quinta-feira, 11 de dezembro de 2008

OáSis, ApaReCe aMigOo!



Buenas
tardes!

Acordei meio em desatino... Sabe quando seus olhos não enxergam nenhuma verdade, nenhum sentido nas coisas. Estou assim.
Uma vontade louca de pegar um ônibus e me entregar a novos caminhos, sem rumo.
Vivo em transgressões. Uma espécie de mutação interior constante. Pra simplificar, chamo isso de buscas...

Existem pessoas que não passam por isso, que enxergam tudo belo e não cogitam questionamentos. Eu não. Quero entender o meu mundo para estar preparada para compreender os alheios...
Estou nessa escola para aprender e não apenas por estar. Por mais que seja uma passagem, eu quero entender direitinho minha parte.

São inúmeros os caminhos... Uns cheios de flores e outros nem tanto.
Eu apenas quero o ápice, o meu melhor.
Os sentimentos parecem ter a obrigação de me deixar sem chão. Estou aprisionada a eles como uma espécie de maldição. Cara, porque gosto apenas do incerto?
A marca está em mim, uma cicatriz gigantesca, descomunal. Nada tem valor, nada realmente fará sentido enquanto eu permanecer aqui.
Mas por enquanto, nada posso fazer...

Estou em abstinência do amor. Tratando-me literalmente. Ele só me fez mal ultimamente, só me magoou.
Estou limpando minha alma, mas cada etapa é dolorosa (como apagar uma tatuagem). Enquanto você está empolgado a dar-lhe belas formas, nem sente a dor... Mas quando se quer tirá-la da sua pele o processo é outro...

Alguns devem se perguntar... Por que falo dessa forma, se o amor que recebemos a cartilha quando criança nos parece tão sublime e tão pleno??
Sim.. Ele é tudo isso e mais. Eu apenas o recebi num momento errado, só isso.
Acredito que o oásis do meu coração esteja próximo, sinto-o. Mas por enquanto não o enxergo. A busca torna-se absoluta, eis explicação para tanta desarmonia sentimental.

Serei melhor daqui a diante, mas continuarei transparente comigo mesma (isso é lei).
Sinto medo apenas das mudanças, mas estou preparada, afinal eu não seria essa muralha se não estivesse. O problema é que as pessoas enxergam apenas esta fortaleza imaginária e não olham direito... Gostaria que vissem que tenho alma, coração e que choro feito criança perdida de vez em quando. Infelizmente aprendi na marra a ocultar essa sensibilidade.

Por isso, só hoje... Quero ser a Jana, que brilha aqui dentro e não um ser intocável... O mito da minha atual história.

Uma pena, que nem todos lêem o meu blog!


Um comentário:

Pleiba disse...

Bom dia, amiga!
Amiga acho q mtas pessoas lê sim sabia?
eu passei no seu blog um dia, so não li porque seus textos são grandes hhahahahahaa
mas eles tem um o PORQUÊ de muitas respostas que milhões de pessoas tentam procurar em livros, mídia, revistas, jornais e outros...
So que hoje leio tudo...tudinho...porque?
porque seus post (seus textos) é vida...
Vida em palavras...gestos, sorrisos...
Quando quero sentir amor,
Quando quero sentir alegria,
Quando quero sentir paz,
Quando quero sentir humildade,
Quando quero sentir um abraço venho aki... e recebo tudo em dobro!!!

Seu blog é fascinante!!
sempre estou aki, porque adoro seu blog

Um beijo