sexta-feira, 25 de junho de 2010

** Só sE fOr d VerDadE, AmE **

Poderíamos falar de amor sem conhecimento de causa, a julgar apenas pelo que sentimos dentro do peito... ora avalanche de emoções, ora um nada?

Na verdade acho sempre que nunca sabemos de fato o que sentimos. Classificamos erradamente e falamos frases que só poderiam ser ditas com a máxima certeza.


O que é amar? O que é paixão? E o que é apenas gostar?

Costumo dizer que a paixonite é que nos leva ao céu e depois nos chuta ao inferno quando bem entende. E creio que nunca amei, pois não é possível que o amor seja algo tão passageiro, tão sem noção a ponto de entrar na minha vida para logo sair.

Dizem por aí que amor... Amor mesmo, se sente uma vez só na vida. Outros dizem que viver intensamente um momento feliz já é amar – discordo disso.


O amor deve ter cores excêntricas.

Agora os demais sentimentos, só são meras conseqüências que nos confundem o viver.


Nunca fui de me apaixonar fácil. Nunca dei muita trela para essas bobagens, pois sempre deixei meu coração meio que sob aviso e ainda assim apaixonava-me pelos mais complicados, pelos mais difíceis e em todos os casos, tive que abandoná-los para que pudesse viver melhor sem eles. Como se fosse um carma, como uma praga isso me persegue... sempre tenho que abrir mão das minhas paixões e elas sem querer levam pedaços de mim tão importantes... E o pior é saber que nada é recuperado, terei sempre que aprender a viver sem ‘essa parte importante de mim mesma’.

Às vezes odeio a paixão. Por ser algo tão inconseqüente. Por nos deixar em estado de êxtase e depois num escuro absoluto. Simplesmente desaparece, sem deixar rastros... apenas saudades.

Queria mesmo poder falar do amor. Saber defendê-lo, brigar por ele com unhas e dentes e me orgulhar de sua companhia. Mas ainda não sei.


Gostaria de dizer a um amigo hoje que o amor é isso, assim ou assado... mas eu não soube dizer, apenas desejei que ele descobrisse isso logo, o quanto antes para não machucar ninguém com suas paixonites.

Pois a paixão é uma ingrata viajante... passageira.

Ela vai embora quando se tem medo. Desiste quando é encurralada. Tapas os olhos e os ouvidos para a verdade e é cega quando se tem a obrigação de enxergar. Sem contar que é uma fraca... nunca tem armas para se transformar, para mudar.


Sabe aquela música do Jota Quest... “Amor Maior”?

Então... sempre ouço e me identifico sempre com ela. Pois eu sempre desejo um amor maior que eu. Um amor pra qualquer hora, um amor que eu desconheço...

Ainda não sei se estou preparada para esse amor. Mas eu espero por ele sim. Pois sei que ele não vai me machucar, não vai brincar comigo... vai viver por mim como viverei por ele e morreremos juntos, pois foram feitos para a alma e não apenas para o coração.


E almas são eternas...


(by Jana)


************

P.s.; Meu caro e amado Ed. Uma pena eu não poder te dizer o que é amor, como lidar com um se nem eu mesma o encontrei. Sei sim falar de amor maternal, de amor que sinto pelas coisas, pessoas e amigos como vc... Creio que não exista uma forma, um jeito especial de ensinar uma pessoa a amar a outra, pois aprendemos isso sozinhos. Mas a melhor coisa é nos prepararmos para receber esse sentimento... mas de peito aberto, sem escondê-lo dentro do coração. Até onde sei o amor nasce para ser livre e jamais preso, oculto na vida de uma pessoa. Se vc ama... Mostre, demonstre... corra atrás, se mostre vivo e esperançoso... nunca desista, porque um dia talvez, seja tarde demais.Deixe as palavras virem conforme seu coração manda e olha que esse aí grita para que sejamos felizes sempre. É nosso maior torcedor, embora nos ponha muitas vezes em grandes enrascadas. Pense nisso hein! Te amOoo meu grande amigo e só quero o melhor pra ti.



http://www.youtube.com/watch?v=WoLzSzD5VX0

Nenhum comentário: