Pular para o conteúdo principal

O liMiTe QuAl SeRÁa?



A eternidade seria o limite de um sonho?
Seria na verdade, o desejo fulminante dos apaixonados. Daqueles enfeitiçados pela “Deusa do Amor?”
Creio que sim. Mas no fundo desejo da senhora eternidade apenas congelar os momentos com minhas filhas. Desejaria ser a mãe delas para todo o sempre.

O amor é eterno para os poetas, não foi feito pra nós, meras pessoas urbanizadas e escravizadas por uma sociedade.

O amor “Romeu e Julieta” suicidou-se com eles, não existe mais! Porém há os sonhadores do mundo atual. Amar tornou-se algo fútil, de tão pouco valor. São poucos que ainda se dizem apaixonados, pois sentimentos verdadeiros são caretices, coisa de quem não se tem o que fazer.

Amores atuais são comprados numa vitrine qualquer, tipo: Se ele é bonito, todo saradão... Eu o compro. Se me oferece riquezas, eu o quero. Se não tem pudores, eu o desejo... assim vai...
Amar por amar, sem trocas, não está com nada! O legal são as promissórias da compra de algo proveitoso. Um negócio rentável e bem sucedido.

Não quero um amor assim. Estou fora!
Não me enquadro. O melhor é colocar uma plaquinha no coração com os dizeres:
“Fechado Temporariamente”.

Acredito no amor (ah, um pouquinho vai), mas ele é um personagem velho e esquecido por detrás das cortinas vermelhas desse palco. Seu público envelheceu também. Tampouco os que se encontram vivos...
Sou parte dessa platéia sem graça e minúscula – hora enxergo bem, hora meus olhos se fecham e mergulham numa escuridão de desamor.

A paixão realmente é a dama do século. É linda e exuberante e um tanto sem escrúpulos. É dona dos corações vulneráveis. Mas meu amigo, CUIDADO!!
Ela destrói sua vida e como feiticeira te encanta, te ilude. Mostra-te paraísos falsos e na hora que o encanto termina: a realidade. Cruel, mas uma amiga mais que verdadeira.

Você então acorda, chora... lamenta... encontra-se ali, acuado em um canto qualquer, sem coragem, totalmente descrente e com vergonha de sua própria ilusão. Numa dessas, o amor – velho e caquético – está ao seu lado. E você como bom futurista enxerga apenas o horizonte... E o amor?

- Que se dane!! Afinal a eternidade termina quando se deixa de sonhar.













(Ei, meio confuso eu sei... mas leia com os olhos da alma. Escrevi isso ontem a noite, enquanto as meninas relutavam em se entregar ao sono...
bjuxxx
Jana).


Comentários

Pleiba disse…
Quarta-feira, 17 de Setembro de 2008, Eu postei "Amor"

Amor em troca de algo, o nosso sentimento se iludi com a riqueza do mundo, o "luxo" ...
Sabemos que não precisamos de luxo, mas queremos uma família, um AMOR para ter AMOR.
Primeiro uma amizade linda, com mta harmonia, sinceridade, honestidade, humildade, depois um namoro cheio de calor, cheio alegria, cheio de brilho, cheio de sorriso, o beijo inexplicável, não existe outro igual...
ai vem o pedido"?" quer casar comigo? :) a alegria vem átona :) o coração sentimental pula pelo peito com uma euforia já mais sentida ",",",",",",
agora vem a melhor parte hahahaha a parte onde os dois formam um so carne!
o tão falado "relação conjugal" fazer amor, dali os dois começam a viver um pelo outro...
com uma casa simples com um jardim (pode ser pequeno) é so para as crianças brincarem, um carro na garagem para passear nos finais de semana :) com a família...
precisava de traição?
precisava de mentira?

poderia não ter casa nem carro mas se os dois tivessem amor, bastaria!
eu acredito em uma coisa!
se tudo q vc faz for por amor e com amor... tenho a certeza q tudo terei...
parece tão simples falar , escrever neh?
é simples mesmo falar , escrever mas não é simples lutar por tudo isso!!!
já me cansei mtas vezes, já chorei mtas vezes, mas continuo na guerra...
msm ferido estou aki! com um sorriso estampado no rosto :)

pode parecer bobeira, mas para mim não é:
nem que seja uma vez mas quero levar o primeiro café da manha para o meu AMOR.
Amiga acho que vou postar isso um dia hahahahah

Beijo amiga

Belo poste!!! \o/
adorei :)

Postagens mais visitadas deste blog

FrOntEirAs dA ViDa

As fronteiras são simultâneas, vão e vem sem que gritemos por sua necessidade, elas apenas acontecem e se colocam como uma linha imaginável entre o certo e o errado. Somos educados apenas para respeitá-las, como reais limitações. A fronteira de uma vida tem fases, nomes, sentimentos e emoções. Quando pequenos nossa fronteira chama-se tempo. Ela nos impede de termos a noção de nossas escolhas, nos colocam um freio e vivenciamos um mundo infantil, totalmente alheio, tão imensamente inocente. Depois a fronteira se estende e entramos numa espécie de confusões e anseios infinitos e de difícil moderação. Somos enfim, adolescentes.
Apáticos, alegres e dificilmente compreendidos. A fronteira é única, a de um mundo de ilusões sem fim. Tudo acontece, tudo se perde da maneira como se chega.
A fronteira da maturidade é a felicidade...
Certo? Errado? Não mais. A questão agora é tudo ou nada. Ou tenho tudo ou não tenho nada. Quero meus sonhos aqui agora, ou não os quero mais. Abandono-os na fronteira …

Amizade conveniente

Hoje acordei com saudade de ter um amigo por perto. De jogar conversa fora, de dar aquelas velhas gargalhadas ou simplesmente de olhar para o tal amigo e desvendar suas mensagens codificadas, sejam elas quais forem (através de um olhar, de um gesto, de meias palavras ou de seu próprio silêncio). Li certa vez que “amigos são anjos que Deus colocou a nossa volta”, será que isso bate com a realidade??
Só acho uma tarefa um tanto quanto difícil. Imagina entender a alma alheia? Decifrar códigos, saber suas cores preferidas, o que gosta ou que não gosta, aceitar numa boa suas opiniões (mesmo tendo a sua totalmente contrária) e acima de tudo apoiar-lhe quando as chances de acertos são nulas e “seu amigo” não enxerga isto.
A probabilidade de ser ter um amigo fiel – justo – perfeito é de 0,05% (acha pouco?) então saia pelas ruas e pergunte ao número de pessoas que quiser se este ou aquele já não foi traído por um amigo??? Cara, você vai se surpreender... As pessoas se traem a todo instante. E …

** Na BrinCadeiRa, eu diGo a VerDade **

Certas palavras são ditas como por brincadeira, meio sem jeito... toda tímida... Mas são palavras... Que não voam com o tempo, permanecem com vida! Às vezes digo que amo, outras nem isso...
Mas basta ver aqui na menina dos meus olhos a alegria de estar com você o êxtase, o sorriso solto, minha maneira sem jeito de mostrar que me faz falta
Falta da felicidade eternizada na memória das lembranças boas
Fico sempre com a platéia das emoções, do seu cheiro inconfundível, da batida calma do seu coração que adoro (adorava) escutar facilitando sentir seu amor próximo ali adormecido velado muitas noites  pelo meu...
(by JanNe)