terça-feira, 17 de junho de 2008

sEm MaLdAdE

“Estou deveras feliz...” é assim (usando as mesmas palavras) que uma resposta de um e-mail enviado a um grande cronista (Zeza Amaral) me deixou essa tarde. Como é bom poder passar o carinho adiante, mesmo que hoje em dia isso não seja possível, expressando da maneira que aprendi lá em casa, através do contato físico, dando-lhes abraços, beijos ou até mesmo um singelo aperto de mão.
Sinto falta desse “carinho” nas pessoas. Mas também agradeço pela modernização geral do mundo incluindo seus e-mails, torpedos, MSNs, orkuts, telefones ultra modernos, I-pods, cartas, etc, etc...
Sinto saudades de um “Bom dia” quando passo pelas ruas (embora minha geração esteja inclusa aos mau-educados por aí a fora), sinto saudades de um abraço, de um beijo no rosto sem malícia. O contato físico (sem maldade, sem segundas intenções) está entrando para a lista dos extintos... é estranho dizer isso, mas não estou mentindo.
Gosto de caminhar pelo Bosque do bairro Jd N São José pela manhã... o público lá já coleciona diversas primaveras, então deparo sempre com o inesperado “Bom dia”... Chego a me assustar, mas é bom ouvir... Trás-te alegria e disposição, principalmente à vontade de viver o dia plenamente é maior...
Não sou perfeita em questão de bom senso, mas procuro agir de maneira positiva... Se gosto, beijo, abraço, falo besteiras, faço sorrir... Se não gosto, respeito o espaço alheio, mas nem por isso deixo de ser a “Jana” louquinha de sempre... afinal amor sem maldade (como costumo citar brincando) existe sim e está presente em mim com toda inocência...posso garantir!

A todos uma Boa Noite
bjOo
Jana

Um comentário:

zeza amaral disse...

Jana, conforme o prometido visito o seu blog. Já o coloquei nos meus "favoritos" e saiba que gostei do seu jeitão solto, natural, de escrever- aliás, muito bem, convém frisar, o que é raro de ser ver na Internet.
Parabéns e inté outro dia.