terça-feira, 1 de junho de 2010

** Distração **

De volta a correria frenética do dia-a-dia de um trabalho comum... gosto disso, alias, estava com saudades. Precisava do tempo
livre para distrair a mente, dar um pouco de risada das coisas mais bobas, pois aqui a conversa rola solta, sem contar
que rever rostos conhecidos e que aprendi a ter imenso carinho, é como bálsamo para a alma...
Não fiz absolutamente nada em minhas férias, a não ser um rápido passeio forçado na beira do mar. Ah, sim... fiquei muito,
mas muito pertinho das minhas florzinhas.

Vivo uma fase de sossego, onde apenas desejo ficar no meu canto, no aconchego da minha casa e perto da minha família.
Nunca imaginei que logo eu, uma zoeira nata e baladeira de plantão fosse 'sossegar o faixo' (rsrsrs), mas enfim, não vejo
mais numa noite tantos atrativos. As coisas mudam... acho que mudei um bocado.

Agora o coração, ah esse aí há alguns dias estou sem (como vcs podem ter notado através dos meus últimos posts). Não é
que eu queira colocar pra fora apenas palavras tristes, mas é que minha alma não se encontra num momento bom e pra ser sincera
eu nem sei mais aonde ela está ou onde encontrar uma certa alegria nas coisas ou pessoas. Queria encontrar nem que fosse
uma alegria minúscula e me agarrar a ela, mas estou sem forças. Fora a obrigatoriedade em se viver o dia, quando me encontro comigo
eu desabo. Não tem como mentir pra mim mesma... por fora engano, mas por dentro jamais.

Esses dias certas verdades vieram a tona, descobri coisas que eu jamais queria ouvir e como num quebra-cabeças eu fui juntando
as peças e tirando minhas próprias conclusões... onde será que as mentiras iniciaram... até que ponto foi real?
Infelizmente não aprendi nessa vida a me conformar com perdas e nem mesmo consigo substituir pessoas na minha vida tão facilmente. Eu
sofro sim, muito quando me vejo obrigada a expulsar alguém de dentro do coração, fico de luto... fico em meu mundo por algum período.

Não tem sido nada fácil. As lembranças de um sonho estão impregnadas em mim e como olhar de frente um abismo eu fico aqui parada, sem nada
fazer, ando sem condições de reagir a esse vazio enorme.
As vezes fecho os olhos e me vejo em um lugar bem alto... e o vento forte e frio bate em meu rosto e vai invadindo todo meu corpo...
por onde passa gela tudo e só assim (nessa imaginação toda) é que não consigo ver nada, não sinto dor, não tenho lembranças, não sinto saudades...
Nem mesmo sinto a vida pulsar... tudo pára.
Mas logo volto em mim e tudo está do mesmo jeito.

Realmente matar um sentimento é uma das coisas mais dificieis de se enfrentar. A pessoa sobrevive, mas indiretamente mata mais coisas em si do
que aquilo que era sua meta.

Bom, mas vai passar. Há alguns remédios para a alma e quando quero abuso deles... Estou falando de DEus, dos meus amigos, das pessoas especiais que estão
ao meu lado. Abuso também da solidão, embora aparentemente ela seja negativa, pra mim foi sempre uma grande amiga.

... hmmmm... o melhor é voltar a trabalhar... e esquecer um pouco esse mundo sem cor.

Um beijo
Jana

P.s.; aos meus amigos um beijo na alma, Xandoka, Ti, Iara, maninha, Wag e Ed - inclusive dxo aki uma resposta ao seu comentário carinhoso, quem sabe meu amigo, um dia eu libere essa menina novamente, mas por enquanto, é melhor esconde-la do mundo para que ninguém mais a machuque... Amo vocês e o carinho que me passam é uma das coisas que me faz continuar...


Nenhum comentário: