amo, outras nem isso...
Mas basta ver aqui na menina dos meus olhos a alegria de estar com você o êxtase, o sorriso solto, minha maneira sem jeito de mostrar que me faz falta
Falta da felicidade eternizada na memória das lembranças boas
Fico sempre com a platéia das emoções, do seu cheiro inconfundível, da batida calma do seu coração que adoro (adorava) escutar facilitando sentir seu amor próximo ali adormecido velado muitas noites  pelo meu...
(by JanNe)